Você está aqui: Página Inicial > Governo > 2014 > 12 > Televisão ainda é o meio de comunicação predominante entre os brasileiros

Governo

Televisão ainda é o meio de comunicação predominante entre os brasileiros

Levantamento

De acordo com a Pesquisa Brasileira de Mídia, 95% dos brasileiros assistem TV regularmente e 74% a veem todos os dias
publicado: 19/12/2014 11h36 última modificação: 19/12/2014 11h36
Divulgação/EBC Expectadores passam em média 4h31 em frente à TV durante a semana e 4h14 nos finais de semana

Expectadores passam em média 4h31 em frente à TV durante a semana e 4h14 nos finais de semana

A televisão continua sendo o meio de comunicação mais utilizado pelos brasileiros. O dado é da Pesquisa Brasileira de Mídia 2015 (PBM 2015), divulgada nesta sexta-feira (19) pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom).

De acordo com levantamento, 95% dos brasileiros assistem TV regularmente e 74% a veem todos os dias. A pesquisa apontou também que o rádio ainda é o segundo meio mais utilizado, apesar do crescimento da internet.

Realizada pelo Ibope, a PBM entrevistou mais de 18 mil pessoas em todo o País e confirmou a predominância dos meios eletrônicos nos hábitos de consumo da população brasileira. Prova disso, é que os expectadores brasileiros passam em média 4h31 em frente à TV durante a semana e 4h14 nos finais de semana. Os números são superiores aos encontrados na PBM 2014, que apontavam 3h29 e 3h32, respectivamente.

Segundo o levantamento, o período de maior exposição à TV é no chamado horário nobre, de 18h às 23h, embora nos dias de semana haja um pico de audiência na hora do almoço e, durante os finais de semana, no período da tarde.

O tempo de exposição dos brasileiros à televisão também sofre influência de gênero, idade e escolaridade. As mulheres, por exemplo, passam mais tempo em frente à TV (4h48), diariamente, do que os homens (4h12). Além disso, os mais jovens (de 16 a 25 anos) assistem cerca de uma hora a menos de televisão por dia do que os mais velhos (acima dos 65 anos).

A televisão também fica mais tempo ligada na casa das pessoas com escolaridade menor, até a 4ª série (4h47), do que no domicílio daqueles que possuem nível superior (3h59).

A Pesquisa apontou também a expansão do acesso à TV por assinatura no Brasil, que já atinge 26% dos lares brasileiros. No entanto, seu acesso ainda é mais frequente nos grandes centros urbanos e na população com maior poder aquisitivo e escolaridade. Já o acesso à TV parabólica é mais comum no interior do Brasil.

Rádio

O rádio permanece como o segundo meio de comunicação mais utilizado no País, mas seu uso contínuo caiu na comparação com a PBM 2014 (de 61% para 55%). Em compensação, um número maior de entrevistados declararam ouvir rádio diariamente, de 21% em 2014 para 30% em 2015, apesar de 44% declararem que nunca o fazem.

Ao contrário da televisão, o hábito de ouvir rádio ocorre, principalmente, no período da manhã, em especial das 6h às 9h. A maior parte dos entrevistados (63%) afirmaram que a principal razão para a escolha do meio é a busca por informação.

O levantamento também apontou que as FMs são as emissoras preferidas por 74% dos brasileiros, enquanto 14% declararam gostar mais das AMs. No entanto, diferenças regionais e sociais influenciam na decisão. Moradores do Sul do País ouvem mais rádios AMs (22%) do que a média nacional, assim como as pessoas com escolaridade até a 4ª série do ensino fundamental (25%). As FMs são as preferidas pelos brasileiros com ensino médio (81%) e superior (83%).

Além disso, a maior parte dos entrevistados afirmaram ouvir rádio enquanto realizam outras atividades, como tarefas domésticas ou quando se alimentam. Apenas 16% disseram ouvi-lo exclusivamente. 

Fonte:

Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Ouvidoria recebe mais de 67 mil denúncias no primeiro semestre
Denúncias de violações de direitos humanos foram recebidas pela ouvidoria do governo federal; maioria relatou violações contra crianças e adolescentes
Conheça do GovData
Plataforma compartilha a análise de dados governamentais
TáxiGov: saiba como pedir uma corrida
Serviço deve ser solicitado pelo site taxigov.gov.br
Denúncias de violações de direitos humanos foram recebidas pela ouvidoria do governo federal; maioria relatou violações contra crianças e adolescentes
Ouvidoria recebe mais de 67 mil denúncias no primeiro semestre
Plataforma compartilha a análise de dados governamentais
Conheça do GovData
Serviço deve ser solicitado pelo site taxigov.gov.br
TáxiGov: saiba como pedir uma corrida

Últimas imagens

Programa torna mais fácil e rápido processos como emissão de documentos, marcação de consultas pelo SUS e pagamento de obrigações trabalhistas e previdenciárias
Programa torna mais fácil e rápido processos como emissão de documentos, marcação de consultas pelo SUS e pagamento de obrigações trabalhistas e previdenciárias
Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília
Obras deverão ser em melhorias como iluminação e saneamento básico
Obras deverão ser em melhorias como iluminação e saneamento básico
Alexandre Lombardi/Pref. de Sorocaba (SP)
Criado em 1º de outubro de 1862, documento que registra atos do governo estará disponível apenas pela internet, no Portal da Imprensa Nacional, a partir de 30 novembro
Criado em 1º de outubro de 1862, documento que registra atos do governo estará disponível apenas pela internet, no Portal da Imprensa Nacional, a partir de 30 novembro
Arquivo/Imprensa Nacional
Presidente acompanhou o lançamento acompanhado por ministros e militares
Presidente acompanhou o lançamento acompanhado por ministros e militares
Foto: Beto Barata/PR
Decreto publicado em 29 de setembro define ampliação de R$ 12,660 bilhões das despesas do Executivo
Decreto publicado em 29 de setembro define ampliação de R$ 12,660 bilhões das despesas do Executivo
Marcos Santos/USP Imagens

Governo digital