Você está aqui: Página Inicial > Governo > 2015 > 01 > Dilma toma posse e anuncia lema do novo governo: “Brasil, Pátria Educadora”

Governo

Dilma toma posse e anuncia lema do novo governo: “Brasil, Pátria Educadora”

Cerimônia

Para presidenta, frase sintetiza a educação como prioridade dos próximos quatro anos do novo mandato
por Portal Brasil publicado: 01/01/2015 19h15 última modificação: 02/01/2015 13h03

Em discurso de posse nesta quinta-feira (1º) no Congresso Nacional, onde foi reempossada para mais quatro anos de mandato, a presidenta Dilma Rousseff anunciou que o lema de seu novo governo será “Brasil, Pátria Educadora”.

Dilma afirmou que a frase sintetiza a educação como prioridade de seu governo para os próximos quatro anos, além de formar o cidadão com compromissos éticos e sentimentos republicanos.

Leia aqui a íntegra do discurso da presidenta Dilma no Congresso Nacional 

Leia aqui a íntegra do discurso da presidenta Dilma no Parlatório do Palácio do Planalto 

“Ao bradarmos ‘Brasil, pátria educadora’ estamos dizendo que a educação será a prioridade das prioridades, mas também que devemos buscar, em todas as ações do governo, um sentido formador, uma prática cidadã, um compromisso de ética e sentimento republicano”, enfatizou a presidenta.

Em sua fala, a presidenta também qualificou o acesso à educação como “porta de um futuro próspero”.

“Só a educação liberta um povo e lhe abre as portas de um futuro próspero. Democratizar o conhecimento significa universalizar o acesso a um ensino de qualidade em todos os níveis – da creche à pós-graduação; para todos os segmentos da população – dos mais marginalizados, os negros, as mulheres e todos os brasileiros.”

Dilma destacou ainda os esforços já realizados para a universalização da educação e lembrou que a área começará a receber, em seu segundo mandato, recursos dos royalties do petróleo e do fundo social do pré-sal, que auxiliarão a expansão e melhor alcance de políticas públicas, ações e programas da educação nos próximos quatro anos.

Ela garantiu que o Pronatec, uma das principais políticas públicas do governo, deverá oferecer 12 milhões de novas vagas até 2018, "para que nossos jovens, trabalhadores e trabalhadoras tenham mais oportunidades de conquistar melhores empregos e possam contribuir ainda mais para o aumento da competitividade da economia brasileira".

"Darei especial atenção ao Pronatec Jovem Aprendiz, que permitirá às micro e pequenas empresas contratarem um jovem para atuar em seu estabelecimento."

Ainda no discurso no Congresso, Dilma anunciou que enviará neste semestre ao Congresso um pacote de medidas contra a corrupção.

“A luta que vimos empreendendo contra a corrupção, e principalmente contra a impunidade de corruptos e corruptores, ganhará ainda mais força com um pacote de medidas que me comprometo a submeter à apreciação do Congresso Nacional ainda no primeiro semestre”, garantiu a presidenta.

Segundo ela, são cinco medidas:

1 - Transformar em crime e punir com rigor os agentes públicos que enriquecem sem justificativa ou não demonstrem a origem dos seus ganhos;

2 - Modificar a legislação eleitoral para transformar em crime a prática de caixa 2;

3 - Criar uma nova espécie de ação judicial que permita o confisco dos bens adquiridos de forma ilícita ou sem comprovação;

4 - Alterar a legislação para agilizar o julgamento de processos envolvendo o desvio de recursos públicos;

5 - Criar uma nova estrutura no Poder Judiciário que dê maior agilidade e eficiência às investigações e processos movidos contra aqueles que possuem foro privilegiado.

O evento desta quinta-feira começou por volta das 15 horas na Esplanada dos Ministérios, onde Dilma e o vice-presidente, Michel Temer, embarcaram em carros abertos, na altura da Catedral de Brasília. Fazia sol na capital federal, ao contrário da posse de 2010.

Dilma seguiu no Rolls-Royce presidencial acompanhada da filha, Paula Rousseff Araújo. Temer seguiu em outro carro.

Escoltados por batedores e pela cavalaria do Batalhão da Guarda Presidencial, as duas autoridades seguiram até a rampa do Palácio do Congresso Nacional.

Lá, a cerimônia começou após o presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros, declarar aberta a sessão e a banda dos Fuzileiros Navais executar o Hino Nacional.

Em seguida, Dilma e Temer fizeram juramento de compromisso com a pátria. Na companhia de autoridades estrangeiras, entre elas, os presidentes do Uruguai, José Mujica, e da Venezuela, Nicolás Maduro, além de ministros de seu governo e outros convidados, Dilma fez o juramento de “manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil”.

Em seguida, o presidente do Congresso os declarou empossados. A presidenta, o vice, os presidentes do Congresso, da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves, e do STF, Ricardo Lewandowski, assinaram o termo de posse e, então, Dilma iniciou seu pronunciamento.

Já na área externa, Dilma e Temer acompanharam mais uma vez a execução do Hino Nacional pelo Batalhão da Guarda Presidencial e a salva de 21 tiros.

A presidenta passou a tropa em revista e, seguida, entrou no Rolls-Royce mais uma vez e seguiu para o Palácio do Planalto. Na rampa da sede do Executivo Federal, Dilma Rousseff recebeu a faixa presidencial do chefe do Cerimonial da Presidência da República, ministro Renato Mosca.

No discurso do Parlatório do Palácio do Planalto, Dilma afirmou representar "um projeto de nação que é detentor do mais profundo e duradouro apoio popular de nossa história democrática".

"Esse projeto que começou no governo do presidente Lula, que continua no meu governo, ele pertence a vocês, a cada um de vocês, ao povo deste país e, mais do que nunca, é para este povo e com este povo que nós vamos governar", disse a presidenta.

Na sequência, a presidenta recebeu cumprimentos de chefes de Estado, de governo e de autoridades estrangeiras. Depois, ainda no Palácio do Planalto, empossou os novos ministros do segundo mandato, partindo em seguida para tirar a foto oficial com o primeiro escalão.

Por fim, Dilma seguiu para o Palácio Itamaraty, onde ocorre um coquetel para os chefes de Estado e delegações estrangeiras. Foi confirmada a presença de 27 chefes de Estado e de 66 delegações.

Fonte:
Portal Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Brasil pretende cortar 37% das emissões de gases de efeito estufa até 2025
A meta é de 37% para 2025, com o indicativo de redução de 43% até 2030 – ambos em comparação aos níveis de 2005
Michel Temer fala sobre o PPI aos empresários estrangeiros
Temer destacou medidas do governo brasileiro para retomar o crescimento econômico, entre elas o Programa de Parcerias de Investimentos
Temer entrega ratificação do acordo do clima de Paris na ONU
O presidente Michel Temer entregou o compromisso do governo brasileiro nas mãos de Ban ki Moon
A meta é de 37% para 2025, com o indicativo de redução de 43% até 2030 – ambos em comparação aos níveis de 2005
Brasil pretende cortar 37% das emissões de gases de efeito estufa até 2025
Temer destacou medidas do governo brasileiro para retomar o crescimento econômico, entre elas o Programa de Parcerias de Investimentos
Michel Temer fala sobre o PPI aos empresários estrangeiros
O presidente Michel Temer entregou o compromisso do governo brasileiro nas mãos de Ban ki Moon
Temer entrega ratificação do acordo do clima de Paris na ONU

Últimas imagens

Em junho, Michel Temer determinou à Aeronáutica que mantenha permanentemente um jato à disposição para transporte de órgãos e tecidos
Em junho, Michel Temer determinou à Aeronáutica que mantenha permanentemente um jato à disposição para transporte de órgãos e tecidos
Foto: Andre Feitosa / FAB
Presidente Michel Temer durante apresentação do novo regime fiscal aos líderes da base aliada da Câmara e do Senado
Presidente Michel Temer durante apresentação do novo regime fiscal aos líderes da base aliada da Câmara e do Senado
Foto: Beto Barata/PR
Michel Temer durante visita à Arena Carioca 1 nesta terça-feira (14)
Michel Temer durante visita à Arena Carioca 1 nesta terça-feira (14)
Foto: Beto Barata/PR
O ministro interino do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, ressaltou em entrevista coletiva que medida propiciará economia de cerca de 230 milhões
O ministro interino do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, ressaltou em entrevista coletiva que medida propiciará economia de cerca de 230 milhões
Foto: Portal Brasil
Guilherme Campos afirmou comprometimento para que os Correios possam ser sempre uma empresa de confiabilidade.
Guilherme Campos afirmou comprometimento para que os Correios possam ser sempre uma empresa de confiabilidade.
Foto: Correios
Ministro Eliseu Padilha durante coletiva de imprensa para falar sobre a preparação para os Jogos Olímpicos Rio 2016
Ministro Eliseu Padilha durante coletiva de imprensa para falar sobre a preparação para os Jogos Olímpicos Rio 2016
Foto: Carolina Antunes/PR
O ataque ocorreu no centro histórico da cidade, bairro  frequentado por turistas e estudantes.
O ataque ocorreu no centro histórico da cidade, bairro frequentado por turistas e estudantes.
Vladimir Platonow/ Agência Brasil
O esforço, afirma Temer, é para, no final do seu governo, entregar um País equilibrado na política e na economia
O esforço, afirma Temer, é para, no final do seu governo, entregar um País equilibrado na política e na economia
Foto: Beto Barata/PR

Governo digital