Você está aqui: Página Inicial > Governo > 2016 > 02 > Em nota, Dilma lamenta morte do ex-chanceler Luiz Felipe Lampreia

Governo

Em nota, Dilma lamenta morte do ex-chanceler Luiz Felipe Lampreia

Falecimento

Embaixador Luiz Felipe Lampreia nesta terça-feira (2) no Hospital Pró-Cardíaco, no Rio de Janeiro
por Portal Brasil publicado: 02/02/2016 18h56 última modificação: 03/02/2016 18h22
Foto: Agência Senado Luiz Felipe Lampreia faleceu nesta terça (2) no Hospital Pró-Cardíaco, no Rio de Janeiro

Luiz Felipe Lampreia faleceu nesta terça (2) no Hospital Pró-Cardíaco, no Rio de Janeiro

A presidenta Dilma Rousseff e o Ministério das Relações Exteriores lamentaram a morte do embaixador Luiz Felipe Lampreia nesta terça-feira (2) no Hospital Pró-Cardíaco, no Rio de Janeiro. Lampreia tinha 74 anos e foi chanceler de 1995 a 2001 no governo de Fernando Henrique Cardoso.

“Recebi com profunda tristeza a notícia do falecimento do embaixador Luiz Felipe Lampreia, ex-ministro das Relações Exteriores. Lampreia foi embaixador do Brasil em Lisboa e representante permanente do Brasil junto aos organismos internacionais sediados em Genebra. Neste momento de grande pesar, transmito minhas condolências aos familiares e amigos do ex-ministro, recordando sua contribuição para o Brasil, ao longo de quase quatro décadas de trabalho dedicado ao serviço público”, disse Dilma, em nota.

O Itamaraty registra que é com “imenso pesar” que lamenta a morte do embaixador. “Os funcionários do ministério que, no Brasil e no exterior, sempre admiraram as qualidades pessoais e profissionais do embaixador Luiz Felipe Lampreia, unem-se no sentimento de perda e dor pela partida prematura do ex-chefe, colega e amigo, e transmitem aos seus familiares os seus mais sentidos pêsames e a certeza de que a sua memória e o seu o exemplo continuarão presentes no Itamaraty, guiando-os no serviço ao País, a que o embaixador Lampreia tanto se dedicou”, destacou, em nota, o Itamaraty.

Lampreia, além de ministro das Relações Exteriores, foi secretário-geral do Itamaraty, subsecretário de Assuntos Políticos Bilaterais, representante permanente do Brasil em organismos internacionais em Genebra, embaixador em Lisboa e em Paramaribo e porta-voz do ministério.

“Teve destacada atuação no tratamento de temas financeiros, econômicos e comerciais e registrou em diversas obras a sua importante experiência como diplomata brasileiro. Deixa entre os funcionários do Itamaraty um exemplo de hábil negociador, sempre em defesa do interesse público e do Brasil, e a lembrança de um colega respeitado e querido”, diz a nota do ministério.

Fonte: Agência Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Ouvidoria recebe mais de 67 mil denúncias no primeiro semestre
Denúncias de violações de direitos humanos foram recebidas pela ouvidoria do governo federal; maioria relatou violações contra crianças e adolescentes
Conheça do GovData
Plataforma compartilha a análise de dados governamentais
TáxiGov: saiba como pedir uma corrida
Serviço deve ser solicitado pelo site taxigov.gov.br
Denúncias de violações de direitos humanos foram recebidas pela ouvidoria do governo federal; maioria relatou violações contra crianças e adolescentes
Ouvidoria recebe mais de 67 mil denúncias no primeiro semestre
Plataforma compartilha a análise de dados governamentais
Conheça do GovData
Serviço deve ser solicitado pelo site taxigov.gov.br
TáxiGov: saiba como pedir uma corrida

Últimas imagens

Presidente acompanhou o lançamento acompanhado por ministros e militares
Presidente acompanhou o lançamento acompanhado por ministros e militares
Foto: Beto Barata/PR
Decreto publicado em 29 de setembro define ampliação de R$ 12,660 bilhões das despesas do Executivo
Decreto publicado em 29 de setembro define ampliação de R$ 12,660 bilhões das despesas do Executivo
Marcos Santos/USP Imagens
Ministro da Cultura afirma que governos anteriores agiram com “desmantelo” na fiscalização e prestação de contas dos projetos
Ministro da Cultura afirma que governos anteriores agiram com “desmantelo” na fiscalização e prestação de contas dos projetos

Governo digital