Você está aqui: Página Inicial > Governo > 2016 > 04 > Secretário da OEA visita Dilma e se diz preocupado com processo de impeachment

Governo

Secretário da OEA visita Dilma e se diz preocupado com processo de impeachment

Legalidade

Almagro destacou que o impedimento de um presidente precisa ter como justificativa “causalidades legais” e não apenas “maiorias circunstanciais” no Parlamento
por Portal Brasil publicado: 16/04/2016 14h00 última modificação: 17/04/2016 09h43
Foto: Blog do Planalto Almagro teve encontro com a presidenta e ressaltou o fato de que ela não sofre nenhuma acusação na Justiça

Almagro teve encontro com a presidenta e ressaltou o fato de que ela não sofre nenhuma acusação na Justiça

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, reuniu-se com a presidenta Dilma Rousseff, nesta sexta-feira (15), para manifestar a “extrema preocupação” da OEA sobre o pedido de impeachment. Em entrevista exclusiva ao Blog do Planalto, Almagro destacou as acusações pendentes contra parlamentares que decidirão o futuro do mandato de uma governante sobre a qual não recai nenhum tipo de crime.

“Estamos falando de uma situação na qual se dá ao contrário no mundo. Nós cremos que, desde o ponto de vista da probidade republicana e da essência, alguém pode julgar a indecência dos atos criminais, mas não pode ser ao contrário. Ou seja, nos preocupam os níveis de acusação, indagações e de imputações que existem pendentes ou em curso sobre membros do Parlamento, inclusive seu presidente”, disse, ao citar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha. “Que eles julguem uma pessoa que não está imputada nem indagada nem acusada, estamos verdadeiramente em um mundo no qual os parâmetros éticos se subverteram completamente e nos parece que esse tampouco é o caminho”, complementou.

Almagro também destacou que o impedimento de um presidente precisa necessariamente ter como justificativa “causalidades legais” e não apenas “maiorias circunstanciais” no Parlamento. Segundo ele, para que isso fosse possível, o Brasil deveria adotar o regime parlamentarista.

“Tampouco é o caminho ir por maiorias circunstanciais no Parlamento. E isso como validade de um processo político, isso não pode ser assim. Tem-se de ajustar à legalidade em primeiro lugar. O juízo pode ser político, mas as causalidades são legais, e têm de ajustar-se a isso”, disse. “E se o constituinte brasileiro quisesse um regime parlamentar ou semi-parlamentar, teria colocado assim. Esse, claramente, não é o caso. A Constituição põe, claramente, quais são as condições que têm de ter as causalidades para ir por esse processo, e essas são bastante inconsistentes e nos trazem sérias dúvidas sobre a legalidade do processo”, enfatizou.

Após o encontro com a presidenta Dilma, que, segundo ele, sentiu-se reconfortada com o apoio da OEA, Almagro conversou com jornalistas. Questionado sobre o que pode fazer a OEA em termos práticos, ele afirmou que a entidade tem de aguardar a evolução dos fatos. “Isso é algo que teremos de estudar à medida que avance a situação. Vocês conhecem a Carta Democrática da OEA e a possibilidade de sua utilização no momento em que um governo considere que há alterações em sua ordem política ou jurídica. Isso é algo que o Brasil ponderará, em seu momento, a sua utilização ou não”.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Blog do Planalto

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Campanha Brasil nos trilhos. Um ano de coragem, trabalho e avanços
Confira a nova campanha sobre os 12 meses de atuação do governo federal
Temer discute Previdência com ministros e parlamentares
Presidente recebeu neste domingo (16), no Palácio da Alvorada, autoridades para discutir a proposta de reforma da Previdência
Esclareça boatos sobre a Reforma da Previdência
O rombo previdenciário não para de crescer e pode engolir toda a nossa economia. Assista ao vídeo e entenda melhor. Não se deixe enganar
Confira a nova campanha sobre os 12 meses de atuação do governo federal
Campanha Brasil nos trilhos. Um ano de coragem, trabalho e avanços
Presidente recebeu neste domingo (16), no Palácio da Alvorada, autoridades para discutir a proposta de reforma da Previdência
Temer discute Previdência com ministros e parlamentares
O rombo previdenciário não para de crescer e pode engolir toda a nossa economia. Assista ao vídeo e entenda melhor. Não se deixe enganar
Esclareça boatos sobre a Reforma da Previdência

Últimas imagens

Candidatos devem ser brasileiros natos e terem diploma de graduação em instituição brasileira de ensino superior
Candidatos devem ser brasileiros natos e terem diploma de graduação em instituição brasileira de ensino superior
Divulgação/MRE
Mais de 2,7 mil produtos brasileiros podem se beneficiar de preferências tarifárias oferecidas pelo sistema russo
Mais de 2,7 mil produtos brasileiros podem se beneficiar de preferências tarifárias oferecidas pelo sistema russo
Foto: Ciro Saboya/Mdic
Rodoviária do Plano Piloto fica a pouco mais de 1 km dos primeiros ministérios
Rodoviária do Plano Piloto fica a pouco mais de 1 km dos primeiros ministérios
Pedro Ventura/Governo de Brasília
Esplanada conta com ciclovias para maior segurança dos usuários
Esplanada conta com ciclovias para maior segurança dos usuários
Divulgação/EBC
Provas abordam conhecimentos de língua portuguesa, história do Brasil e mundial, entre outros
Provas abordam conhecimentos de língua portuguesa, história do Brasil e mundial, entre outros
Foto: Werner Zotz/MRE
Para receber o título, é preciso que a pessoa use de forma equilibrada os recursos naturais
Para receber o título, é preciso que a pessoa use de forma equilibrada os recursos naturais
Raylton Alves/Agência Nacional de Águas
Contrato regulamenta o uso de veículos elétricos e eletropostos em regime de comodato pelo Poder Executivo
Contrato regulamenta o uso de veículos elétricos e eletropostos em regime de comodato pelo Poder Executivo
Foto: Saulo Cruz/MME
Montante pode aumentar já que o levantamento dos prejuízos ainda não foi concluído pela AGU
Montante pode aumentar já que o levantamento dos prejuízos ainda não foi concluído pela AGU
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Organizadores do ato e pessoas identificadas pela polícias poderão ser responsabilizadas
Organizadores do ato e pessoas identificadas pela polícias poderão ser responsabilizadas
Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
InovaGov é formada por 49 órgãos públicos, seis instituições privadas e uma do terceiro setor
InovaGov é formada por 49 órgãos públicos, seis instituições privadas e uma do terceiro setor
Arquivo/EBC

Governo digital