Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2011 > 04 > PAC e combate à pobreza serão as prioridades do orçamento de 2011, diz Planejamento

Infraestrutura

PAC e combate à pobreza serão as prioridades do orçamento de 2011, diz Planejamento

por Portal Brasil publicado: 18/04/2011 16h52 última modificação: 28/07/2014 13h04

De acordo com o Ministério do Planejamento, o combate a pobreza extrema e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) são as duas grandes prioridades da execução orçamentária de 2012, que foi enviada ao Congresso Nacional. A declaração foi feita pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, durante entrevista realizada na última sexta-feira (15) sobre o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

A ministra afirmou que o governo adotou postura austera na definição dos parâmetros, reafirmando assim a manutenção do câmbio flutuante, meta de inflação e superavit primário. “É mais um instrumento do governo que reafirma a importância do tripé econômico na nossa economia”, afirmou.

A principal mudança no projeto de LDO de 2012, segundo Belchior, foi a exclusão de despesas ressalvadas, as “despesas que não são obrigatórias constitucionalmente, mas têm de ser executadas integralmente”.

Essa alteração decorreu do fato de as despesas ressalvadas estarem crescendo nos últimos anos e, assim, como  têm de ser cumpridas, acabam engessando a execução orçamentária. Elas passaram de R$ 2,4 bilhões, em 2004, quando foram criadas, para R$ 10,3 bilhões em 2011. “Os gastos que permanecem sendo obrigatórios são aqueles que estão na Constituição, no âmbito de Saúde e Educação”, afirmou Miriam Belchior.

Segundo a secretária de Orçamento Federal, Célia Corrêa, em 2011, as “despesas ressalvadas” (Ciência e Tecnologia, segurança alimentar, Embrapa, controle do espaço aéreo e dívidas do Brasil com organismos internacionais) somam cerca de R$ 10 bilhões. “A nossa base de contingenciamento estava cada vez menor, porque praticamente todo orçamento estava obrigatório”, afirmou a secretaria.


Fonte:
Ministério do Planejamento

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Brasil Sem Miséria - Programa Água para Todos
Brasil Sem Miséria - Programa Água para Todos
Cisternas nas Escolas
Conheça o projeto Cisternas nas Escolas, que vai levar 5 mil cisternas às escolas do semiárido brasileiro. Arnoldo de Campos, secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS explica o projeto.
Governo dará suporte contra a crise hídrica em áreas urbanas
Deliberação foi feita nesta quarta (1º) durante reunião interministerial do Grupo de Segurança Hídrica. Ações são direcionadas para o Nordeste
Brasil Sem Miséria - Programa Água para Todos
Brasil Sem Miséria - Programa Água para Todos
Conheça o projeto Cisternas nas Escolas, que vai levar 5 mil cisternas às escolas do semiárido brasileiro. Arnoldo de Campos, secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS explica o projeto.
Cisternas nas Escolas
Deliberação foi feita nesta quarta (1º) durante reunião interministerial do Grupo de Segurança Hídrica. Ações são direcionadas para o Nordeste
Governo dará suporte contra a crise hídrica em áreas urbanas

Últimas imagens

Novo aeroporto será construído a cerca de 20 quilômetros do atual aeroporto, próximo à Rodovia CE-178
Novo aeroporto será construído a cerca de 20 quilômetros do atual aeroporto, próximo à Rodovia CE-178
Divulgação/Governo do RN
O governador do Ceará, Camilo Santana, ao lado da presidenta Dilma durante entrega das chaves de empreendimento do Minha Casa Minha Vida no município de Caucaia
O governador do Ceará, Camilo Santana, ao lado da presidenta Dilma durante entrega das chaves de empreendimento do Minha Casa Minha Vida no município de Caucaia
Roberto Stuckert Filho/PR
Será investido R$ 1,5 bilhão para aprofundamento e manutenção dos canais de acessos aos portos
Será investido R$ 1,5 bilhão para aprofundamento e manutenção dos canais de acessos aos portos
APPA
Sistema de bandeiras tarifárias sinaliza aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica
Sistema de bandeiras tarifárias sinaliza aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica
Divulgação/MME
Entre metas da proposta estão gerar conhecimento e promover o trabalho cooperativo
Entre metas da proposta estão gerar conhecimento e promover o trabalho cooperativo
Governo de SP

Governo digital