Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2011 > 11 > Chega ao Brasil primeiro navio para conversão do casco da plataforma P-74

Infraestrutura

Chega ao Brasil primeiro navio para conversão do casco da plataforma P-74

por Portal Brasil publicado: 30/11/2011 12h24 última modificação: 28/07/2014 13h13
Divulgação/ Petrobras O casco da P-74 tem capacidade de armazenamento de 1,4 milhões de barris

O casco da P-74 tem capacidade de armazenamento de 1,4 milhões de barris

O primeiro navio comprado pela Petrobras para a conversão do casco da plataforma FPSO P-74 (plataforma que produz, armazena e transfere petróleo, na sigla em inglês) chegou ao Rio de Janeiro na terça-feira (29). Será a primeira conversão destinada aos campos da cessão onerosa, no pré-sal da Bacia de Santos. O FPSO será instalado na área de Franco e deverá ter capacidade para processar 150 mil barris de petróleo por dia.

O navio, um petroleiro do tipo VLCC (Very Large Crude Carrier), partiu da Indonésia no dia 24 de outubro. Sem escalas e por propulsão própria, passou pelo sul da África e cruzou o Oceano Atlântico até a cidade do Rio de Janeiro. A embarcação, já renomeada de “Petrobras 74”, ficará atracada no porto do Rio, onde serão realizadas avaliações prévias. A previsão de início da obra de conversão do casco é junho de 2012.

A conversão do casco será realizada no Estaleiro Inhaúma, arrendado pela Petrobras, no Rio de Janeiro. Localizado no bairro do Caju, ele está sendo totalmente revitalizado para atender a esta e a outras demandas da companhia. Durante a conversão, segundo a Petrobras, destacam-se obras como o reforço estrutural do casco, a ampliação, reforma e adaptação das acomodações, a substituição de instalações, equipamentos e utilidades, a adaptação do sistema de ancoragem, entre outras. A Petrobras estima que as atividades de conversão do casco da P-74 devem gerar cerca de 2.500 empregos diretos no pico da obra.


Outros navios

Além da P-74, outros três navios destinados à conversão de cascos para unidades da cessão onerosa virão da Malásia e receberão os nomes de P-75, P-76 e P-77. As obras de conversão destes cascos também serão realizadas no Estaleiro Inhaúma.

Essas embarcações também são do tipo VLCC e devem chegar ao Brasil entre 2012 e 2013. 


Próximos passos 

A Petrobras está conduzindo a licitação para a obra de conversão dos cascos e prevê a assinatura deste contrato ainda no primeiro semestre de 2012.

Para a construção dos módulos da planta de produção e processamento de petróleo e gás, bem como a integração destes, a companhia deverá iniciar outra licitação no primeiro semestre de 2012.

Segundo a Petrobras, as obras para a construção das plataformas da cessão onerosa terão alto índice de conteúdo nacional. A conversão dos cascos, mais a construção dos módulos e integração destas unidades, deverão gerar no Brasil, aproximadamente, 11.400 empregos diretos.


Cessão onerosa

A cessão onerosa é um conjunto de áreas localizadas na província pré-sal da Bacia de Santos, que foram transferidas onerosamente pela União à Petrobras. Conforme estabelecido na Lei 12.276, de 30 de junho de 2010, a companhia terá o direito de explorar e produzir até cinco bilhões de barris de óleo equivalente nestas áreas. A Petrobras remunerou a União pelo direito de exercício das atividades de pesquisa e produção de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluidos destas áreas.


Fonte:
Petrobras

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Cisternas nas Escolas
Conheça o projeto Cisternas nas Escolas, que vai levar 5 mil cisternas às escolas do semiárido brasileiro. Arnoldo de Campos, secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS explica o projeto.
Governo dará suporte contra a crise hídrica em áreas urbanas
Deliberação foi feita nesta quarta (1º) durante reunião interministerial do Grupo de Segurança Hídrica. Ações são direcionadas para o Nordeste
Bandeira das tarifas de energia de abril será vermelha
Na prática, classificação significa que os consumidores terão um custo extra des R$ 5,50 a cada 100 kWh consumidos
Conheça o projeto Cisternas nas Escolas, que vai levar 5 mil cisternas às escolas do semiárido brasileiro. Arnoldo de Campos, secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS explica o projeto.
Cisternas nas Escolas
Deliberação foi feita nesta quarta (1º) durante reunião interministerial do Grupo de Segurança Hídrica. Ações são direcionadas para o Nordeste
Governo dará suporte contra a crise hídrica em áreas urbanas
Na prática, classificação significa que os consumidores terão um custo extra des R$ 5,50 a cada 100 kWh consumidos
Bandeira das tarifas de energia de abril será vermelha

Últimas imagens

Açude foi construído ainda no século 19 a pedido do Governo Imperial para combater seca dos anos de 1877/79
Açude foi construído ainda no século 19 a pedido do Governo Imperial para combater seca dos anos de 1877/79
Divulgação/Dnocs
Empreendimento localizado em Canoas (RS) operava em ciclo simples com potência instalada de 161 MW
Empreendimento localizado em Canoas (RS) operava em ciclo simples com potência instalada de 161 MW
Divulgação/ Petrobras
Projeto de Iracema - Sapeaçu e subestações associadas prevê 1.854,51 km de linhas de transmissão ao País
Projeto de Iracema - Sapeaçu e subestações associadas prevê 1.854,51 km de linhas de transmissão ao País
Divulgação/ Ibama
Sistema de Bandeiras Tarifárias apresentam, de maneira didática, ao consumidor custos da energia em função das condições de geração
Sistema de Bandeiras Tarifárias apresentam, de maneira didática, ao consumidor custos da energia em função das condições de geração
Divulgação/ Aneel
Programa socioambiental desenvolvido no interior do Paraná garante ao Brasil uma premiação inédita
Programa socioambiental desenvolvido no interior do Paraná garante ao Brasil uma premiação inédita
Divulgação/Itaipu

Governo digital