Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2011 > 12 > Carvão mineral recebe investimentos em tecnologia

Infraestrutura

Carvão mineral recebe investimentos em tecnologia

Carvão mineral

As reservas provadas do País, situadas na região Sul, são suficientes para mais 500 anos
por Portal Brasil publicado: 14/12/2011 12:49 última modificação: 18/08/2013 16:02
Joerg Burkhardt/SXC Carvão mineral é o recurso energético mais abundante do planeta

Carvão mineral é o recurso energético mais abundante do planeta

Carvão mineral é um sedimento fóssil orgânico, sólido, combustível, formado de restos de vegetais solidificados por baixo de camadas geológicas, durante milhões de anos.

Dos combustíveis fósseis, o carvão mineral é o mais abundante na natureza. O carvão participa com 27% na matriz energética mundial, perdendo apenas para o petróleo, com 33% de participação.

O carvão é, também, o energético com maior indicador de emissão de CO2. Para cada tep (toneladas equivalentes de petróleo) de carvão consumido na geração elétrica são emitidos perto de 4 toneladas de CO2. No caso de petróleo e derivados, as emissões de CO2 ficam próximas de 3 toneladas por cada tep consumido.

No Brasil, o carvão mineral participa com um pouco mais de 5% na matriz energética e com apenas 1,3% na matriz elétrica. O principal uso do carvão ocorre na indústria siderúrgica e para geração elétrica. O carvão mineral brasileiro é considerado de baixa qualidade, com alto teor de cinzas e baixo conteúdo de carbono, o que inviabiliza a sua utilização fora das regiões das jazidas. Por isso, mais de 98% do produto é importado.

As reservas de carvão do País estão situadas na região Sul, sendo que apenas as reservas provadas são suficientes para mais 500 anos.

Investimentos vêm sendo realizados em desenvolvimento tecnológico, focados na redução de impurezas, na diminuição de emissões das partículas com nitrogênio e enxofre (NOx e SOx) e na redução da emissão de CO2, por meio da captura e armazenamento de carbono.

Fontes:
Balanço Energético Nacional 2010 e Resenha Energética 2011 (Ministério de Minas e Energia)
Plano Decenal de Expansão de Energia
Centro de Tecnologia Mineral (CETEM)
Associação Brasileira do Carvão Mineral (ABCM)
Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) 
Atlas de Energia Elétrica no Brasil da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil