Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2014 > 11 > Edificações terão certificação de eficiência energética

Infraestrutura

Edificações terão certificação de eficiência energética

Novo selo Procel

Para obter chancela, empreendedor ou construtor deve submeter sua construção a um organismo de inspeção
por Portal Brasil publicado: 23/11/2014 10h41 última modificação: 23/11/2014 10h41

A Eletrobras lança, no próximo dia 26, quarta-feira, o Selo Procel Edificações, que vai medir o grau de eficiência energética das edificações brasileiras.

A ferramenta seguirá o mesmo conceito do Selo Procel para Equipamentos e Eletrodomésticos, que completa, na mesma data, 20 anos de implantação.

“Na esteira desse sucesso, estamos lançando o Selo Procel Edificações, que tem a mesma lógica, que é premiar os melhores na sua categoria”, afirma o gerente do Departamento de Projetos de Eficiência Energética da Eletrobras, Fernando Perrone.

Para a obtenção do selo, o empreendedor ou construtor deve submeter a um organismo de inspeção o seu projeto ou o edifício construído.

Serão analisados três sistemas que abrangem a envoltória, isto é, a parte de fachadas e telhados; a iluminação; e o condicionamento de ar.

O Selo Procel Edificações será concedido aos empreendimentos que atingirem a classe A, considerada a mais alta em termos de eficiência energética, em cada um dos três sistemas.

A avaliação ocorre em duas etapas que envolvem o projeto e a fase após a construção.

“O Selo Procel vai ser concedido àqueles que obtiverem, no mínimo, o triplo A. Esta é a condição. É o critério de excelência, onde você premia os melhores na sua categoria”.

Além disso, os premiados recebem uma bonificação, caso implementem no projeto ou construção concluída  inovações sustentáveis, do tipo reúso de água, aquecimento solar térmico, painel fotovoltaico para geração de eletricidade para consumo da unidade habitacional. “Tudo com viabilidade econômica”.

Ainda segundo o gerente da Eletrobras, a média nacional atual de eficiência energética das edificações é muito baixa, situando-se entre os níveis C e D.

Esclareceu também que se um novo projeto conseguir uma classificação A , que é pré-requisito para o selo, a economia de energia durante o ciclo de vida da edificação, que dura entre 50 e 60 anos, com benefício para o consumidor, poderá ser da ordem de 50% na conta de luz do usuário.

Para edificações já construídas que passem por um retrofit, isto é, por uma modernização das instalações, o ganho em termos de economia de energia pode atingir 30% para o restante do ciclo de vida do empreendimento.

Fernando Perrone explicaque o maior potencial de economia ocorre na fase de projeto.

Isso pode ser obtido privilegiando-se o uso de recursos naturais, pela orientação da edificação em relação à insolação ou ventilação, que reduz a necessidade de ventilação ou condicionamento artificial, bem como de iluminação artificial.

“Privilegiando a questão dos recursos naturais, você tem ganhos de economia de energia elétrica no final do mês, para o consumidor. É algo que está intrínseco ao modo como a edificação foi projetada."

Perrone acrescentou que ao passar, por exemplo, da classe D para a A em termos de eficiência energética, dependendo do uso da edificação, isso produz uma economia de energia que pode variar de 21% a 34% na conta de luz do usuário.

Nova ferramenta

Durante a solenidade de lançamento da nova ferramenta do Programa de Eficiência Energética (Procel), administrado pela Eletrobras, o Selo Procel Edificações será concedido a nove edificações.

Das nova, sete são relativas a projetos e duas para edificações já concluídas da Eletrosul, que são o edifício sede, localizado em Florianópolis (SC), que passou por retrofit; e a nova construção do setor de manutenção da empresa, situado no município de Campos Novos, no mesmo estado.

O gerente de Projetos de Eficiência Energética da Eletrobras informou que a estatal está em tratativas bastante avançadas para ampliação do número de organismos de inspeção dos atuais três para cinco, além de tornar o Selo Procel Edificações uma referência no País para certificações desse tipo.

Fonte:

Agência Brasil 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Brasil Sem Miséria - Programa Água para Todos
Brasil Sem Miséria - Programa Água para Todos
Cisternas nas Escolas
Conheça o projeto Cisternas nas Escolas, que vai levar 5 mil cisternas às escolas do semiárido brasileiro. Arnoldo de Campos, secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS explica o projeto.
Governo dará suporte contra a crise hídrica em áreas urbanas
Deliberação foi feita nesta quarta (1º) durante reunião interministerial do Grupo de Segurança Hídrica. Ações são direcionadas para o Nordeste
Brasil Sem Miséria - Programa Água para Todos
Brasil Sem Miséria - Programa Água para Todos
Conheça o projeto Cisternas nas Escolas, que vai levar 5 mil cisternas às escolas do semiárido brasileiro. Arnoldo de Campos, secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS explica o projeto.
Cisternas nas Escolas
Deliberação foi feita nesta quarta (1º) durante reunião interministerial do Grupo de Segurança Hídrica. Ações são direcionadas para o Nordeste
Governo dará suporte contra a crise hídrica em áreas urbanas

Últimas imagens

O objetivo é criar mecanismos para universalizar a internet de alta velocidade, reforçar a infraestrutura de acesso e incentivar os investimentos no setor
O objetivo é criar mecanismos para universalizar a internet de alta velocidade, reforçar a infraestrutura de acesso e incentivar os investimentos no setor
Desde 2009, Programa já entregou mais de 2,6 milhões de moradias
Desde 2009, Programa já entregou mais de 2,6 milhões de moradias
Divulgação/Ministério das Cidades
Programa já alcançou 96% dos municípios brasileiros, 5.330 cidades diferentes
Programa já alcançou 96% dos municípios brasileiros, 5.330 cidades diferentes
Iano Andrade/Portal Brasil
Terceira fase do programa vai contratar mais 2 milhões de moradias, a serem construídas até 2018
Terceira fase do programa vai contratar mais 2 milhões de moradias, a serem construídas até 2018
Divulgação/Blog do Planalto
Seminário discutirá a necessidade de adaptar o sistema de  mobilidade urbana para reduzir as emissões de gases poluentes
Seminário discutirá a necessidade de adaptar o sistema de mobilidade urbana para reduzir as emissões de gases poluentes
Divulgação/EBC

Governo digital