Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2015 > 04 > Água para Todos garante abastecimento a 5 milhões no Semiárido

Infraestrutura

Água para Todos garante abastecimento a 5 milhões no Semiárido

Abastecimento

Programa já permitiu a construção 1,1 milhão de cisternas para atender famílias de baixa renda; Desde 2011, 823 mil foram construídas
por Portal Brasil publicado: 29/04/2015 15h20 última modificação: 29/04/2015 15h20

Na última década, o programa Água para Todos, do governo federal, promoveu uma revolução na vida de milhões de brasileiros que vivem na região do Semiárido, no Nordeste e Sudeste. Desde 2003, 1 milhão e 100 mil cisternas foram construídas em 10 estados da região, garantindo o abastecimento de água para o consumo e a produção de alimentos de mais de 5 milhões de pessoas que vivem em zonas rurais carentes.

Info cisternas

Segundo dados do Ministério da Integração Nacional (MI), pasta hoje responsável pela coordenação do projeto, de 2011 a março de 2015, foram construídas mais de 823 mil cisternas voltadas para o consumo. O número corresponde a 13,1 bilhões de litros de água em capacidade de armazenamento. No mesmo período, outras 110 mil foram construídas para a produção de alimentos. O investimento é de R$ 4,2 bilhões, segundo o MI.

O sertanejo Raimundo Rodrigues Pessoa, de 48 anos, morador de Itapipoca, no Ceará, viu a vida da família mudar em 2010, quando uma cisterna para consumo foi construída em casa. Acostumados a passar por longos períodos de seca, os filhos e a mulher sofriam com o consumo de água contaminada. "Hoje minha água mineral é a minha cisterna", diz a esposa de Raimundo, Maria das Dores Soares, de 44 anos.

Dois anos depois, uma cisterna para a produção alimentar abriu as portas para Raimundo plantar e vender abacaxi, cebolinha, chuchu e banana. A renda da família aumentou para mais de R$ 1 mil por mês. Com a melhora nas condições de produção, Raimundo também passou a criar porcos e galinhas. "Nunca imaginei um quintal com tanta comida", conta o agricultor.

A tecnologia é simples e de baixo custo: a água da chuva é captada do telhado por meio de calhas e armazenada nas cisternas construídas com placas de cimento, permitindo que uma família de até cinco pessoas possa ter água para beber e comer por até oito meses.

"Se uma pessoa usar um satélite e abrir o mapa daqui, ela vai ver que está cheio de pontos verdes. Esses pontos são plantações no meio do Semiárido. Isso só foi possível por causa das cisternas", atesta o agricultor familiar Abelmanto Carneiro de Oliveira, de 42 anos, em depoimento ao Portal Brasil. Morador de Riachão do Jacauípe, na Bahia, Abelmanto afirma que a construção das cisternas mudou a rotina da região e a ajudou a reduzir o êxodo rural. "Vejo agricultores voltando para o campo com liberdade para trabalhar naquilo que mais gostam", diz ele.

Casado e pai de uma menina, Abelmanto foi contemplado com a construção de uma cisterna para produção alimentar em 2008. De lá para cá, apostou na diversificação. "Garanto uma alimentação saudável para minha família e vendo a produção excedente. Aqui eu planto cebolinha, alface, coentro, quiabo, beterraba, cenoura, melancia, manga... A lista é grande", brinca ele. A família também cria 47 cabras e ovelhas e 45 galinhas.

O Programa tem duas diretrizes. Pelo Primeira Água, são construídas cisternas de 16 mil litros para captação e armazenamento de água para consumo. Participam famílias com renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa ou renda total de até três salários mínimos. Já o Segunda Água amplia a captação de água para 52 mil litros por unidade e atende a produção do pequeno agricultor que atua no Semiárido. Fazem parte do programa apenas famílias beneficiadas pelo Primeira Água.

Segundo o titular da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS (Sesan), Arnoldo de Campos, as tecnologias de água para produção são prioridade do Água para Todos. "Com essa tecnologia os agricultores garantem o sustento da própria família e também podem comercializar o excedente, gerando renda. Para Campos, as cisternas são fundamentais para a produção da agricultura familiar. "Precisamos avançar mais na construção desses reservatórios e integrar essa ação a outras políticas de apoio", observa Campos.”

O projeto faz parte do Plano Brasil Sem Miséria e foi concebido a partir da necessidade da universalização do acesso e do uso da água para populações carentes e o reforço da segurança alimentar. Integram o programa os ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e do Meio Ambiente (MMA), com o apoio da Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), da Fundação Banco do Brasil (FBB), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Petrobras, da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF), do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) e os Estados.

Info cisternas II

Fonte:
Portal Brasil 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Governo anuncia recursos nas áreas de habitação e saneamento no Rio de Janeiro
O estado do Rio de Janeiro receberá investimentos nas áreas de habitação, contenção de encostas e saneamento
Cadastramento biométrico vai aumentar a segurança na transmissão de dados
Termo de Cooperação assinado pelo Departamento Nacional de Trânsito vai aumentar a segurança na transmissão de dados e otimizar recursos
Novas regras vão facilitar embarque e desembarque em aeroportos
Governo elabora conjunto de orientações para eliminar os obstáculos e reduzir o tempo de espera no embarque e desembarque nos aeroportos
O estado do Rio de Janeiro receberá investimentos nas áreas de habitação, contenção de encostas e saneamento
Governo anuncia recursos nas áreas de habitação e saneamento no Rio de Janeiro
Termo de Cooperação assinado pelo Departamento Nacional de Trânsito vai aumentar a segurança na transmissão de dados e otimizar recursos
Cadastramento biométrico vai aumentar a segurança na transmissão de dados
Governo elabora conjunto de orientações para eliminar os obstáculos e reduzir o tempo de espera no embarque e desembarque nos aeroportos
Novas regras vão facilitar embarque e desembarque em aeroportos

Últimas imagens

Cerca de 2 mil pessoas foram beneficiadas com a entrega das unidades habitacionais, avaliadas em R$ 56 mil cada. O empreendimento custou, no total, R$ 28,2 milhões
Cerca de 2 mil pessoas foram beneficiadas com a entrega das unidades habitacionais, avaliadas em R$ 56 mil cada. O empreendimento custou, no total, R$ 28,2 milhões
Foto: Bruno Peres/Ministério das Cidades
Em 2016, foram transportadas 84,6 milhões de toneladas de cargas pelas hidrovias interiores
Em 2016, foram transportadas 84,6 milhões de toneladas de cargas pelas hidrovias interiores
Danilo Borges/Ministério dos Transportes
Segundo ministro, até o fim do primeiro semestre de 2018, as águas estarão na última estrutura do Eixo Norte
Segundo ministro, até o fim do primeiro semestre de 2018, as águas estarão na última estrutura do Eixo Norte
Arquivo/PAC
A previsão para o ano de 2017 é de que a demanda total de energia deve crescer cerca de 1,5%
A previsão para o ano de 2017 é de que a demanda total de energia deve crescer cerca de 1,5%
Foto: Vanderlei Tacchio/Eletrosul

Governo digital