Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2016 > 03 > Bagé, no interior gaúcho, prepara retomada de voos regulares

Infraestrutura

Bagé, no interior gaúcho, prepara retomada de voos regulares

Aviação Civil

Terminal de Bagé é um dos 15 aeroportos gaúchos contemplados pelo Programa de Aviação Regional
publicado: 03/03/2016 15h51 última modificação: 03/03/2016 16h28

A cidade gaúcha de Bagé prepara a retomada de voos comerciais no Aeroporto Comandante Gustavo Kraemer. Em audiência na tarde desta quarta-feira (2), o secretário de Aeroportos da Secretaria de Aviação da Presidência da República, Leonardo Cruz, reuniu-se com o prefeito de Bagé (RS), Dudu Colombo, para tratar do andamento da retomada dos voos e próximos passos do projeto de reforma e ampliação do aeródromo regional. Bagé fica a cerca de 400 km de Porto Alegre, perto da fronteira do Brasil com o Uruguai.

De acordo com o Estudo de Viabilidade Técnica, os investimentos previstos incluem a construção de área de giro nas cabeceiras da pista de pouso, ampliação do pátio de aeronaves para quatro posições, construção de nova seção contraincêndio e adequações para ampliar a capacidade de operação com aeronaves de médio porte.

A revitalização do aeroporto encontra-se em fase de estudos preliminares, quando se definem detalhes do projeto de engenharia e o investimento necessário para a execução das obras. Segundo o secretário Leonardo Cruz, o novo aeroporto deve impactar a economia, o comércio e o turismo da cidade e região. “A conectividade aérea induz as economias regionais a um salto de desenvolvimento”, defende.

Companhias aéreas com interesse de expandir a malha de voos no Rio Grande do Sul já estudam a criação de uma frequência regular entre Bagé e a capital do Estado, Porto Alegre. O aeroporto, administrado pela Infraero, encontra-se aberto para aviação geral, táxi aéreo e voos charters.

Conexão regional

O terminal de Bagé é um dos 15 aeroportos gaúchos contemplados pelo Programa de Aviação Regional da Secretaria de Aviação da Presidência da República. O programa foi criado em dezembro de 2012 com o objetivo de conectar o Brasil e levar desenvolvimento e serviços sociais a lugares distantes das capitais brasileiras. A Secretaria vai investir cerca de R$ 7,3 bilhões na construção ou reforma de 270 aeroportos em todo o território nacional.

Mais de 40 milhões de brasileiros vivem, hoje, a centenas de quilômetros do aeroporto mais próximo da região. O programa trabalha para encurtar essas distâncias, aproximando moradores e turistas dos aeroportos brasileiros. O objetivo é que 96% da população esteja a, no máximo, cem quilômetros de um terminal aeroportuário.

O investimento é do Fundo Nacional da Aviação Civil (Fnac), composto por taxas e outorgas da aviação, e que só pode ser investido de volta no próprio setor. A contratação das empresas responsáveis pelos estudos e obras é feita diretamente pelo governo federal, sem repasse de verbas a estados e municípios.

Fonte: Secretaria de Aviação Civil 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Erro
Ocorreu um erro enquanto renderizando o portlet.

Últimas imagens

Melhor navegabilidade da bacia do Tocantins-Araguaia também vai favorecer pequenas comunidades agrícolas
Melhor navegabilidade da bacia do Tocantins-Araguaia também vai favorecer pequenas comunidades agrícolas
Foto: Divulgação/Ministério da Integração
Ministro das Cidades, Bruno Araújo, participa de evento do programa Minha Casa Minha Vida, que beneficiou cerca de 360 famílias em São Paulo
Ministro das Cidades, Bruno Araújo, participa de evento do programa Minha Casa Minha Vida, que beneficiou cerca de 360 famílias em São Paulo
Divulgação/Ministério das Cidades
A iniciativa possibilitará uma oferta maior de água para as populações rurais atingidas pela estiagem e seca.
A iniciativa possibilitará uma oferta maior de água para as populações rurais atingidas pela estiagem e seca.
Foto: Adriana Fortes/MD
Na cerimônia, 480 casas do Residencial Maria Pires Perillo foram entregues.
Na cerimônia, 480 casas do Residencial Maria Pires Perillo foram entregues.
Divulgação/ministério das Cidades
A Aneel fiscalizará o custo, que a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) deverá cobrir para garantir as adequações.
A Aneel fiscalizará o custo, que a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) deverá cobrir para garantir as adequações.
Foto: Renato Sette Câmara/Prefeitura do Rio

Governo digital