Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2016 > 03 > Ministro das Cidades e atleta paralímpico testam e aprovam VLT do Rio

Infraestrutura

Ministro das Cidades e atleta paralímpico testam e aprovam VLT do Rio

Olimpíada

O investimento é R$ 1,157 bilhão, sendo R$ 532 milhões de recursos federais e R$ 625 milhões por meio de parceria público-privada da prefeitura do Rio
por Portal Brasil publicado: 08/03/2016 12h37 última modificação: 09/03/2016 10h28

Atleta paralímpico e morador do Rio de Janeiro, Jonas Licurgo Ferreira, 46 anos, pôs à prova a acessibilidade de um dos projetos de mobilidade urbana pensados como legado dos Jogos Rio 2016. Campeão parapan-americano no lançamento de dardo em Toronto 2015, ele fez um "test drive" no Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) que ligará o Centro da capital fluminense e a região portuária da sede dos Jogos 2016. 

A implantação do novo meio de transporte tem custo avaliado em R$ 1,157 bilhão, sendo R$ 532 milhões de recursos federais e R$ 625 milhões viabilizados por meio de parceria público-privada (PPP) da prefeitura do Rio.

De cadeira de rodas, o atleta passou pela Praça Mauá e acessou a rampa que leva à plataforma do VLT. Acionando um botão que fica na lateral do vagão, em uma altura adequada aos cadeirantes, ele abriu a porta e entrou no trem.

“Independentemente de a obra ainda estar em andamento, nós temos uma acessibilidade muito boa. A distância entre o trem e a plataforma é ideal. Não tive dificuldade para me locomover dentro do trem, e o local para a cadeira se encaixar é adequado”, avaliou Licurgo. O piso da plataforma é antiderrapante e conta com sinalização tátil para deficientes visuais.

“A vinda da Olimpíada e Paralimpíada está trazendo uma mudança radical para o Rio de Janeiro, inclusive na acessibilidade. Isso aqui mudou muito. Vai ser um legado para a gente. A gente viu a mudança no BRT, agora com o VLT também”, completou o atleta.

Os primeiros testes com o VLT do Rio de Janeiro estão sendo realizados, e a previsão é que o trajeto entre a Rodoviária e o aeroporto Santos Dumont entre em operação no próximo mês. Serão 18 paradas e uma estação no trecho. O ministro das Cidades, Gilberto Kassab, o prefeito Eduardo Paes e o secretário nacional de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser, acompanharam a visita, realizada nesta segunda-feira (7). 

VLT do Rio

As autoridades embarcaram na Parada dos Museus, ao lado da Praça Mauá, e seguiram até a Parada Utopia. “Evidentemente que a cidade do Rio de Janeiro, com a conclusão dessas intervenções, transforma-se, tem um novo marco. O governo federal dá todo apoio e comparece com recursos, porque é o nosso papel, a nossa vocação, essa parceria com os municípios e com os Estados, notadamente no campo da infraestrutura”, disse Kassab.

A segunda etapa de implantação do projeto vai ligar a Central do Brasil à Praça 15 e está marcada para ser concluída no segundo semestre deste ano. Ao todo, o sistema terá 28 Km, 29 paradas abertas e três estações fechadas. O VLT conectará trens, metrô, barcas, teleférico, BRTs, ônibus convencionais, rodoviária, terminal de cruzeiros marítimos e aeroporto em uma malha que vai funcionar de segunda a domingo, 24 horas.

“Quando a gente fez o plano dos Jogos, a gente levou em conta todo esse planejamento estratégico da cidade, de revitalização do porto, junto à prefeitura. Aqui temos uma prova disso”, apontou Ricardo Leyser.

No VLT, serão 32 trens, com capacidade de transporte de 420 passageiros por composição. O sistema chegará a até 300 mil passageiros por dia quando entrar em operação plena. A distância média entre as paradas será de 400 metros. 

O tempo máximo de espera entre um trem e outro vai variar de 3 a 15 minutos, de acordo com a linha. Os trens não têm fios superiores em rede aérea e são alimentados por duas fontes de energia: um terceiro trilho energizado e supercapacitores.

Linha 4 do metrô

Kassab também visitou, na tarde desta segunda-feira, a futura estação São Conrado da linha 4 do metrô da cidade, que vai ligar Ipanema à Barra da Tijuca. Acompanhado do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e do diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), José Henrique Paim, ele percorreu as instalações, que estão em fase final de acabamento. 

A nova linha terá 16 quilômetros de extensão, com seis estações: Nossa Senhora da Paz (Ipanema), Jardim de Alah, Antero de Quental, Gávea, São Conrado e Jardim Oceânico (Barra). É uma obra do governo do Estado que integra o Plano de Políticas Públicas dos Jogos Rio 2016, com investimento total de R$ 9,77 bilhões. Desse valor, 6,6 bilhões vêm de financiamento federal via BNDES e já foram autorizados. Outros R$ 989 milhões, segundo o governador Pezão, estão sendo pedidos ao BNDES para a reta final.

“Desses R$ 989 milhões, R$ 489 milhões são para terminar a obra da fase Olimpíada, até a Barra da Tijuca, e mais 500 milhões para entregar a estação da Gávea”, explicou Pezão.

Segundo o governo do Estado, a linha 4 é a maior obra de infraestrutura em andamento na América Latina e emprega mais de 9 mil trabalhadores. A nova linha vai transportar 300 mil pessoas por dia, retirando das ruas cerca de 2 mil veículos por hora no período de pico de trânsito. Quando estiver em pleno funcionamento, será possível ir da Barra a Ipanema em 13 minutos e da Barra ao Centro em 34 minutos. O passageiro poderá utilizar todo o sistema metroviário pagando apenas uma passagem. 

“O governo federal tem, com a cidade e com o estado do Rio de Janeiro, parcerias transformadoras, desde as que estão vinculadas aos Jogos Olímpicos até as que não estão vinculadas. E esta obra do metrô é a mais emblemática de todas, porque é muito significativa em relação aos Jogos e também é legado da Olimpíada para a cidade e o Estado”, disse Kassab, ressaltando que está confiante na entrega da obra no prazo.

Metro do Rio

Cronograma

De acordo com o secretário de Estado de Transportes, Rodrigo Vieira, a obra está dentro do cronograma, e falta um trecho de cerca de 150 metros para a finalização das escavações da linha. Com 90% de conclusão dos trabalhos, diversos testes já estão sendo realizados. 

“Estamos testando a subestação elétrica que vai abastecer a Linha 4, que fica num prédio ao lado desta estação [São Conrado]. Os testes vão sendo realizados de forma individual e depois são integrados, isso até maio. Em junho, já teremos trens passando e, em julho, a previsão é abrir essa linha [para a população], com operação assistida. Depois, o horário é ampliado, assim como a capacidade da linha”, explicou Rodrigo Vieira.

A estação São Conrado está praticamente finalizada. “Estamos na fase de acabamento. Os sistemas estão sendo instalados e aqui já podem ser vistas as escadas rolantes, os elevadores, as esteiras sendo montadas e todo o sistema de iluminação e ventilação, que já está pronto”, disse o secretário de transportes.

Ele acrescentou que todas as estações estarão funcionando ao mesmo tempo, com exceção da estação Gávea, que tem previsão de entrega para 2017. O plano de operação para os Jogos Olímpicos, ainda de acordo com o secretário, está em discussão entre o Comitê Rio 2016 e a prefeitura, e o metrô estará operacional para atender a esse plano.

A nova linha será fundamental durante os Jogos. A recomendação para quem segue do Centro da cidade, da Tijuca e da Zona Sul em direção à Barra para as competições é utilizar a linha 4 do metrô até a estação Jardim Oceânico e fazer a conexão com o BRT (Transoeste), que vai levar o espectador até o Parque Olímpico e aos outros locais de competição na Barra da Tijuca.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Brasil 2016

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Defesa Civil Nacional e Google emitirão avisos sobre desastres no Brasil
Parceria do governo federal com o Google vai permitir que as pessoas tenham informações em tempo real
Governo anuncia construção de 11 mil moradias do MCMV
Ministério das Cidades anunciou a construção de mais de 11 mil moradias do MCMV, durante balanço nesta quinta-feira (2)
DF e mais 6 estados passam a ter 9 dígitos no celular
Começa a valer o nono dígito para números de celulares da região Centro-Oeste e três estados da região Norte.
Parceria do governo federal com o Google vai permitir que as pessoas tenham informações em tempo real
Defesa Civil Nacional e Google emitirão avisos sobre desastres no Brasil
Ministério das Cidades anunciou a construção de mais de 11 mil moradias do MCMV, durante balanço nesta quinta-feira (2)
Governo anuncia construção de 11 mil moradias do MCMV
Começa a valer o nono dígito para números de celulares da região Centro-Oeste e três estados da região Norte.
DF e mais 6 estados passam a ter 9 dígitos no celular

Últimas imagens

Trajeto será entre o Aeroporto Santos Dumont e a Parada dos Navios, próxima ao terminal de cruzeiros na zona portuária
Trajeto será entre o Aeroporto Santos Dumont e a Parada dos Navios, próxima ao terminal de cruzeiros na zona portuária
Divulgação/EBC
Objetivo da medida é aumentar a segurança nas estradas, reduzindo o número de acidentes frontais
Objetivo da medida é aumentar a segurança nas estradas, reduzindo o número de acidentes frontais
Divulgação/EBC
Empreendimentos contam com rede de água, esgoto energia elétrica e iluminação pública, além de área de lazer
Empreendimentos contam com rede de água, esgoto energia elétrica e iluminação pública, além de área de lazer
Divulgação/Minha Casa Minha Vida
Melhor navegabilidade da bacia do Tocantins-Araguaia também vai favorecer pequenas comunidades agrícolas
Melhor navegabilidade da bacia do Tocantins-Araguaia também vai favorecer pequenas comunidades agrícolas
Foto: Divulgação/Ministério da Integração
Ministro das Cidades, Bruno Araújo, participa de evento do programa Minha Casa Minha Vida, que beneficiou cerca de 360 famílias em São Paulo
Ministro das Cidades, Bruno Araújo, participa de evento do programa Minha Casa Minha Vida, que beneficiou cerca de 360 famílias em São Paulo
Divulgação/Ministério das Cidades

Governo digital