Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2016 > 03 > Terminais portuários do Pará terão R$ 167 mi em novos investimentos

Infraestrutura

Terminais portuários do Pará terão R$ 167 mi em novos investimentos

Logística

"O governo está construindo um ambiente favorável ao investimento”, disse o ministro da Secretaria de Portos, Helder Barbalho
por Portal Brasil publicado: 03/03/2016 16h14 última modificação: 08/09/2016 18h09
Foto: Portal Brasil Com os novos investimentos, o Pará se fortalece como a mais competitiva rota logística para escoar a safra de produtores da Região Centro-Oeste

Com os novos investimentos, o Pará se fortalece como a mais competitiva rota logística para escoar a safra de produtores da Região Centro-Oeste

O ministro Helder Barbalho, da Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP) oficializou o ingresso de mais R$ 167 milhões de investimentos privados para o setor portuário no Estado do Pará. Segundo ele, “o governo está construindo um ambiente favorável ao investimento”.

Com a assinatura de dois termos aditivos nesta quinta-feira (3), a SEP permite a expansão dos projetos de futuros terminais da Hidrovias do Brasil (HBSA) em construção no Porto de Vila do Conde, no município de Barcarena, e em Miritituba, distrito do município de Itaituba. No total, o investimento para implantar o maior complexo portuário para escoamento de grãos do Centro-Oeste agora alcançará R$ 872 milhões.

A solenidade de autorização dos novos investimentos foi realizada durante o seminário “Setor Portuário: Desafios e Oportunidades”, em Belém. O objetivo do evento foi o de apresentar a empresários a carteira de investimentos da SEP, entre as quais o leilão de arrendamento de seis áreas para terminais portuários que serão ofertadas em dia 31 de março na BM&FBovespa, em São Paulo.

“Essa agenda de licitação de portos é uma oportunidade singular para a economia do Pará”, afirmou o ministro durante sua palestra no seminário. “É importante que essas oportunidades também possam ser abraçadas por empresários locais”.

Com os novos investimentos, o Pará se fortalece como a mais competitiva rota logística para escoar a safra de produtores da região Centro-Oeste. “A alternativa do Arco Norte está consolidada e é seguramente o caminho para o desenvolvimento da nossa economia”, enfatizou Helder Barbalho. Animado, ele continuou: “Crise no setor portuário não existe, e particularmente no Pará. O movimento é de crescimento continuado.”

Em sua apresentação, Helder Barbalho anunciou que Miritituba foi o porto que mais cresceu no Estado, registrando expansão de 24,9% na movimentação de cargas entre 2010 e 2015, bem mais do que o percentual de aumento da região Norte, de 14,3%.

O ministro enfatizou a necessidade de integração dos portos com os modais ferroviário, hidroviário e rodoviário. “Estou na atividade portuária mas tenho feito todos os esforços para que essas ações sejam concretizadas”, disse Barbalho. Um dos exemplos citados por Helder Barbalho foi o da ferrovia Lucas do Rio Verde (MT) a Miritituba (PA).

“Estamos realizando seis leilões agora e vamos prosseguir logo depois com mais 20 áreas, 14 delas no Estado do Pará. Portanto, o Arco Norte colocará o Pará em protagonismo”, frisou o ministro.

No seminário, o secretário do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Maurício Muniz, falou sobre os investimentos do Programa de Investimentos em Logística (PIL), coordenado pelo Ministério do Planejamento, e elogiou os avanços registrados nos últimos meses no programa de concessão de portos.

Fonte: Secretaria de Portos

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa de Parcerias de Investimentos atualiza processo de concessões
Entre as mudanças, está a necessidade dos editais possuírem aval do Tribunal de Contas da União
Governo lança programa para revitalizar São Francisco
Rio é o maior corpo d'água totalmente brasileiro e é usado como rota de transporte e força motriz para geração de energia
Minha Casa Minha Vida também financia imóveis para classe média
Programa financia moradias para brasileiros de classe média - sem subsídios, mas com juros reduzidos.
Entre as mudanças, está a necessidade dos editais possuírem aval do Tribunal de Contas da União
Programa de Parcerias de Investimentos atualiza processo de concessões
Rio é o maior corpo d'água totalmente brasileiro e é usado como rota de transporte e força motriz para geração de energia
Governo lança programa para revitalizar São Francisco
Programa financia moradias para brasileiros de classe média - sem subsídios, mas com juros reduzidos.
Minha Casa Minha Vida também financia imóveis para classe média

Últimas imagens

Sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada e possibilita aos consumidores o uso consciente da energia elétrica
Sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada e possibilita aos consumidores o uso consciente da energia elétrica
Reprodução/Agência Brasil
Cada empreendimento terá, no máximo máximo, 500 unidades habitacionais
Cada empreendimento terá, no máximo máximo, 500 unidades habitacionais
Divulgação/Caixa
Outros serviços dos Correios são mensagem e Vale Postal Eletrônico, para convocação e pagamento de mesários, respectivamente
Outros serviços dos Correios são mensagem e Vale Postal Eletrônico, para convocação e pagamento de mesários, respectivamente
Marcelo Camargo/ Agência Brasil
O conjunto é formado por sete blocos, com 32 apartamentos em cada um
O conjunto é formado por sete blocos, com 32 apartamentos em cada um
Divulgação/Ministério das Cidades
O objetivo é integrar as propostas do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco ao Plano Novo Chico
O objetivo é integrar as propostas do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco ao Plano Novo Chico
Divulgação/EBC

Governo digital