Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2017 > 01 > Participação de energias renováveis na matriz deve chegar a 43,2%

Infraestrutura

Participação de energias renováveis na matriz deve chegar a 43,2%

Energia

De acordo com o boletim, produção de petróleo cresceu 9,2% na comparação com o mesmo período do ano anterior
por Portal Brasil publicado: 17/01/2017 19h24 última modificação: 18/01/2017 19h38
Alberto Coutinho/Governo da Bahia Participação das renováveis também aumentou na oferta interna, indo de 75,5% em 2015 para 82,4% em 2016

Participação das renováveis também aumentou na oferta interna, indo de 75,5% em 2015 para 82,4% em 2016

Em outubro de 2016, as energias renováveis tiveram participação de 43,2% na matriz energética brasileira, dois pontos percentuais a mais que no ano anterior.

O crescimento é resultado do bom desempenho da geração hidráulica, eólica e por biomassa. Os dados foram divulgados no Boletim Mensal de Energia  Outubro, elaborado pela Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia (MME). 

Quando considerada a oferta interna de energia brasileira – toda a energia necessária para movimentar a economia – as fontes renováveis também se destacam, elevando sua participação de 75,5% (2015) para 82,4% (2016), acumulando alta de seis pontos percentuais no ano. Na classificação por tipo de fonte, a projeção de participação é de 68,9% de hidráulicas; 8,7% de biomassa; e 4,8% de eólica.

Petróleo

Segundo o documento, em outubro de 2016, a produção de petróleo cresceu 9,2% na comparação com o mesmo período do ano anterior, acumulando um aumento de 2,7% em dez meses. Já a produção de gás natural cresceu 11,2% em outubro e avanço de 6,2% no período acumulado.

O Boletim Mensal de Energia acompanha um conjunto de variáveis energéticas e não energéticas capazes de permitir razoável estimativa do comportamento mensal e acumulado da demanda total de energia do Brasil.

Fonte: Ministério de Minas e Energia (MME)

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Governo anuncia recursos nas áreas de habitação e saneamento no Rio de Janeiro
O estado do Rio de Janeiro receberá investimentos nas áreas de habitação, contenção de encostas e saneamento
Cadastramento biométrico vai aumentar a segurança na transmissão de dados
Termo de Cooperação assinado pelo Departamento Nacional de Trânsito vai aumentar a segurança na transmissão de dados e otimizar recursos
Novas regras vão facilitar embarque e desembarque em aeroportos
Governo elabora conjunto de orientações para eliminar os obstáculos e reduzir o tempo de espera no embarque e desembarque nos aeroportos
O estado do Rio de Janeiro receberá investimentos nas áreas de habitação, contenção de encostas e saneamento
Governo anuncia recursos nas áreas de habitação e saneamento no Rio de Janeiro
Termo de Cooperação assinado pelo Departamento Nacional de Trânsito vai aumentar a segurança na transmissão de dados e otimizar recursos
Cadastramento biométrico vai aumentar a segurança na transmissão de dados
Governo elabora conjunto de orientações para eliminar os obstáculos e reduzir o tempo de espera no embarque e desembarque nos aeroportos
Novas regras vão facilitar embarque e desembarque em aeroportos

Últimas imagens

Cerca de 2 mil pessoas foram beneficiadas com a entrega das unidades habitacionais, avaliadas em R$ 56 mil cada. O empreendimento custou, no total, R$ 28,2 milhões
Cerca de 2 mil pessoas foram beneficiadas com a entrega das unidades habitacionais, avaliadas em R$ 56 mil cada. O empreendimento custou, no total, R$ 28,2 milhões
Foto: Bruno Peres/Ministério das Cidades
Em 2016, foram transportadas 84,6 milhões de toneladas de cargas pelas hidrovias interiores
Em 2016, foram transportadas 84,6 milhões de toneladas de cargas pelas hidrovias interiores
Danilo Borges/Ministério dos Transportes
Segundo ministro, até o fim do primeiro semestre de 2018, as águas estarão na última estrutura do Eixo Norte
Segundo ministro, até o fim do primeiro semestre de 2018, as águas estarão na última estrutura do Eixo Norte
Arquivo/PAC
A previsão para o ano de 2017 é de que a demanda total de energia deve crescer cerca de 1,5%
A previsão para o ano de 2017 é de que a demanda total de energia deve crescer cerca de 1,5%
Foto: Vanderlei Tacchio/Eletrosul

Governo digital