Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2017 > 05 > Pavimentação da BR-163 é prioridade, diz ministro

Infraestrutura

Pavimentação da BR-163 é prioridade, diz ministro

Transporte

Rodovia é importante para escoamento da produção de grãos do País; obras devem começar com fim do período de chuvas
por Portal Brasil publicado: 16/05/2017 19h53 última modificação: 18/05/2017 15h37

O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil vai priorizar a pavimentação da BR-163, no Pará. Segundo o ministro Maurício Quintella, a obra é considerada fundamental para o escoamento da produção do País.

Parte das empresas já estão contratadas, e as obras vão iniciar assim que as chuvas na região acabarem.

“Não vamos permitir que aconteça na próxima safra o que aconteceu nessa, por isso o Ministério dos Transportes se preparou do ponto de vista orçamentário para resolver de uma vez por todas o problema de escoamento da produção do Brasil via BR-163”, disse o ministro.

A rodovia é a principal ligação entre a maior região produtora de grãos do País, em Mato Grosso, e os portos da Região Norte. Em março, parte da estrada que não é pavimentada ficou interditada por causa da chuva, impedindo a passagem de caminhões com cargas.

O ministro disse também que o trecho da Ferrovia Norte-Sul entre Estrela D'Oeste (SP) e Porto Nacional (TO) deve estar concluído até o início do ano que vem. Segundo ele, essa é uma das obras prioritárias para o governo.

“Ela é a espinha dorsal do Brasil. Carga é o que não falta para que essa ferrovia seja um sucesso e um grande corredor ferroviário logístico no nosso país”, disse, lembrando que outros trechos da rodovia foram incluídos no programa de concessões do governo.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Agência Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Governo anuncia recursos nas áreas de habitação e saneamento no Rio de Janeiro
O estado do Rio de Janeiro receberá investimentos nas áreas de habitação, contenção de encostas e saneamento
Cadastramento biométrico vai aumentar a segurança na transmissão de dados
Termo de Cooperação assinado pelo Departamento Nacional de Trânsito vai aumentar a segurança na transmissão de dados e otimizar recursos
Novas regras vão facilitar embarque e desembarque em aeroportos
Governo elabora conjunto de orientações para eliminar os obstáculos e reduzir o tempo de espera no embarque e desembarque nos aeroportos
O estado do Rio de Janeiro receberá investimentos nas áreas de habitação, contenção de encostas e saneamento
Governo anuncia recursos nas áreas de habitação e saneamento no Rio de Janeiro
Termo de Cooperação assinado pelo Departamento Nacional de Trânsito vai aumentar a segurança na transmissão de dados e otimizar recursos
Cadastramento biométrico vai aumentar a segurança na transmissão de dados
Governo elabora conjunto de orientações para eliminar os obstáculos e reduzir o tempo de espera no embarque e desembarque nos aeroportos
Novas regras vão facilitar embarque e desembarque em aeroportos

Últimas imagens

Cerca de 2 mil pessoas foram beneficiadas com a entrega das unidades habitacionais, avaliadas em R$ 56 mil cada. O empreendimento custou, no total, R$ 28,2 milhões
Cerca de 2 mil pessoas foram beneficiadas com a entrega das unidades habitacionais, avaliadas em R$ 56 mil cada. O empreendimento custou, no total, R$ 28,2 milhões
Foto: Bruno Peres/Ministério das Cidades
Em 2016, foram transportadas 84,6 milhões de toneladas de cargas pelas hidrovias interiores
Em 2016, foram transportadas 84,6 milhões de toneladas de cargas pelas hidrovias interiores
Danilo Borges/Ministério dos Transportes
Segundo ministro, até o fim do primeiro semestre de 2018, as águas estarão na última estrutura do Eixo Norte
Segundo ministro, até o fim do primeiro semestre de 2018, as águas estarão na última estrutura do Eixo Norte
Arquivo/PAC
A previsão para o ano de 2017 é de que a demanda total de energia deve crescer cerca de 1,5%
A previsão para o ano de 2017 é de que a demanda total de energia deve crescer cerca de 1,5%
Foto: Vanderlei Tacchio/Eletrosul

Governo digital