Você está aqui: Página Inicial > Infraestrutura > 2017 > 12 > Belo Horizonte receberá investimento de US$ 103 milhões para mobilidade urbana

Infraestrutura

Belo Horizonte receberá investimento de US$ 103 milhões para mobilidade urbana

Infraestrutura

O Banco de Desenvolvimento da América Latina financiará US$ 82,5 milhões, com garantia da União, e o restante virá de contrapartida local. A instituição apoiará 10 projetos
publicado: 07/12/2017 14h56 última modificação: 07/12/2017 14h56

Arquivo/PAC

Belo Horizonte receberá investimento de US$ 103 milhões para mobilidade urbana

A capital de Minas Gerais, Belo Horizonte, receberá um financiamento de US$ 103,13 milhões para plano de desenvolvimento da mobilidade. A maior parte dos recursos - US$ 82,5 milhões - será investida pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), e o restante virá de contrapartida local. O financiamento foi aprovado nesta terça-feira em reunião da qual participaram ministros dos países latino-americanos.

Outros nove projetos de países diferentes foram contemplados. No Brasil, a iniciativa que vai receber os recursos será “Programa para o Financiamento de Investimentos - Plano de Governo e Orçamento Participativo de Belo Horizonte”. Ela faz parte de um plano do governo municipal que envolve obras de mobilidade, pavimentação de ruas e avenidas, revitalização urbana e obras para construção de unidades de saúde.

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, participou da reunião e explicou aos presentes que essas “intervenções” foram eleitas pelos próprios moradores de Belo Horizonte como prioridades. “São intervenções necessárias para a melhoria da qualidade de vida das pessoas”, defendeu.

CAF no Brasil

O Brasil recebeu, entre 2012 e 2016, investimentos da ordem de US$ 8,6 bilhões do Banco de Desenvolvimento da América Latina. Só este ano, já foram US$ 2,3 bilhões. “Os volumes de recursos desembolsados pelo CAF no Brasil já se aproximam dos volumes do BID [Banco Interamericano de Desenvolvimento] e do Banco Mundial”, afirma Dyogo Oliveira. Segundo o ministro, as políticas de crédito da instituição têm uma grande “proximidade” com as “verdadeiras necessidades” dos países da América Latina.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do Ministério do Planejamento

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil