Você está aqui: Página Inicial > Meio Ambiente > 2011 > 11 > Compra de resíduos sólidos terá incentivo fiscal do governo

Meio ambiente

Compra de resíduos sólidos terá incentivo fiscal do governo

por Portal Brasil publicado: 23/11/2011 18h37 última modificação: 28/07/2014 12h58

A partir desta terça-feira (22), as empresas que adquirirem resíduos sólidos que serão usados como matéria-prima ou material intermediário na fabricação de seus produtos terão crédito presumido do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). O incentivo fiscal foi anunciado pela ministra Tereza Campello na última segunda-feira (21), durante abertura do 10º Festival e do Fórum Lixo e Cidadania, em Belo Horizonte. 

A medida é válida até 31 de dezembro de 2014. O crédito presumido permite o ressarcimento das contribuições para o PIS/Pasep e Cofins. Os resíduos sólidos deverão ser adquiridos diretamente de cooperativas de catadores de materiais recicláveis, constituídas por no mínimo 20 cooperados pessoas físicas, sendo vedada, neste caso, a participação de pessoas jurídicas.

Campello destacou que a medida foi uma decisão da presidenta Dilma Rousseff, com o objetivo de beneficiar a geração de trabalho e renda para milhares de catadores de todo o País.

O Brasil Sem Miséria também está olhando para a inclusão social e produtiva dos catadores. “Queremos melhorar as condições de trabalho e de renda de 280 mil catadores até 2014. Vamos fazer isso incluindo os catadores nos programas sociais, como o Bolsa Família, mas também apoiando a formalização e a organização deles, com capacitação e assistência técnica para cooperativismo, além de apoio às redes de comercialização e cadeias produtiva da reciclagem”, apontou Campello.

A ministra enfatizou que o governo federal tem ampliado os investimentos direcionados aos catadores, com apoio para compra de equipamentos, máquinas e veículos e aquisição e construção de galpões. Somente nos últimos cinco anos os investimentos federais para esses trabalhadores somam cerca de R$ 440 milhões, do quais R$ 157 milhões em 2011.

Dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apontam a existência de 600 mil catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis no Brasil.

Mais informações sobre o evento no endereço eletrônico.


Fonte:
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Banner - Combate às Queimadas

Últimos vídeos

ICMBio completa 10 anos de atuação
Instituto agrega 324 unidades de conservação, que somam quase 80 milhões de hectares - o equivalente a 9% do território nacional
Confira as oportunidades geradas pelas Unidades de Conservação
Unidades de Conservação oferecem oportunidades para as comunidades do entorno e também aos visitantes. Confira entrevista com o presidente do ICMBio, Ricardo Soavinski
ICMBio amplia trabalho de prevenção a incêndios
Presidente do ICMBio, Ricardo Soavinski, explica as ações do instituto para combater queimadas que ameaçam flora e fauna do País
Instituto agrega 324 unidades de conservação, que somam quase 80 milhões de hectares - o equivalente a 9% do território nacional
ICMBio completa 10 anos de atuação
Unidades de Conservação oferecem oportunidades para as comunidades do entorno e também aos visitantes. Confira entrevista com o presidente do ICMBio, Ricardo Soavinski
Confira as oportunidades geradas pelas Unidades de Conservação
Presidente do ICMBio, Ricardo Soavinski, explica as ações do instituto para combater queimadas que ameaçam flora e fauna do País
ICMBio amplia trabalho de prevenção a incêndios

Últimas imagens

Empresa aderiu à nova regra, instituída por decreto assinado pelo presidente da República, Michel Temer, na tarde deste sábado (21)
Empresa aderiu à nova regra, instituída por decreto assinado pelo presidente da República, Michel Temer, na tarde deste sábado (21)
Foto: Dênio Simões/Agência Brasília
Redução chega a 76% quando comparada a 2004. Os estados com maior queda são Tocantins (55%) e Roraima (43%)
Redução chega a 76% quando comparada a 2004. Os estados com maior queda são Tocantins (55%) e Roraima (43%)
Foto: Gilberto Soares/MMA
Processos passaram a ser mais ágeis, dinâmicos, e conferem mais vantagens aos produtores
Processos passaram a ser mais ágeis, dinâmicos, e conferem mais vantagens aos produtores
Foto: Eduardo Aigner/MDA

banner_servico.jpg

Governo digital