Você está aqui: Página Inicial > Meio Ambiente > 2013 > 10 > Estudo sobre a biodisponibilidade de fruto amazônico é premiado

Meio Ambiente

Estudo sobre a biodisponibilidade de fruto amazônico é premiado

Pesquisa em Nutrição

O camu-camu, mesmo desidratado, consegue ter uma boa absorção da vitamina C pelo organismo humano, revela pesquisa
por Portal Brasil publicado: 21/10/2013 16h01 última modificação: 29/07/2014 09h24
Divulgação:Senado Rico em ácido ascórbico (vitamina C), cuma-cuma mantem vitamina mesmo após ser desidratado

Rico em ácido ascórbico (vitamina C), cuma-cuma mantem vitamina mesmo após ser desidratado

Apesar de ser em proporção inferior a vitamina C sintética, praticamente 50%, o camu-camu liofilizado (processo de desidratação que transforma o fruto em pó conservando as propriedades nutricionais) pode ser utilizado como uma fonte natural de suplementação de vitamina C e como alternativa de alimento funcional a ser inserido na alimentação saudável.

Esse é o resultado a que chegou um estudo da nutricionista Bianca Languer, egressa do mestrado de Ciências de Alimento, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), realizado em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/ MCTI).

A pesquisa “Avaliação da biodisponibilidade plasmática de ácido ascórbico em adultos após administração de cápsulas de vitamina C e Camu-Camu (Myrciaria dúbia)” ganhou o prêmio de melhor trabalho de nutrição clínica do Mega Evento Nutrição 2013, o maior evento de nutrição e alimentação da América Latina, que ocorreu no início do mês, em São Paulo. O estudo faz parte de um projeto maior do Inpa.

“A premiação foi surpreendente; é o reconhecimento do nosso trabalho. Acredito que ela vai auxiliar na divulgação dos frutos amazônicos e do trabalho do Inpa para o restante do País”, disse Languer.

O estudo

O trabalho tem a orientação dos pesquisadores do Laboratório de Alimentos e Nutrição do Inpa (CSAS/Inpa) Francisca Souza, Jaime Aguiar e Lúcia Yuyama. Lúcia orientou Languer no mestrado, mas faleceu em abril deste ano.

Para verificar a absorção pelo organismo da vitamina C do camu-camu, os pesquisadores elaboraram cápsulas com o pó do fruto. A amostra contou com participação de 19 adultos saudáveis, de 19 a 35 anos, divididos em dois grupos: o grupo de intervenção recebeu cápsulas de camu-camu liofilizado e o grupo controle recebeu cápsulas de vitamina C sintética. Ambos ingeriram 320 miligramas de ácido ascórbico diariamente por um período de 15 dias.

Para saber os níveis plasmáticos de ácido ascórbico, foram feitos testes bioquímicos (exames de sangue) antes e depois da ingestão das cápsulas. O organismo do ser humano é capaz de absorver em torno de 60% a 80% da vitamina C que é ingerida,  variando de pessoa para pessoa, dependendo de seu estado de saúde.

Os resultados mostraram que os participantes do grupo que ingeriram vitamina C sintética tiveram um aumento de 33% do nível plasmático de ácido ascórbico, enquanto os participantes do grupo que tomaram cápsulas de camu-camu alcançaram um aumento de 16,6%.

“Apesar da absorção menor, o camu-camu é fruto mais rico do mundo em vitamina C e quem tomou a cápsula do fruto ganhou outras vantagens nutricionais”, disse o pesquisador Jaime Aguiar.

Valor nutricional

O camu-camu possui uma quantidade significativa de flavonóides e antocianina, substâncias com comprovada ação antioxidante, que inibem os radicais livres (podem danificar as células sadias do corpo) e o depósito de gorduras nas artérias. Os alimentos a base de vitamina C auxiliam na prevenção de doenças porque aumentam o sistema imunológico, retardam o envelhecimento e ajudam a reduzir doenças crônicas, como diabetes e hipertensão. Também ajudam na absorção de ferro de origem vegetal quando consumidas depois das refeições, combatendo a anemia.

Para a pesquisadora Francisca Souza, outras vantagens de se utilizar o camu-camu em cápsula é que ele é um produto natural e a liofilização não interfere na composição nutricional. “Além disso, o camu-camu é muito mais barato para a indústria farmacêutica do que o remédio sintético, sem contar que o tempo de prateleira da vitamina C é alto, podendo chegar a um ano sem a presença de luz”.

Desde a década de 1980, o Inpa estuda o camu-camu em vários aspectos: agronômico, biológico e tecnológico. O Instituto já conseguiu domesticar o fruto, fez melhoramento genético da semente e trouxe a produção típica das várzeas e curso dos rios da Amazônia para a terra firme.

A pequena fruta que se parece com cereja e jabuticaba e é rica em vitamina C. Uma unidade equivale a três acerolas, 20 laranjas e 30 limões. O consumo diário de camu-camu deve ser limitado a 2 ou 3 frutos de tamanho médio ou um copo de suco puro. Quantidades maiores podem ultrapassar o valor máximo de ingestão diária de vitamina C, que é de 2. 000 miligramas.

Fonte:
Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Seleção vai apoiar novas unidades de conservação na Amazônia
Programa Arpa lançou dois editais, um destinado à criação de novas UCs e outro voltado à consolidação e manutenção dessas áreas
Discutidas estratégias para ampliação do CAR
Ministras do Meio Ambiente e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, debateram a ampliação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)
Cadastramento busca regularizar propriedades rurais
CAR é obrigatório para todos os imóveis rurais e busca auxiliar no planejamento das propriedades e na recuperação de áreas degradada
Programa Arpa lançou dois editais, um destinado à criação de novas UCs e outro voltado à consolidação e manutenção dessas áreas
Seleção vai apoiar novas unidades de conservação na Amazônia
Ministras do Meio Ambiente e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, debateram a ampliação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)
Discutidas estratégias para ampliação do CAR
CAR é obrigatório para todos os imóveis rurais e busca auxiliar no planejamento das propriedades e na recuperação de áreas degradada
Cadastramento busca regularizar propriedades rurais

Últimas imagens

Objetivo da participação do Brasil na conferência da ONU é valorizar a implantação das boas práticas de convivência sustentável com a semiaridez
Objetivo da participação do Brasil na conferência da ONU é valorizar a implantação das boas práticas de convivência sustentável com a semiaridez
Divulgação/Governo do Rio Grande do Norte
Entre os objetivos da política nacional, pode-se destacar a proteção, preservação, conservação e recuperação dos recursos naturais
Entre os objetivos da política nacional, pode-se destacar a proteção, preservação, conservação e recuperação dos recursos naturais
Divulgação/MMA
No Pipiripau há 591 propriedades rurais. O programa já tem ações em mais de 100
No Pipiripau há 591 propriedades rurais. O programa já tem ações em mais de 100
Divulgação/MMA
Atualmente, 95 UC's que representam 52 milhões de hectares na região Amazônica recebem apoio do Arpa
Atualmente, 95 UC's que representam 52 milhões de hectares na região Amazônica recebem apoio do Arpa
Divulgação/MMA
Cobrança já está em funcionamento em quatro bacias com rios de domínio da União
Cobrança já está em funcionamento em quatro bacias com rios de domínio da União
Divulgação/ANA

Governo digital