Você está aqui: Página Inicial > Meio Ambiente > 2013 > 11 > Inpa debate desenvolvimento sustentável na Amazônia

Meio Ambiente

Inpa debate desenvolvimento sustentável na Amazônia

Fórum Mundial

Documento final do 6º Fórum Mundial de Ciência recomenda a cooperação científica internacional e ações nacionais para o desenvolvimento sustentável
por Portal Brasil publicado: 29/11/2013 17h39 última modificação: 29/07/2014 23h56

“Na Amazônia não há espaço para ‘copiar e colar’". A afirmação é do diretor do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), o pesquisador Adalberto Val, que participou do 6º Fórum Mundial de Ciência (FMC), no Rio de Janeiro. Pela primeira vez. o evento acontece fora da Europa e durante quatro dias (24 a 27 de novembro) reuniu mais de 700 pesquisadores e representantes de 120 países para discutir a temática “Ciência para o Desenvolvimento Global”.

Val coordenou o debate da sessão temática paralela “Amazônia, biodiversidade e desenvolvimento sustentável", na última segunda-feira, que teve ainda na mesa o coordenador científico do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Áreas úmidas (INCT-INAU), Wolfgang Junk, e os pesquisadores do Museu Paraense Emílio Goeldi, Jhan Carlo Espinoza e Marlúcia Martins. A mensagem deixada pelos painelistas é que é importante preservar a biodiversidade não só da Amazônia, que detém 20% da biodiversidade do mundo, mas de outras áreas do planeta.

“Na Amazônia não há espaço para ‘copiar e colar’, porque as informações que a Amazônia precisa tem de ser desenvolvidas para as suas condições”, disse Val. “Temos a necessidade de desenvolver produtos e processos robustos que permitam geração de renda com a manutenção da floresta em pé. E a educação é fundamental para termos um novo paradigma”, acrescentou.

Na declaração final do Fórum, o documento faz uma série de recomendações, como a cooperação científica internacional e ações nacionais coordenadas para o desenvolvimento sustentável global. O texto classifica a educação básica como elemento fundamental da cultura moderna e componente vital da capacidade de um país para competir em economia global, e destaca a necessidade de se priorizar a educação de qualidade em ciência, tecnologia e engenharia.

Para o diretor do Inpa, a inclusão da Amazônia no Fórum, que tratou de questões altamente relevantes, confere à região importância e significativa visibilidade junto à Ciência Mundial. “Avançamos em muitas áreas, mas a dimensão das demandas é tão grande que a Ciência e a Tecnologia têm um papel extremamente relevante”, avaliou Val.

Fonte:
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Banner - Combate às Queimadas

Últimos vídeos

Ibama e BNDES assinam contrato do Fundo Amazônia
Recursos do contrato serão aplicados no apoio à logística de transporte das atividades de fiscalização ambiental
Queimadas causam ciclo maléfico para o meio ambiente
Segundo o Ibama, este é um dos períodos mais críticos da história recente do Brasil em relação aos incêndios florestais. De acordo com ele, já são 169 mil focos de calor no ano
Entenda o trabalho dos brigadistas florestais
Ministério do Meio Ambiente edita anualmente portaria para contratação temporária de brigadistas florestais. Em 2016, 834 foram selecionados e atuaram no combate a 1.350 incêndios
Recursos do contrato serão aplicados no apoio à logística de transporte das atividades de fiscalização ambiental
Ibama e BNDES assinam contrato do Fundo Amazônia
Segundo o Ibama, este é um dos períodos mais críticos da história recente do Brasil em relação aos incêndios florestais. De acordo com ele, já são 169 mil focos de calor no ano
Queimadas causam ciclo maléfico para o meio ambiente
Ministério do Meio Ambiente edita anualmente portaria para contratação temporária de brigadistas florestais. Em 2016, 834 foram selecionados e atuaram no combate a 1.350 incêndios
Entenda o trabalho dos brigadistas florestais

Últimas imagens

A redução da emissão de particulados pode chegar a 85%
A redução da emissão de particulados pode chegar a 85%
Divulgação/Governo de Mato Grosso de Sul
Parque foi a primeira UC do Brasil a ser reconhecida como Sítio do Patrimônio Mundial Natural pela Unesco, em 1986
Parque foi a primeira UC do Brasil a ser reconhecida como Sítio do Patrimônio Mundial Natural pela Unesco, em 1986
Divulgação/ICMBio
O trabalho identificou 36 classes de atrativos turísticos nas áreas protegidas do Brasil
O trabalho identificou 36 classes de atrativos turísticos nas áreas protegidas do Brasil
Divulgação/ICMBio
Guia foi elaborado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Guia foi elaborado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Carlos Varela/ICMBio
Mapa de Cobertura e Uso da Terra no Brasil, com dados até 2014, indica significativa redução do desmatamento florestal no País
Mapa de Cobertura e Uso da Terra no Brasil, com dados até 2014, indica significativa redução do desmatamento florestal no País
Arquivo/EBC

banner_servico.jpg

Governo digital