Você está aqui: Página Inicial > Meio Ambiente > 2014 > 03 > Reserva de Poço das Antas (RJ) comemora 40 anos

Meio Ambiente

Reserva de Poço das Antas (RJ) comemora 40 anos

Unidades de Conservação

Primeira reserva biológica do País é destaque nacional em pesquisa e projetos de proteção da Mata Atlântica e do mico-leão-dourado
por Portal Brasil publicado: 12/03/2014 10h19 última modificação: 30/07/2014 03h15

A Reserva Biológica de Poço das Antas, unidade de conservação federal gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), comemora 40 anos de existência.

Localizada no município fluminense de Silva Jardim (RJ), foi a primeira reserva biológica criada no País, com o objetivo de resguardar o ecossistema de Mata Atlântica costeira, proteger a fauna nativa e preservar espécies ameaçadas de extinção, como por exemplo o mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia). O nome tem origem em uma das três propriedades que constituiu a área da reserva, a Fazenda Poço d´anta, localizada à margem do Rio São João.

Educação Ambiental e pesquisa

Diferente dos parques nacionais, a visitação turística não é permitida dentro das reservas biológicas. Já a visitação com fins educacionais é permitida, desde que acompanhada permanentemente. Assim, a equipe da Reserva Biológica de Poço das Antas trabalha em parceira com a Associação Mico-leão-dourado, desenvolvendo ações de educação ambiental com diversos grupos, principalmente das escolas e comunidades da região, sensibilizando cada visitante para a importância da conservação do mico-leão-dourado e da Mata Atlântica.

A Reserva Biológica de Poço das Antas vem se destacando pela significativa atividade de pesquisa sendo uma das unidades de conservação mais bem estudadas do país, considerada um importante centro de referência para o desenvolvimento de pesquisas. Este processo teve início em 1983, com o projeto para Conservação do Mico-leão-dourado e o Programa Mata Atlântica, desenvolvido pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro, em execução na reserva desde 1992.

Um pouco de história

A história da reserva biológica teve início em 1967, período inicial da preocupação com a sobrevivência do mico-leão-dourado. Nesta época foram efetuados voos de helicópteros na região do Vale do Rio São João para buscar uma área que pudesse abrigar o mico-leão-dourado e a preguiça-de-coleira (Bradypus torquatus), espécies que já constavam na lista de animais ameaçados de extinção.

Em 1970, em meio ao plano de valorização do Vale do São João e a preocupação com a destruição das últimas florestas situadas nas partes planas da região, em consequência das obras de saneamento, regularização e irrigação do Vale do São João e a construção da Rodovia BR 101, fatores que trariam grande risco de extinção do mico-leão-dourado, foi realizado no ano seguinte, um inventário para avaliar quais propriedades particulares estariam inseridas na área que seria destinada para reserva biológica.

Apenas três anos depois, após pressão da opinião pública internacional e com o apoio de entidades conservacionistas, o governo federal assinou o decreto de criação da Reserva Biológica de Poço das Antas.

>> Saiba mais sobre a Rebio Poço das Antas.

Fonte:
ICMBio

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Banner - Combate às Queimadas

Últimos vídeos

ANA premia projetos de gestão e uso sustentável da água
Projetos de todo o País combatem a poluição, o desperdício de água e contribuem para a gestão e o uso sustentável dos recursos hídricos
Inmetro dá dicas para quem quer economizar energia
Com a crescente necessidade de economizar energia, o Inmetro dá dicas para quem quer poupar sem ter de abrir mão do conforto
Voluntários combatem fogo na Chapada dos Veadeiros
Brigadistas do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio) e bombeiros do Distrito Federal, além de representantes do Ibama e voluntários, participam do combate ao fogo que consome o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás
Projetos de todo o País combatem a poluição, o desperdício de água e contribuem para a gestão e o uso sustentável dos recursos hídricos
ANA premia projetos de gestão e uso sustentável da água
Com a crescente necessidade de economizar energia, o Inmetro dá dicas para quem quer poupar sem ter de abrir mão do conforto
Inmetro dá dicas para quem quer economizar energia
Brigadistas do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio) e bombeiros do Distrito Federal, além de representantes do Ibama e voluntários, participam do combate ao fogo que consome o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás
Voluntários combatem fogo na Chapada dos Veadeiros

Últimas imagens

Alteração na lei prevê a promoção de iniciativas que promovam o uso das águas pluviais, que podem ser usadas para a manutenção de jardins, limpeza de calçadas e em atividades agrícolas e industriais
Alteração na lei prevê a promoção de iniciativas que promovam o uso das águas pluviais, que podem ser usadas para a manutenção de jardins, limpeza de calçadas e em atividades agrícolas e industriais
Foto: Tony Winston/Governo de Brasília
Por meio da Força Aérea Brasileira e de órgãos de fiscalização ambiental, Governo do Brasil participa dos esforços para controlar o pior incêndio desde a criação do parque
Por meio da Força Aérea Brasileira e de órgãos de fiscalização ambiental, Governo do Brasil participa dos esforços para controlar o pior incêndio desde a criação do parque
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Por meio da Força Aérea Brasileira e de órgãos de fiscalização ambiental, Governo do Brasil participa dos esforços para controlar o pior incêndio desde a criação do parque
Por meio da Força Aérea Brasileira e de órgãos de fiscalização ambiental, Governo do Brasil participa dos esforços para controlar o pior incêndio desde a criação do parque
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Por meio da Força Aérea Brasileira e de órgãos de fiscalização ambiental, Governo do Brasil participa dos esforços para controlar o pior incêndio desde a criação do parque
Por meio da Força Aérea Brasileira e de órgãos de fiscalização ambiental, Governo do Brasil participa dos esforços para controlar o pior incêndio desde a criação do parque
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Por meio da Força Aérea Brasileira e de órgãos de fiscalização ambiental, Governo do Brasil participa dos esforços para controlar o pior incêndio desde a criação do parque
Por meio da Força Aérea Brasileira e de órgãos de fiscalização ambiental, Governo do Brasil participa dos esforços para controlar o pior incêndio desde a criação do parque
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

banner_servico.jpg

Governo digital