Você está aqui: Página Inicial > Meio Ambiente > 2014 > 04 > Advocacia-Geral confirma embargo à atividade pecuária no PA

Meio Ambiente

Advocacia-Geral confirma embargo à atividade pecuária no PA

Amazônia

Fiscalização constatou prejuízos à regeneração natural de mais de 16 mil hectares de vegetação nativa em área especialmente protegida
por Portal Brasil publicado: 15/04/2014 10h39 última modificação: 30/07/2014 03h14

Sem choque de competência entre órgãos das esferas federal e estadual na proteção do meio ambiente, a Advocacia-Geral da União (AGU) manteve o embargo de imóvel rural em Xinguara/PA. A suspensão da penalidade havia sido concedida a pedido dos donos da propriedade, mas a decisão de primeira instância foi revertida na segunda instância.

Durante fiscalização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) na Fazenda Santa Rosa, agentes constataram prejuízos à regeneração natural de 16.281,06 hectares de vegetação nativa. O imóvel abarca uma área especialmente protegida do bioma Amazônia, causados por atividade pecuária.

As procuradorias acrescentaram que, como visto nas imagens de satélites, os proprietários não fizeram nada para dar cumprimento aoT ermo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com a secretaria estadual e que este instrumento, celebrado sem o consentimento do Ibama, não afasta a competência fiscalizadora e sancionadora da autarquia federal.

Na decisão, o colegiado da Quinta Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) destacou que "a competência constitucional para fiscalizar é comum aos órgãos do meio ambiente das diversas esferas da federação", de forma que "atividade desenvolvida com risco de dano ambiental a bem da União pode ser fiscalizada pelo Ibama, ainda que a competência para licenciar seja de outro ente federado".


Entenda o caso
A autuação do Ibama  ocorreu no dia 25/5/2009. Meses depois, os proprietários ajuizaram ação para cancelamento do embargo sob o argumento de que a situação da Fazenda já estava regularizada. Afirmaram, para tanto, que assinaram Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a Secretaria estadual do Meio Ambiente, em 8/2/2010. A primeira instância julgou procedente o pedido, suspendeu o ato e ordenou a retirada do nome do imóvel da lista de áreas embargadas no prazo de 20 dias.

No intuito de demonstrar a validade da penalidade, a Procuradoria-Regional Federal da 1ª Região (PRF1), a Procuradoria Federal no estado do Pará (PF/PA) e Procuradoria Federal Especializada junto à autarquia ambiental (PFE/Ibama) apresentaram recurso contra a decisão.

Os procuradores federais destacaram que a infração ambiental constatada na Fazenda Santa Rosa afronta o artigo 19 do Código Florestal (Lei nº 4.771/65) e justifica a aplicação do embargo à propriedade, previsto no Decreto nº 6.514/08. Para eles, o ato da autarquia é necessário para impedir a atividade lesiva ao meio ambiente até que sejam sanadas as irregularidades constatadas pelo Ibama.

Os procuradores da AGU questionaram a alegação de que a situação do imóvel rural estava regularizada em razão do TAC. Prova disso seriam as imagens de satélite que revelam não haver ingresso na área de vegetação de porte florestal seja por regeneração natural ou reflorestamento, permanecendo assim "na mesma situação de uso do solo que se encontrava quando do embargo e autuação pela fiscalização".

Fonte:
Advocacia-Geral da União

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Banner - Combate às Queimadas

Últimos vídeos

Países firmam compromisso pela proteção da Amazônia
Documento estabelece compromissos para promover justiça social, igualdade e o uso sustentável dos recursos naturais na Amazônia
Projeto do governo federal busca preservar a Ararinha-azul
Projeto "Ararinha na natureza" tem o intuito de reforçar a conservação da ave Ararinha-azul, considerada extinta no meio ambiente
Aprenda sobre a reutilização de águas residuais
O Dia Mundial da Água, comemorado em 22 de março, promoveu debates sobre o uso e a disponibilidade de recursos hídricos em todo o mundo. Este ano, o tema que guia as discussões é a coleta, tratamento e reúso de águas residuais pela indústria, comércio, residências e agropecuária
Documento estabelece compromissos para promover justiça social, igualdade e o uso sustentável dos recursos naturais na Amazônia
Países firmam compromisso pela proteção da Amazônia
Projeto "Ararinha na natureza" tem o intuito de reforçar a conservação da ave Ararinha-azul, considerada extinta no meio ambiente
Projeto do governo federal busca preservar a Ararinha-azul
O Dia Mundial da Água, comemorado em 22 de março, promoveu debates sobre o uso e a disponibilidade de recursos hídricos em todo o mundo. Este ano, o tema que guia as discussões é a coleta, tratamento e reúso de águas residuais pela indústria, comércio, residências e agropecuária
Aprenda sobre a reutilização de águas residuais

Últimas imagens

A contrapartida do Ministério do Meio Ambiente (MMA) é equivalente a US$ 17,52 milhões
A contrapartida do Ministério do Meio Ambiente (MMA) é equivalente a US$ 17,52 milhões
Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília
Instituições de pesquisa podem apresentar propostas até o próximo dia 23 de junho
Instituições de pesquisa podem apresentar propostas até o próximo dia 23 de junho
Arquivo/Agência Brasil
Fóssil foi encontrado pelo arqueólogo autodidata Mihály Bányai, em 1971
Fóssil foi encontrado pelo arqueólogo autodidata Mihály Bányai, em 1971
Divulgação/ICMBio
O dia da Caatinga tem o intuito de conscientizar a sociedade sobre a importância da conservação do bioma para o equilíbrio ambiental
O dia da Caatinga tem o intuito de conscientizar a sociedade sobre a importância da conservação do bioma para o equilíbrio ambiental
Divulgação/Ministério do Meio Ambiente

banner_servico.jpg

Governo digital