Você está aqui: Página Inicial > Meio Ambiente > 2016 > 02 > Povos indígenas do cerrado terão apoio na preservação ambiental

Meio Ambiente

Povos indígenas do cerrado terão apoio na preservação ambiental

Estímulo

Projetos que evitem o desmatamento e a degradação do bioma e que promovam a proteção, a conservação dos recursos naturais e a inclusão social terão até R$ 4 milhões
por Portal Brasil publicado: 07/02/2016 12h01 última modificação: 12/02/2016 16h39

Os povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais do cerrado contarão com apoio para projetos que evitem o desmatamento e a degradação do bioma e que promovam a proteção, a conservação dos recursos naturais e a inclusão social. Para isso, está aberto até 25 de abril edital que conta com até R$ 4 milhões para financiar essas iniciativas.

Podem participar as organizações representativas dos povos indígenas, comunidades quilombolas e comunidades tradicionais, inseridas total ou parcialmente no cerrado ou ainda Organizações Não Governamentais (ONG) de assessoria a esses povos.

Serão realizadas oficinas de divulgação do edital em três cidades: Brasília/DF (24 a 26/02), Imperatriz/MA (29/02 a 02/03) e Cuiabá/MT (03 a 05/03). Cada organização poderá indicar um representante, que terá as despesas de viagem custeadas pelo programa.

Participação

A chamada integra o Mecanismo de Doação Dedicado a Povos Indígenas, Quilombolas e Comunidades Tradicionais do Brasil (DGM Brasil) e o DGM Global, que visa a fortalecer a participação desses povos e comunidades na discussão sobre mecanismo da Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD+) e ampliação da conservação, do manejo e aumento dos estoques de carbono florestal em nível local, nacional e global.

Essa estratégia faz parte do Programa de Investimento Florestal (FIP), que compõe o Fundo Estratégico do Clima (Strategic Climate Fund – SCF), iniciativa global em execução no Brasil e em outros sete países.

O objetivo é potencializar a participação dos povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais na promoção do uso sustentável das suas terras, além de restaurar os ecossistemas, para redução da pressão sobre os recursos naturais e redução dos efeitos das mudanças climáticas. A iniciativa pretende, ainda, beneficiá-los por meio de ações demandadas por eles, fortalecer as organizações representativas e qualificar as políticas de conservação florestal.

Como Participar

Para se inscrever, o proponente deve preencher o formulário de acordo com o tipo de projeto: gestão de recursos naturais (até R$ 195 mil), produtivos orientados para o mercado (até R$ 156 mil) e de resposta a ameaças imediatas (até R$ 78 mil). Ao todo, são 13 linhas temáticas prioritárias. Entre elas, estão o cultivo de espécies florestais, manejo de vegetação nativa, apoio às comunidades agroextrativistas, gestão territorial e ambiental e fomento a inovações de tecnologias sociais de adaptação às mudanças climáticas.

A inscrição é gratuita e deve ser enviada por correio com postagem até 25 de abril. São exigidas cópias simples dos seguintes documentos: Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), estatuto social, ata de constituição e ata de posse da atual diretoria da organização e carta de anuência das comunidades beneficiárias no caso de propostas feitas por entidades de apoio. Também são necessárias cópias simples do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e carteira de identidade do responsável legal do projeto.

Serviço

Edital com linha de apoio para o fortalecimento dos povos tradicionais do cerrado
Inscrições até 25 de abril.
Informações: www.dgmbrasil.org.br.
Proposta e documentação devem ser encaminhadas para o Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas  CAA/NM  Rua Doutor Veloso, 151, Centro, Montes Claros (MG) CEP: 39400-074.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Meio Ambiente

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Banner - Combate às Queimadas

Últimos vídeos

Prazo para registro no Cadastro Ambiental Rural é prorrogado
Presidente Michel Temer sanciona lei que prorroga registro no Cadastro Ambiental Rural (CAR) para dezembro de 2017
Brasil já registrou 112 mil focos de queimadas e incêndios neste ano
Dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Registro é 16% maior que o registrado no mesmo período do ano passado.
Conheça a proposta do Santuário de Baleias do Atlântico Sul
Para proteger a população das diferentes espécies de baleias da região do Atlântico Sul, o Brasil, a Argentina, a África do Sul, o Uruguai e o Gabão estão propondo a criação do santuário
Presidente Michel Temer sanciona lei que prorroga registro no Cadastro Ambiental Rural (CAR) para dezembro de 2017
Prazo para registro no Cadastro Ambiental Rural é prorrogado
Dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Registro é 16% maior que o registrado no mesmo período do ano passado.
Brasil já registrou 112 mil focos de queimadas e incêndios neste ano
Para proteger a população das diferentes espécies de baleias da região do Atlântico Sul, o Brasil, a Argentina, a África do Sul, o Uruguai e o Gabão estão propondo a criação do santuário
Conheça a proposta do Santuário de Baleias do Atlântico Sul

Últimas imagens

Mais seis transmissores serão instalados em fêmeas que chegarão ao Rio Grande do Norte nesta temporada de reprodução, que se inicia ainda em 2016
Mais seis transmissores serão instalados em fêmeas que chegarão ao Rio Grande do Norte nesta temporada de reprodução, que se inicia ainda em 2016
Divulgação/Projeto Tamar
Apenas 14% dos reservatórios do semiárido estão com o volume acima de 50%. Pernambuco tem 24 dos 69 reservatórios sem água
Apenas 14% dos reservatórios do semiárido estão com o volume acima de 50%. Pernambuco tem 24 dos 69 reservatórios sem água
Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
A participação no grupo está aberta a todos os países do bioma
A participação no grupo está aberta a todos os países do bioma
Jefferson Rudy/MMA
Três candidaturas serão finalistas em cada uma das sete categorias
Três candidaturas serão finalistas em cada uma das sete categorias
Divulgação/ICMBio
Estabelecidas por decreto em 1990, as RPPNs passaram a ser consideradas unidades de conservação no ano 2000
Estabelecidas por decreto em 1990, as RPPNs passaram a ser consideradas unidades de conservação no ano 2000
Divulgação/ICMBio

banner_servico.jpg

Governo digital