Você está aqui: Página Inicial > Meio Ambiente > 2016 > 02 > Povos indígenas do cerrado terão apoio na preservação ambiental

Meio Ambiente

Povos indígenas do cerrado terão apoio na preservação ambiental

Estímulo

Projetos que evitem o desmatamento e a degradação do bioma e que promovam a proteção, a conservação dos recursos naturais e a inclusão social terão até R$ 4 milhões
por Portal Brasil publicado: 07/02/2016 12h01 última modificação: 12/02/2016 16h39

Os povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais do cerrado contarão com apoio para projetos que evitem o desmatamento e a degradação do bioma e que promovam a proteção, a conservação dos recursos naturais e a inclusão social. Para isso, está aberto até 25 de abril edital que conta com até R$ 4 milhões para financiar essas iniciativas.

Podem participar as organizações representativas dos povos indígenas, comunidades quilombolas e comunidades tradicionais, inseridas total ou parcialmente no cerrado ou ainda Organizações Não Governamentais (ONG) de assessoria a esses povos.

Serão realizadas oficinas de divulgação do edital em três cidades: Brasília/DF (24 a 26/02), Imperatriz/MA (29/02 a 02/03) e Cuiabá/MT (03 a 05/03). Cada organização poderá indicar um representante, que terá as despesas de viagem custeadas pelo programa.

Participação

A chamada integra o Mecanismo de Doação Dedicado a Povos Indígenas, Quilombolas e Comunidades Tradicionais do Brasil (DGM Brasil) e o DGM Global, que visa a fortalecer a participação desses povos e comunidades na discussão sobre mecanismo da Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD+) e ampliação da conservação, do manejo e aumento dos estoques de carbono florestal em nível local, nacional e global.

Essa estratégia faz parte do Programa de Investimento Florestal (FIP), que compõe o Fundo Estratégico do Clima (Strategic Climate Fund – SCF), iniciativa global em execução no Brasil e em outros sete países.

O objetivo é potencializar a participação dos povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais na promoção do uso sustentável das suas terras, além de restaurar os ecossistemas, para redução da pressão sobre os recursos naturais e redução dos efeitos das mudanças climáticas. A iniciativa pretende, ainda, beneficiá-los por meio de ações demandadas por eles, fortalecer as organizações representativas e qualificar as políticas de conservação florestal.

Como Participar

Para se inscrever, o proponente deve preencher o formulário de acordo com o tipo de projeto: gestão de recursos naturais (até R$ 195 mil), produtivos orientados para o mercado (até R$ 156 mil) e de resposta a ameaças imediatas (até R$ 78 mil). Ao todo, são 13 linhas temáticas prioritárias. Entre elas, estão o cultivo de espécies florestais, manejo de vegetação nativa, apoio às comunidades agroextrativistas, gestão territorial e ambiental e fomento a inovações de tecnologias sociais de adaptação às mudanças climáticas.

A inscrição é gratuita e deve ser enviada por correio com postagem até 25 de abril. São exigidas cópias simples dos seguintes documentos: Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), estatuto social, ata de constituição e ata de posse da atual diretoria da organização e carta de anuência das comunidades beneficiárias no caso de propostas feitas por entidades de apoio. Também são necessárias cópias simples do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e carteira de identidade do responsável legal do projeto.

Serviço

Edital com linha de apoio para o fortalecimento dos povos tradicionais do cerrado
Inscrições até 25 de abril.
Informações: www.dgmbrasil.org.br.
Proposta e documentação devem ser encaminhadas para o Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas  CAA/NM  Rua Doutor Veloso, 151, Centro, Montes Claros (MG) CEP: 39400-074.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Meio Ambiente

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Banner - Combate às Queimadas

Últimos vídeos

Conheça a proposta do Santuário de Baleias do Atlântico Sul
Para proteger a população das diferentes espécies de baleias da região do Atlântico Sul, o Brasil, a Argentina, a África do Sul, o Uruguai e o Gabão estão propondo a criação do santuário
Revitalizar o Rio São Francisco é preservar a vida humana, diz Michel Temer
O governo federal lançou um programa de revitalização da bacia do Rio São Francisco.
"Qualidade da água é imporante", diz ministro
Governo Federal lança o Plano de ‎Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, que prevê ações como proteção de nascentes, educação ambiental e saneamento básico.
Para proteger a população das diferentes espécies de baleias da região do Atlântico Sul, o Brasil, a Argentina, a África do Sul, o Uruguai e o Gabão estão propondo a criação do santuário
Conheça a proposta do Santuário de Baleias do Atlântico Sul
O governo federal lançou um programa de revitalização da bacia do Rio São Francisco.
Revitalizar o Rio São Francisco é preservar a vida humana, diz Michel Temer
Governo Federal lança o Plano de ‎Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, que prevê ações como proteção de nascentes, educação ambiental e saneamento básico.
"Qualidade da água é imporante", diz ministro

Últimas imagens

Estabelecidas por decreto em 1990, as RPPNs passaram a ser consideradas unidades de conservação no ano 2000
Estabelecidas por decreto em 1990, as RPPNs passaram a ser consideradas unidades de conservação no ano 2000
Divulgação/ICMBio
Um helicóptero, cedido pelo governo estadual, e oito veículos ajudam no transporte de pessoal
Um helicóptero, cedido pelo governo estadual, e oito veículos ajudam no transporte de pessoal
Divulgação/ICMBio
Artigo publicado na revista Nature afirma que apenas o combate ao desmatamento não é suficiente para conservar a biodiversidade do bioma
Artigo publicado na revista Nature afirma que apenas o combate ao desmatamento não é suficiente para conservar a biodiversidade do bioma
Divulgação/Ministério do Meio Ambiente
A Samarco foi notificada para retirar o material com urgência e garantir a segurança da barragem.
A Samarco foi notificada para retirar o material com urgência e garantir a segurança da barragem.
Arquivo/Ibama

banner_servico.jpg

Governo digital