Notícias

Capacitação

Escola do Trabalhador chega ao sistema prisional

Parceria entre ministérios começará em presídios femininos, sendo depois expandida para todo o sistema
publicado: 10/10/2018 20h32, última modificação: 18/10/2018 18h40
Escola do Trabalhador chega ao sistema prisional

População carcerária é de 726 mil pessoas - Foto: Arquivo/Agência Brasil

Para levar mais dignidade às pessoas presas, a Escola do Trabalhador, iniciativa de cursos profissionalizantes, será adaptada e ofertada no sistema prisional. Ministradas originalmente a distância, as matérias terão versões presenciais para atender esse público.

Implantada nesta quarta-feira (10) a partir de um acordo entre os ministérios do Trabalho e da Segurança Pública, a escola terá 25 disciplinas oferecidas, inicialmente em unidades femininas. Em seguida, o programa segue progressivamente para as outras penitenciárias.

Capacitação

A realização dos cursos está atrelada à emissão da carteira de trabalho para os egressos. Assim, eles deixam o sistema com uma capacitação e têm melhores condições de reintegração na sociedade. Atualmente, a população carcerária é de 726 mil pessoas. Desses, 85% não possuem atividade laboral nas unidades prisionais. 

Os cursos são gratuitos e têm duração de 40 horas. Depois de concluir o curso, os estudantes passam por um teste para receber o certificado de conclusão. Há opções de agenciamento de viagens, criação de negócios de sucesso e segurança da informação, por exemplo.

Fonte: Ministério do Trabalho

Assunto(s): Cidadania, Trabalho