Ciência e Tecnologia

Pesquisa

Combate a doenças transmitidas pelo Aedes ganha reforço de R$ 15 milhões

Recursos são voltados para pesquisa de produtos contra febre amarela, zika, dengue e chikungunya e insetores vetores
última modificação: 23/12/2017 11h30
Finep investe R$ 15 milhões no combate a arboviroses

Febre amarela, zika, dengue e chikungunya são alvo da medida - Foto: Arquivo/Finep

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) vão investir R$ 15 milhões para o financiamento de pesquisas de combate a arboviroses (febre amarela, zika, dengue e chikungunya) e insetos vetores como o Aedes aegypti.  Os recursos da chamada conjunta de propostas vão beneficiar produtos ou processos tecnológicos nessas áreas.

"Com esses recursos de subvenção econômica, as empresas podem correr mais riscos tecnológicos. Consequentemente, aumenta a possibilidade de vermos no mercado soluções realmente inovadoras para o combate a arboviroses e seus vetores”, destacou o diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Finep, Wanderley de Souza.

Os projetos de pesquisa devem, primordialmente, focar o desenvolvimento de tecnologias relacionadas aos seguintes tópicos: métodos para diagnósticos rápidos e de baixo custo de arboviroses; novas tecnologias de monitoramento e controle de mosquitos transmissores; inseticidas e substâncias antivirais de origem biológica; tecnologias de liberação de mosquitos estéreis ou larvicidas biológicos; e plataformas de monitoramento e controle para previsão do espalhamento de patógenos emergentes e re-emergentes capazes de antecipar medidas de intervenção.

“Trata-se de um importante desafio para a saúde pública no Brasil e em muitos outros países e de uma oportunidade para a criação e oferta de tecnologias inovadoras de alcance mundial”, disse o diretor científico da Fapesp, Carlos Henrique de Brito Cruz.

Chamada

A Chamada é voltada a empresas que se enquadram diretamente na Fase 3 do Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), em que a empresa realiza o desenvolvimento industrial e comercial dos produtos. Entretanto, não é necessário que elas tenham passado pelas Fases 1 e 2 do PIPE.

Os projetos de pesquisa selecionados deverão ser desenvolvidos por pesquisadores que tenham vínculo empregatício com essas empresas ou que estejam associados a elas para sua realização.

Podem participar da Chamada de Propostas microempresas, empresas de pequeno porte, pequenas empresas ou médias empresas sediadas no estado de São Paulo, com receita operacional bruta entre R$ 360 mil e R$ 10,5 milhões.

As propostas de pesquisa podem ser submetidas até 14 de julho, e a divulgação dos resultados da seleção está prevista para dezembro de 2017.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Finep

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems
registrado em: Arboviroses, Aedes Aegypti, Finep