Notícias

Abono salarial

Mais de 1,3 milhão de trabalhadores já sacaram R$ 1,2 bilhão do PIS/Pasep

Próximo período de pagamentos será aberto em 13 de setembro
publicado: 22/08/2018 18h35, última modificação: 27/08/2018 19h59
Mais de 1,3 milhão de trabalhadores já sacaram R$ 1,2 bilhão do PIS/Pasep

Em todo o País, serão disponibilizados R$ 17,3 bilhões a mais de 22,8 milhões de pessoas - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Desde o final de julho, os pagamentos do abono salarial PIS/Pasep ano-base 2017 já garantiram cerca de R$ 1,2 bilhão a quase 1,3 milhão de trabalhadores brasileiros. Até o final do calendário, serão disponibilizados R$ 17,3 bilhões a mais de 22,8 milhões de pessoas com direito ao benefício em todo o País.

O próximo período de pagamentos começa em 13 de setembro. No caso dos trabalhadores da iniciativa privada, com cobertura do Programa de Integração Social (PIS), os saques poderão ser feitos por quem nasceu no nono mês do ano. Já para os servidores públicos, sob proteção do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), os pagamentos serão realizados a quem tiver o número 2 no final da inscrição.

O abono salarial garante o pagamento de até um salário mínimo por ano aos trabalhadores com renda mensal média de até dois salários mínimos que tenham trabalhado formalmente durante pelo menos 30 dias no ano-base. Também é preciso estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter tido seus dados declarados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O valor recebido por cada trabalhador é proporcional ao tempo trabalhado em 2017. Cada mês trabalhado garante 1/12 do salário mínimo em vigor no Brasil, de R$ 954. Quem esteve empregado durante todo o ano receberá a quantia cheia.

O dinheiro deve ser sacado na Caixa ou em uma lotérica, no caso do PIS, e no Banco do Brasil, no caso do Pasep. Os valores ficarão disponíveis até 30 de junho do ano que vem. Após o fim desse prazo, o montante retornará ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que é vinculado ao Ministério do Trabalho.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do Ministério do Trabalho