Esporte

Jogos Sul-Americanos

Boliche masculino garante prata e vaga em Toronto 2015

Marcelo Suartz e Renan Zoghaib superaram os favoritos colombianos na semifinal
publicado: 14/03/2014 14h24, última modificação: 23/12/2017 11h39
Boliche masculino garante prata e vaga em Toronto 2015

Apesar de a vaga do Brasil por equipe já estar garantida, os dois atletas ainda precisam lutar pela indicação - Foto: Washington Alves/Inovafoto

O boliche já está no DNA do paulista Marcelo Suartz. Seus pais praticavam a modalidade, e por isso não foi surpresa começar a jogar com apenas quatro anos de idade. O conterrâneo Renan Zoghaib, de São José dos Campos, foi jogador de futebol. Era zagueiro da equipe do São Caetano, dos 13 aos 18 anos, foi quando trocou os gramados pelas pistas de boliche. A união dos dois deu certo, e nessa quinta-feira (13), Marcelo e Renan garantiram a medalha de prata nos X Jogos Sul-Americanos, em Santiago, e a vaga, por equipes, do Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015.

“Nosso objetivo na competição foi atingido. A Colômbia e a Venezuela só contam em suas equipes com jogadores profissionais, e nós conseguimos derrotar os colombianos nas semifinais com muitos pinos na frente deles”, disse Renan. “O ponto principal para conseguirmos esta vitória foi controlar a ansiedade o tempo inteiro”, completou Marcelo.

Apesar de a vaga do Brasil por equipe já estar garantida, os dois atletas ainda precisam lutar pela indicação.  A seleção brasileira permanente conta hoje com seis jogadores. Mas ambos dificilmente devem perder a chance de representar o País. Renan é o primeiro colocado do ranking nacional. Marcelo, por sua vez, conquistou a primeira medalha de bronze individual nos Jogos Pan-Americanos de Guadalaraja 2011. Além disso, aos 20 anos, quando foi para os Estados Unidos estudar marketing na Webber International University, na Flórida, foi campeão e eleito o melhor jogador universitário.

Na decisão dos Jpgos Sul-Americanos, em Santiago, a dupla brasileira não conseguiu superar a Venezuela. Os venezuelanos Andre Monacelli e Ruiz Perez não só venceram a competição por equipe, como ainda estabeleceram o novo recorde sul-americano, com 5.705 pontos. Mas para Renan e Marcelo, que totalizaram 5.370, o objetivo já havia sido alcançado. E com êxito. A medalha de bronze ficou com a Colômbia, com 5.051 pontos Nesta sexta-feira (14), Renan e Marcelo voltam à pista para as provas individuais.

Fonte:
Comitê Olímpico Brasileiro

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems