Meio Ambiente

Preservação

Estações ecológicas comemoram 30 anos nesta quinta-feira (20)

Carijós (SC), Tupinambás (SP) e Pirapitinga (MG) foram criadas no mesmo dia, pelo mesmo decreto, em 1987
publicado: 20/07/2017 11h37, última modificação: 23/12/2017 10h43
Estações ecológicas comemoram 30 anos nesta quinta-feira (20)

Jacaré-do-papo-amarelo está entre as espécies protegidas na estação de Pirapitinga (MG) - Foto: Arquivo/ ICMBio

As estações ecológicas (Esec) de Carijós, em Florianópolis (SC), Tupinambás, no litoral de São Paulo (SP), e Pirapitinga, em Morada Nova (MG), celebram aniversário de 30 anos nesta quinta-feira (20). Um único decreto, o de número 94.656, criou as três unidades de conservação (UCs) em 20 de julho de 1987.

A Lei que instituiu o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (Snuc) descreve que estações ecológicas são áreas terrestres ou marinhas, ricas em fauna e flora, que têm como principais objetivos a preservação integral da natureza e a realização de pesquisas científicas. E ainda: estão abertas à visitação para atividades educativas.

Saiba um pouco sobre cada uma delas, que ficam em diferentes biomas e guardam riquezas naturais distintas.

Carijós

Arquivo/ ICMBio

Estação Ecológica Carijós

Possui elevada importância para a preservação da Baía Norte da Ilha de Santa Catarina, por ser área de reprodução e crescimento de animais marinhos, muitos de valor comercial. São mais de 500 espécies de animais e dezenas de espécies da flora de manguezais e restingas.

Por ficar em área semiurbana, à beira do litoral, a unidade sofre pressão por todos os lados. Pela terra, há riscos de invasões e aterros ilegais por parte da especulação imobiliária. Pelo mar e rios, existem ameaças de pesca irregular e extração de caranguejos, além da poluição.

Tupinambás

Arquivo/ ICMBio

Estação Ecológica Tupinambás

É dividida em dois setores. O Setor I fica em São Sebastião, a aproximadamente 35 km da costa, compreendendo parte do arquipélago dos Alcatrazes. O Setor II está localizado em Ubatuba, a cerca de 4 km da costa, abrangendo parte do arquipélago da ilha Anchieta, nas proximidades do Parque Estadual da Ilha Anchieta, sendo composto pela ilha das Palmas, Ilhote e laje do Forno e Ilhota das Cabras.

No ano passado, foi criado na região o Refúgio de Alcatrazes. Juntas, as duas unidades de conservação (UCs) passaram a proteger cerca de 70.000 hectares, abrangendo todo o arquipélago dos Alcatrazes. É a maior área marinha de proteção integral das regiões Sudeste e Sul e a segunda maior do Brasil.

Pirapitinga

Arquivo/ ICMBio

Estação Ecológica Pirapitinga

Situada na confluência do córrego Riachão com o rio São Francisco, a Estação Ecológica de Pirapitinga localiza-se em ilha artificial de 1.090 hectares, no reservatório da Usina Hidrelétrica de Três Marias, na região central de Minas Gerais, no município de Morada Nova de Minas. A unidade preserva amostras significativas do bioma Cerrado, em todas as suas fitofisionomias, e mantém ainda áreas de cobertura florestal. 

Contribui para a manutenção da viabilidade ecológica de populações de fauna e flora associadas à ilha, entre elas, espécies vegetais ameaçadas de extinção, como a sucupira-branca e o baru, e animais, como o jacaré-do-papo-amarelo. Outra função importante da unidade é conservar a bacia dos rios do Boi, Indaiá e Borrachudo, contribuintes do rio São Francisco, garantindo o estoque pesqueiro na região.

Fonte: Portal Brasil, com informações do ICMBio. 

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems