Geral

Médico formado no exterior tem até domingo para se cadastrar e validar diploma

publicado: 15/10/2010 20h03, última modificação: 23/12/2017 03h06

Candidatos inscritos no processo de revalidação de diplomas médicos do exterior têm até as 23h59 do dia 17 de outubro para fazer o cadastramento de seus dados. A participação na seleção só estará confirmada após a efetivação do cadastramento. O prazo foi prorrogado através de edital do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). 

Podem se cadastrar candidatos que tiveram suas inscrições homologadas pelas instituições de ensino superior conveniadas ao projeto. Os exames serão realizados em Brasília e avaliarão conhecimentos, habilidades e competências exigidas para exercício da medicina no Brasil. 

O processo de revalidação é formado por três testes de caráter eliminatório: objetivo, discursivo e prova prática de habilidades clínicas. A prova objetiva deve ser realizada em 24 de outubro, das 8h às 13h, e o teste discursivo no mesmo dia, das 15h às 18h. O edital com os locais dos exames objetivo e discursivo deve ser divulgado em 18 de outubro. 

Serão considerados aprovados nas provas escritas (objetiva e discursiva) os participantes que alcançarem no mínimo 112 pontos. Candidatos com média igual ou superior a essa, estarão aptos para participar da prova prática de habilidades, prevista para os dias 4 e 5 de dezembro. Os candidatos aprovados em todas as etapas terão o diploma revalidado pela universidade na qual se inscreveu.

A nova sistemática para revalidação dos diplomas começou a ser planejada pelo grupo de trabalho interministerial criado em 2007, com participação de representantes dos ministérios da Educação, Relações Exteriores e Saúde. O grupo ouviu universidades, associações médicas e associações de ex-alunos para discutir formas de aperfeiçoamento do sistema. 

O projeto piloto foi elaborado com base na Matriz de Correspondência Curricular, que leva em consideração diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em medicina para estabelecer parâmetros e critérios mínimos de aferição de equivalência curricular.


Fonte:
Ministério da Educação