Saúde

Liberados R$ 11 milhões para compra de equipamentos de vigilância alimentar

publicado: 26/10/2012 17h08, última modificação: 23/12/2017 02h43

Para investir na estruturação da Vigilância Alimentar e Nutricional de 969 municípios de 26 estados brasileiros foi autorizado, pelo Ministério da Saúde, o repasse de R$ 11 milhões, que serão gastos na aquisição de equipamentos antropomédicos – utilizados no acompanhamento do estado de saúde dos usuários de Unidades Básicas de Saúde (UBS). Serão contempladas as unidades com equipes inscritas no Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ).

O investimento está previsto na Portaria nº 2.392, publicada no Diário Oficial da União. Os primeiros beneficiados serão os municípios com índices mais vulneráveis, de acordo com as avaliações realizadas pelo programa.

O objetivo é melhorar a infraestrutura das unidades, ação prevista no Programa de Requalificação das Unidades Básicas de Saúde. Os recursos, em sua maioria, são para aquisição de balanças convencionais, pediátricas, portáteis e instrumentos para aferição de medidas corporais. O incentivo também pode ser destinado para a compra de balanças, com capacidade de até 200 quilos, que são adequadas às pessoas obesas. Estes equipamentos devem ser adquiridos de acordo com a necessidade específica de cada UBS.

“Com os novos equipamentos, os municípios poderão fazer um diagnóstico mais preciso da situação nutricional de seus indivíduos, o que vai permitir um planejamento adequado à realidade de cada região”, explica a coordenadora de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Patrícia Jaime.

Segundo a coordenadora, o peso tem influência significativa na evolução clínica de doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão e diabetes. “Por isso, é essencial o monitoramento de peso, para o enfrentamento dessas doenças”, completa Patrícia.

A verificação de peso, altura e a classificação do estado nutricional dos brasileiros são medidas já realizadas nas unidades básicas. Os equipamentos a serem comprados ajudarão na coleta desses dados e no acompanhamento dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). As informações coletadas são inseridas no Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan) e contribuem para o desenvolvimento de políticas públicas mais efetivas.

PMAQ

Lançado no ano passado pelo Ministério da Saúde, o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica prevê a transferência de recursos aos municípios conforme o desempenho de suas equipes, que são avaliadas pelo próprio ministério. Os recursos previstos para o programa neste ano são R$ 800 milhões.

 

Fonte:
Ministério da Saúde