Saúde

Rio 2016

Monitoramento de saúde dos Jogos funciona 24h

Atendimentos aos atletas, delegações e espectadores das competições são acompanhados por centro de operações integrado
publicado: 02/08/2016 15h25, última modificação: 23/12/2017 10h42
Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (CIOCS)

O centro monitora as situações de risco, a demanda por atendimento, a vigilância epidemiológica e sanitária - Foto: Carol Delmazo/Brasil 2016

Os serviços para assistência à saúde dos atletas, delegações e espectadores dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos estão preparados. A infraestrutura recebeu reforço em todas as áreas, e as ações estão sendo monitoradas 24 horas pelo Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (CIOCS), que funciona direto do Centro de Operações Rio (COR), no Rio de Janeiro.

A equipe composta por 125 profissionais do Ministério da Saúde atua na coordenação dos trabalhos, realizados em parceria com os Estados e municípios envolvidos.

O centro monitora as situações de risco, a demanda por atendimento, a vigilância epidemiológica e sanitária, além de coordenar respostas diante de emergências em saúde pública.

As demais cidades que receberão os Jogos (Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Salvador e Manaus) adotarão o mesmo modelo de monitoramento, que é utilizado desde 2011 no País, e já foi ativado em eventos como a Copa do Mundo e Jornada Mundial da Juventude.

A regulação, em caso de atendimento básico, continua normalmente. 90% dos atendimentos ligados à Olimpíada serão atendidos dentro das próprias áreas. Os médicos nos postos de atendimento comunicam o CIOCS e as equipes de remoção do SAMU.

"A regulação será toda feita pela rede municipal, o Estado fará a remoção e, caso necessite de cirurgia mais complexa, os hospitais especializados terão aporte para contribuir”, afirmou o José Manoel de Souza Marques, coordenador-geral da Força Nacional do SUS.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Saúde

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems