Defesa e Segurança

Brasil defende na Turquia busca de consenso por meio de ações pacíficas

publicado: 24/02/2012 11h14, última modificação: 22/12/2017 14h27

As tensões nos países muçulmanos devem dominar os debates nesta sexta-feira (24) em Istambul, na Turquia. O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, participa das reuniões da conferência Contribuindo para a Paz pela Mediação, que serão concluídas no sábado (25).

Para o Brasil, é fundamental buscar caminhos pacíficos para encerrar crises e controvérsias no mundo. Na quarta-feira (22), durante sessão nas Nações Unidas, Patriota ressaltou que todos devem atuar na preservação e concessão de garantias para os civis ameaçados pelos confrontos. É o chamado conceito da responsabilidade ao proteger.

Em Istambul, o chanceler tem reuniões com os ministros das Relações Exteriores da Turquia e da Finlândia. Também pretende conversar com os embaixadores brasileiros que comandam as representações diplomáticas no Oriente Médio e no Norte da África. Há cerca de um ano, as duas regiões estão sob forte crise política causada por protestos constantes.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, Patriota pretende conversar com os embaixadores para fazer uma “avaliação sobre os recentes [episódios] naquela região”. A ideia é elaborar um planejamento da ação diplomática brasileira em suas vertentes bilateral, regional e multilateral nos planos político e econômico-comercial.

Oficialmente, o governo brasileiro informa que segue as orientações da Liga Árabe (formada por 22 nações) sobre a condução dos processos nos países muçulmanos. Patriota está em contato constante com o comando do bloco, em busca de informações e para prestar a solidariedade brasileira. O Brasil, por exemplo, participa hoje das reuniões na Tunísia, dos Amigos da Síria, sobre o agravamento da situação na região.

 

Fonte:
Agência Brasil