Você está aqui: Página Inicial > Textos > Reforma da Previdência: nada muda para os trabalhadores rurais

Reforma da Previdência: nada muda para os trabalhadores rurais

por Governo do Brasil — publicado 05/12/2017 18h50, última modificação 11/12/2017 16h44
Trabalhadores rurais estão fora das mudanças nas regras de aposentadoria. Para eles, nada muda. Governo optou por proteger esse grupo

A reforma tem como um de seus pontos mais essenciais a proteção para quem trabalha na agricultura e na pecuária.

Ao propor mudanças nas regras de aposentadorias, o Governo do Brasil optou por proteger esse grupo de trabalhadores, que normalmente tem uma jornada de trabalho mais exaustiva.

Para eles, todos os direitos serão mantidos. Na prática, tudo deve permanecer igual: para se aposentar, o trabalhador rural, quando chegar aos 55 anos (mulher) ou 60 anos (homem), deve comprovar, junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o trabalho no campo por pelo menos 15 anos.

Declarações do sindicato de trabalhadores rurais, declaração de beneficiário da reforma agrária emitida pelo Instituto Nacional de Reforma Agrária (Incra) ou notas de venda de produtos agrícolas podem servir como documentos comprobatórios.

Garantia de direitos

A reforma da Previdência protege quem mais precisa e garante uma aposentadoria mais justa para todos os brasileiros.

As regras atuais, com o pagamento de superaposentadorias para políticos e para o alto funcionalismo público, criam uma classe de privilegiados que se aposentam cedo e com valores que deixam as contas públicas no vermelho.

Para acabar com essa desigualdade, a reforma da Previdência vai promover um sistema mais equilibrado e sustentável.

Banner - Reforma da Previdência 

Fonte: Governo do Brasil, com informações da Secretaria de Previdência