Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2009 > 11 > Cresce número de transplantes no País

Saúde

Cresce número de transplantes no País

Doação de órgãos

Número de doadores de órgãos no Brasil cresce a cada dia e, com ele, o índice de transplantes realizados no País
por Portal Brasil publicado: 05/11/2009 11h40 última modificação: 28/07/2014 09h02

O número de doadores de órgãos no Brasil cresce cada dia, e com ele, o índice de transplantes realizados no País. O programa público nacional de transplantes de órgãos e tecidos é um dos maiores do mundo. O Brasil já ultrapassou a marca de um milhão de doadores de medula óssea e é considerado o terceiro maior banco de dados do gênero no mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos e a Alemanha.

O prazo máximo para que a cirurgia seja feita após a retirada do órgão varia de acordo com cada tecido. A cirurgia de coração e fígado é a mais urgente e deve ser feita no prazo de 4 a 6 horas. Depois vem a do fígado, 12 a 18 horas, e rins, 24 a 36 horas. A córnea pode ser transplantada em até 14 dias. Tal facilidade fez com que o Brasil registrasse, no primeiro semestre de 2009, 6.151 transplantes desse tipo. A cirurgia de córnea também é mais fácil porque pode ser realizada em ambulatórios, sem necessidade da internação do paciente.

Apesar do crescimento do número de transplantes no Brasil, a lista de espera por órgãos e tecidos ainda é grande, com aproximadamente 60 mil pessoas. Mais da metade desses pacientes esperam por um transplante renal.

A autorização para doação de órgão é dada pela família do falecido. O transplante ocorre a partir da constatação da morte cerebral. Em casos como o de medula óssea, rim, fígado e pâncreas, a doação pode ser realizada ainda em vida, em caso de parentesco até 4º grau, ou com autorização judicial para não familiares.

Mais informações:
Portal da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos para todos
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Mais Médicos contribui com importantes resultados na saúde da população brasileira
Renato Tasca, coordenador da Unidade Técnica Mais Médicos da OPAS/OMS, avalia o programa Mais Médicos: "Estou muito orgulhoso de estar apoiando o Brasil nessa tarefa desafiadora"
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Mais Médicos para todos
 Renato Tasca, coordenador da Unidade Técnica Mais Médicos da OPAS/OMS, avalia o programa Mais Médicos: "Estou muito orgulhoso de estar apoiando o Brasil nessa tarefa desafiadora"
Mais Médicos contribui com importantes resultados na saúde da população brasileira

Últimas imagens

Nordeste foi a região mais beneficiada, com 24 médicos. Sudeste receberá 20 profissionais, seguido do Centro-Oeste (7), Sul (7) e o Norte(2)
Nordeste foi a região mais beneficiada, com 24 médicos. Sudeste receberá 20 profissionais, seguido do Centro-Oeste (7), Sul (7) e o Norte(2)
Divulgação/Ministério da Saúde
Cadastro vai possibilitar a criação de políticas para ampliação do número de médicos especialistas, como pediatras
Cadastro vai possibilitar a criação de políticas para ampliação do número de médicos especialistas, como pediatras
Vila Velha-ES
Em 87,1% dos municípios havia atendimento de emergência (24 horas)
Em 87,1% dos municípios havia atendimento de emergência (24 horas)
Divulgação/Governo de SP
Ministro Arthur Chioro assinou um termo de compromisso para o enfrentamento da Hanseníase com 141 municípios matogrossense
Ministro Arthur Chioro assinou um termo de compromisso para o enfrentamento da Hanseníase com 141 municípios matogrossense
Rondon Vellozo/Ascom-MS
Vacina é segura e protege contra a paralisia infantil, que pode levar a morte ou deixar sequelas para o resto da vida
Vacina é segura e protege contra a paralisia infantil, que pode levar a morte ou deixar sequelas para o resto da vida
Gabriel Rosa/SMCS

Governo digital