Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2010 > 04 > Vacinação contra o vírus da Influenza A (H1N1) continua até 21 de maio

Saúde

Vacinação contra o vírus da Influenza A (H1N1) continua até 21 de maio

por Portal Brasil publicado: 09/04/2010 15h08 última modificação: 28/07/2014 11h50
Exibir carrossel de imagens Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza A (H1N1)

Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza A (H1N1)

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza A (H1N1) vai até o dia 21 de maio de 2010 e deve imunizar, em etapas, cerca de 91 milhões de brasileiros.

A iniciativa prioriza a imunização de grupos considerados mais vulneráveis à doença, como trabalhadores de serviços de saúde, gestantes, população indígena e pessoas com doenças crônicas. Além disso, uma grande parcela da população saudável e de menor risco também receberá a vacina (veja abaixo o calendário de vacinação para cada grupo).

Fique atento ao calendário e procure um posto de saúde na data da convocação. Se você tiver, leve a sua carteira de vacinação.

Para mais informações sobre a campanha e detalhes sobre contágio e formas de prevenção contra a Influenza A (H1N1) consulte o site oficial da campanha.

Como funciona a vacina

A vacina contra o vírus Influenza A H1N1 já está em uso em outros países, é segura e não tem sido observada relação entre seu uso e a ocorrência de reações adversas graves.

No Brasil, ela é injetável e administrada via intramuscular. Sua efetividade média é maior que 95% e a resposta máxima de anticorpos é observada entre o 14º e o 21º dia após a vacinação.

Após tomar a vacina, podem ocorrer reações leves como dor local, febre baixa, dores musculares, sintomas que passam em torno de 48 horas.

O que é H1N1?

O Influenza H1N1 é um vírus pandêmico que tem maior potencial de causar doenças respiratórias agudas graves, em comparação ao vírus da gripe comum. Sua transmissão ocorre de forma direta, de pessoa a pessoa, por meio de gotículas de saliva expelidas ao falar, tossir e espirrar. Também é transmitido por contato indireto, por meio de secreções de pessoas infectadas.

Principais sintomas

O período de incubação do vírus é de três a cinco dias, quando começam os primeiros sintomas, geralmente febre alta (acima de 38°C), tosse seca e dificuldade respiratória, acompanhados ou não de dor de garganta, dor muscular e nas articulações, manifestações gastrointestinais e dor de cabeça.

Caso apresente dois ou mais desses sintomas, a pessoa deve procurar seu médico de confiança ou a unidade de saúde mais próxima.

Clique aqui para imprimir o calendário de vacinação de bolso

Seja avisado por e-mail sobre a vacinação. Clique e cadastre-se

Fonte:
Ministério da Saúde
Site oficial da Campanha

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Hospital da UnB amplia áreas de atendimento após repasses federais
Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos para todos
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Hospital da UnB amplia áreas de atendimento após repasses federais
Hospital da UnB amplia áreas de atendimento após repasses federais
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Mais Médicos para todos

Últimas imagens

Os testes rápidos também podem detectar dengue e chikungunya
Os testes rápidos também podem detectar dengue e chikungunya
Divulgação/EBC
Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares assinou pacto com outras 21 instituições de mobilização para combater o Aedes aegypti
Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares assinou pacto com outras 21 instituições de mobilização para combater o Aedes aegypti
Divulgação/EBC
Serão necessários outros estudos para analisar qual o tempo de sobrevivência do vírus após passar pelos sucos gástricos
Serão necessários outros estudos para analisar qual o tempo de sobrevivência do vírus após passar pelos sucos gástricos
Divulgação/EBc
Aplicativo permite mapear focos do mosquito Aedes aegypti
Aplicativo permite mapear focos do mosquito Aedes aegypti
Divulgação/Blog da Saúde
Com o leite humano, o bebê fica protegido de infecções, diarreias e alergias, cresce com mais saúde, ganha peso mais rápido e fica menos tempo internado
Com o leite humano, o bebê fica protegido de infecções, diarreias e alergias, cresce com mais saúde, ganha peso mais rápido e fica menos tempo internado
Divulgação/EBC

Governo digital