Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 01 > Orçamento da Saúde em 2011 será o maior desde 95, segundo cálculo do Contas Abertas

Saúde

Orçamento da Saúde em 2011 será o maior desde 95, segundo cálculo do Contas Abertas

por Portal Brasil publicado: 10/01/2011 16h12 última modificação: 28/07/2014 12h47
Tatiana Stuckert/MS Principal programa orçamentário é o Assistência Ambulatorial e Hospitalar Especializada. O segundo mais bem contemplado com verba em 2011 deve ser o Programa de Atenção Básica em Saúde

Principal programa orçamentário é o Assistência Ambulatorial e Hospitalar Especializada. O segundo mais bem contemplado com verba em 2011 deve ser o Programa de Atenção Básica em Saúde

Levantamento feito pela organização não governamental Contas Abertas indica que o Ministério da Saúde terá para 2011 um orçamento de cerca de R$ 77 bilhões, o maior valor já registrado desde 1995, cuja verba era de R$ 91,6 bilhões. O Ministério da Saúde ainda não confirmou os valores, mas informou ao Portal Brasil, nesta segunda-feira (10), que a cifra deve superar os R$ 70,9 bilhões. O ministério ressalvou, no entanto, que aguarda a sanção do Projeto de Lei Orçamentária (PLO) de 2011, pelo Congresso Nacional.   

Desde 1995, a verba para o setor tem se mantido na média de R$ 53 bilhões (em valores atualizados). Em 2011, a pasta comandada pelo médico Alexandre Padilha deve ter o segundo maior orçamento da Esplanada dos Ministérios, logo atrás do da Previdência Social, previsto em R$ 291 bilhões, pelos cálculos do Contas Abertas – uma entidade da sociedade civil, sem fins lucrativos, que reúne pessoas físicas e jurídicas, lideranças sociais, empresários, estudantes, jornalistas e colaboradores. 

Em 2003, primeiro ano do governo Lula, a verba destinada à área da Saúde foi de R$ 44,6 bilhões. No final do governo, o valor alcançou R$ 67,5 bilhões. Veja a evolução do orçamento da Saúde de 1995 a 2011, clique aqui. 

Segundo o secretário da entidade, Gil Castelo Branco, dos R$ 77 bilhões previstos para a saúde, R$ 68 bilhões seriam para o Fundo Nacional da Saúde, que é o gestor financeiro dos recursos do Sistema Único de Saúde (SUS), por onde é feito os repasses para estados, municípios, além do Distrito Federal. 

O principal programa orçamentário do Ministério da Saúde é o de Assistência Ambulatorial e Hospitalar Especializada. O segundo programa do Ministério da Saúde mais bem contemplado com verba para este ano é o de Atenção Básica em saúde.

 

Proposta orçamentária 

De acordo com o Contas Abertas, a proposta orçamentária inicial do governo, encaminhada ao Congresso, estimava quase R$ 74,2 bilhões para a área da saúde em 2011. No entanto, durante tramitação do projeto de lei no Legislativo, o montante ganhou um reforço de R$ 4 bilhões. “Mesmo assim, com a ousadia de alguns parlamentares, quase R$ 1,2 bilhão foi retirado da saúde e redistribuído para outros órgãos, por meio de emendas”, informa a entidade. 

Da quantia total fixada para o ministério, R$ 14 bilhões devem ser destinados ao pagamento de pessoal e encargos sociais – funcionários administrativos, médicos, enfermeiros etc. Cerca de R$ 58,4 bilhões serviriam para custear despesas correntes do próprio Ministério da Saúde e de todos os órgãos vinculados à pasta, como Fundação Nacional de Saúde (Funasa); Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); postos de saúde; hospitais; Samu; e farmácias populares, entre outros. 

E R$ 4,8 bilhões devem ser investidos na execução de obras e compra de equipamentos.

O principal programa orçamentário do Ministério da Saúde é, tradicionalmente, o de “assistência ambulatorial e hospitalar especializada”. Mais de R$ 36,3 bilhões estão previstos para esta rubrica. 

A ação de atendimento da população em procedimentos de média e alta complexidade, que integra o programa, tem R$ 30 bilhões orçados. Outra prioridade do maior programa da pasta é a de estruturação de Unidades de Atenção Especializada em Saúde, que conta com cerca de R$ 1,9 bilhão previsto em orçamento. 

O segundo programa do Ministério da Saúde mais bem contemplado com verba para este ano é o de “atenção básica em saúde”. Serão R$ 12,2 bilhões para custear o acesso da população rural e urbana à atenção básica, por meio da transferência de recursos federais, dentre outras finalidades.

 

Fonte:
Portal Contas Abertas 
Agência Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Vacina extra contra febre amarela reforça imunização
Cerca de 1,6 mil doses vão para Minas Gerais, 400 mil para Bahia e 350 mil para Rio de Janeiro
Novo calendário de residência médica permitirá redução das vagas ociosas
A trajetória de estudo de um profissional de medicina inclui a fase de residência médica. Uma medida anunciada pelo governo federal visa reduzir o número de vagas ociosas para quem quer ingressar na carreira
Municípios de São Paulo receberão recursos para investir em saúde
O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta terça-feira (10). No mesmo dia, o estado de São Paulo recebeu novas ambulâncias para renovar a frota do Samu
Cerca de 1,6 mil doses vão para Minas Gerais, 400 mil para Bahia e 350 mil para Rio de Janeiro
Vacina extra contra febre amarela reforça imunização
A trajetória de estudo de um profissional de medicina inclui a fase de residência médica. Uma medida anunciada pelo governo federal visa reduzir o número de vagas ociosas para quem quer ingressar na carreira
Novo calendário de residência médica permitirá redução das vagas ociosas
O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta terça-feira (10). No mesmo dia, o estado de São Paulo recebeu novas ambulâncias para renovar a frota do Samu
Municípios de São Paulo receberão recursos para investir em saúde

Últimas imagens

Gasto federal com terapia renal tem evoluído percentualmente mais do que a quantidade realizada
Gasto federal com terapia renal tem evoluído percentualmente mais do que a quantidade realizada
Divulgação/Governo de Sergipe
Como a doença é considerada rara, Lynparza (olaparibe) teve sua análise priorizada pela Anvisa
Como a doença é considerada rara, Lynparza (olaparibe) teve sua análise priorizada pela Anvisa
Divulgação/Anvisa
A ocorrência de dependência com o uso do Mevatyl é improvável
A ocorrência de dependência com o uso do Mevatyl é improvável
Divulgação/Anvisa
Cartilha visa despertar olhar infantil para conhecimento sobre biologia e principais criadouros do mosquito
Cartilha visa despertar olhar infantil para conhecimento sobre biologia e principais criadouros do mosquito
Foto: Luiz Granzotto/Prefeitura de Campinas
Na arteterapia, a arte é usada como parte do processo terapêutico
Na arteterapia, a arte é usada como parte do processo terapêutico
Kássio Pereira/Governo do Paraná

Governo digital