Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 01 > Orçamento da Saúde em 2011 será o maior desde 95, segundo cálculo do Contas Abertas

Saúde

Orçamento da Saúde em 2011 será o maior desde 95, segundo cálculo do Contas Abertas

por Portal Brasil publicado: 10/01/2011 16h12 última modificação: 28/07/2014 12h47
Tatiana Stuckert/MS Principal programa orçamentário é o Assistência Ambulatorial e Hospitalar Especializada. O segundo mais bem contemplado com verba em 2011 deve ser o Programa de Atenção Básica em Saúde

Principal programa orçamentário é o Assistência Ambulatorial e Hospitalar Especializada. O segundo mais bem contemplado com verba em 2011 deve ser o Programa de Atenção Básica em Saúde

Levantamento feito pela organização não governamental Contas Abertas indica que o Ministério da Saúde terá para 2011 um orçamento de cerca de R$ 77 bilhões, o maior valor já registrado desde 1995, cuja verba era de R$ 91,6 bilhões. O Ministério da Saúde ainda não confirmou os valores, mas informou ao Portal Brasil, nesta segunda-feira (10), que a cifra deve superar os R$ 70,9 bilhões. O ministério ressalvou, no entanto, que aguarda a sanção do Projeto de Lei Orçamentária (PLO) de 2011, pelo Congresso Nacional.   

Desde 1995, a verba para o setor tem se mantido na média de R$ 53 bilhões (em valores atualizados). Em 2011, a pasta comandada pelo médico Alexandre Padilha deve ter o segundo maior orçamento da Esplanada dos Ministérios, logo atrás do da Previdência Social, previsto em R$ 291 bilhões, pelos cálculos do Contas Abertas – uma entidade da sociedade civil, sem fins lucrativos, que reúne pessoas físicas e jurídicas, lideranças sociais, empresários, estudantes, jornalistas e colaboradores. 

Em 2003, primeiro ano do governo Lula, a verba destinada à área da Saúde foi de R$ 44,6 bilhões. No final do governo, o valor alcançou R$ 67,5 bilhões. Veja a evolução do orçamento da Saúde de 1995 a 2011, clique aqui. 

Segundo o secretário da entidade, Gil Castelo Branco, dos R$ 77 bilhões previstos para a saúde, R$ 68 bilhões seriam para o Fundo Nacional da Saúde, que é o gestor financeiro dos recursos do Sistema Único de Saúde (SUS), por onde é feito os repasses para estados, municípios, além do Distrito Federal. 

O principal programa orçamentário do Ministério da Saúde é o de Assistência Ambulatorial e Hospitalar Especializada. O segundo programa do Ministério da Saúde mais bem contemplado com verba para este ano é o de Atenção Básica em saúde.

 

Proposta orçamentária 

De acordo com o Contas Abertas, a proposta orçamentária inicial do governo, encaminhada ao Congresso, estimava quase R$ 74,2 bilhões para a área da saúde em 2011. No entanto, durante tramitação do projeto de lei no Legislativo, o montante ganhou um reforço de R$ 4 bilhões. “Mesmo assim, com a ousadia de alguns parlamentares, quase R$ 1,2 bilhão foi retirado da saúde e redistribuído para outros órgãos, por meio de emendas”, informa a entidade. 

Da quantia total fixada para o ministério, R$ 14 bilhões devem ser destinados ao pagamento de pessoal e encargos sociais – funcionários administrativos, médicos, enfermeiros etc. Cerca de R$ 58,4 bilhões serviriam para custear despesas correntes do próprio Ministério da Saúde e de todos os órgãos vinculados à pasta, como Fundação Nacional de Saúde (Funasa); Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); postos de saúde; hospitais; Samu; e farmácias populares, entre outros. 

E R$ 4,8 bilhões devem ser investidos na execução de obras e compra de equipamentos.

O principal programa orçamentário do Ministério da Saúde é, tradicionalmente, o de “assistência ambulatorial e hospitalar especializada”. Mais de R$ 36,3 bilhões estão previstos para esta rubrica. 

A ação de atendimento da população em procedimentos de média e alta complexidade, que integra o programa, tem R$ 30 bilhões orçados. Outra prioridade do maior programa da pasta é a de estruturação de Unidades de Atenção Especializada em Saúde, que conta com cerca de R$ 1,9 bilhão previsto em orçamento. 

O segundo programa do Ministério da Saúde mais bem contemplado com verba para este ano é o de “atenção básica em saúde”. Serão R$ 12,2 bilhões para custear o acesso da população rural e urbana à atenção básica, por meio da transferência de recursos federais, dentre outras finalidades.

 

Fonte:
Portal Contas Abertas 
Agência Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Hospital da UnB amplia áreas de atendimento após repasses federais
Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos para todos
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Hospital da UnB amplia áreas de atendimento após repasses federais
Hospital da UnB amplia áreas de atendimento após repasses federais
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Mais Médicos para todos

Últimas imagens

As 1.173 vagas deste edital de reposição foram preenchidas por médicos com CRM Brasil
As 1.173 vagas deste edital de reposição foram preenchidas por médicos com CRM Brasil
Foto: Iano Andrade/Portal Brasil
Os testes rápidos também podem detectar dengue e chikungunya
Os testes rápidos também podem detectar dengue e chikungunya
Divulgação/EBC
Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares assinou pacto com outras 21 instituições de mobilização para combater o Aedes aegypti
Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares assinou pacto com outras 21 instituições de mobilização para combater o Aedes aegypti
Divulgação/EBC
Serão necessários outros estudos para analisar qual o tempo de sobrevivência do vírus após passar pelos sucos gástricos
Serão necessários outros estudos para analisar qual o tempo de sobrevivência do vírus após passar pelos sucos gástricos
Divulgação/EBc
Aplicativo permite mapear focos do mosquito Aedes aegypti
Aplicativo permite mapear focos do mosquito Aedes aegypti
Divulgação/Blog da Saúde

Governo digital