Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 11 > Anvisa e OMS definem agenda conjunta em Genebra

Saúde

Anvisa e OMS definem agenda conjunta em Genebra

por Portal Brasil publicado: 24/11/2011 20h13 última modificação: 28/07/2014 12h49

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se reuniu, nesta quarta-feira (23), com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em Genebra, com o objetivo de discutir mecanismos que promovam o fortalecimento da capacidade das autoridades reguladoras na proteção da saúde em seus países. 

Durante a reunião, foram apresentadas as iniciativas de trabalhos conjuntos envolvendo a Anvisa e outras autoridades nacionais, especialmente as experiências da Organização Pan-americana de Saúde (Opas). A organização reconhece, além da Anvisa, as autoridades da Argentina, Colômbia e Cuba como de referência para a região das Américas.

A diretora geral da OMS, Margareth Chan, definiu que o próximo passo será a realização de um encontro, em maio de 2012, com o objetivo de discutir como as iniciativas de vários países podem ser articuladas. O encontro será organizado pela Missão do Brasil junto às Nações Unidas (ONU) e contará com a presença ministro da Saúde do Brasil, Alexandre Padilha.

Além da audiência com a OMS, a Anvisa irá se reunir com autoridades sanitárias de Portugal, a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed), e da França, Agence Française de Securité des Produits de la Santé (AFSSAPS).

Com o Infarmed foram definidas, entre outras coisas, ações estratégicas vinculadas ao memorando de entendimentos vigente, com o objetivo de fortalecer a confiança entre as autoridades em temas relacionados a medicamentos e dispositivos médicos.

O encontro com a AFSSAPS acontecerá nesta sexta-feira (25), quando será assinado um memorando de entendimentos estabelecendo as bases para a cooperação entre as agências brasileira e francesa.

 

Fonte:
Anvisa

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital