Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 11 > Governo capacita profissionais de saúde indígena do País a partir desta 3ª

Saúde

Governo capacita profissionais de saúde indígena do País a partir desta 3ª

por Portal Brasil publicado: 29/11/2011 17h34 última modificação: 28/07/2014 12h49

Começa nesta terça-feira (29) a primeira fase de capacitação de profissionais de saúde que vão cuidar da saúde bucal de povos indígenas do País. A oficina Brasil Sorridente Indígena, em Brasília (DF), vai contar com a participação de 50 profissionais de saúde bucal dos Distritos Especiais de Saúde Indígena (DSEIs) Xavante (MT), Alto Rio Solimões (AM) e Ato Rio Purus (AC). O curso vai até o dia 2 de dezembro.

Nas aldeias, os profissionais trabalharão para resolver os principais problemas bucais graves e urgentes, incluindo o processo de reabilitação protética para quem já perdeu os dentes.

A equipe para as três aldeias é formada por 26 cirurgiões-dentistas, 11 auxiliares de saúde bucal (ASB) e 10 técnicos de saúde bucal que receberão treinamento específico para atendimento a essa população, observando um protocolo diferenciado para as especificidades e características das etnias.

Também foram enviados aos três distritos 74 mil Kits de higiene bucal, compostos por escova dental adulto/infantil e creme dental fluoretado. O material será doado à população indígena durante as atividades de promoção e prevenção.


Programa pioneiro

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil Sorridente Indígena é a primeira política nacional elaborada especificamente para tratar da saúde bucal desses povos.  O objetivo é ampliar o acesso ao atendimento odontológico nas aldeias, estruturando e qualificando os serviços de saúde bucal nos distritos. Serão investidos R$ 40,7 milhões para implantação e estruturação desse programa para toda a população indígena do Brasil.

Na primeira etapa, o Ministério da Saúde adquiriu 37 consultórios odontológicos portáteis e 37 Kits de instrumental clínico odontológico. Com duração de seis meses, esta fase irá zerar as necessidades das comunidades indígenas nos três distritos, que têm uma população aproximada de 70 mil indígenas. Esses são os três maiores Distritos do País.

O programa também pretende implantar nove Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) e nove Laboratórios Regionais de Prótese Dentária (LRPD), nos mesmos três DSEIs.


Fonte:
Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento

Últimas imagens

Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Foto: Rodrigo Nunes/MS
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Arquivo/Ministério da Saúde
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Olival Santos/Governo de Alagoas
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Divulgação/Prefeitura de Itanhaém (SP)

Governo digital