Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 11 > Hospital das Forças Armadas abre novas vagas para seleção de médicos residentes

Saúde

Hospital das Forças Armadas abre novas vagas para seleção de médicos residentes

por Portal Brasil publicado: 07/11/2011 18h16 última modificação: 28/07/2014 12h49

O Hospital das Forças Armadas (HFA) abriu processo seletivo para preencher 37 vagas de médicos residentes em 17 especialidades. As inscrições podem ser feitas presencialmente ou pela internet e se encerram no próximo dia 13 de novembro. O valor da taxa de inscrição é de R$ 100. A bolsa paga atualmente é de R$ 2.338,06.

As contratações serão realizadas no primeiro semestre de 2012. Em média, os residentes concluem os cursos entre dois e três anos, dependendo da especialidade.

O processo seletivo será executado no Distrito Federal, em uma única fase, pela Fundação Universa, que elaborará prova objetiva é de caráter eliminatório e classificatório. Os locais e horários serão divulgados em 21 de novembro no site da fundação.

Nesta edição, estão abertas vagas nas seguintes especialidades: anestesiologia, cardiologia, cirurgia geral, cirurgia plástica, cirurgia vascular, clínica médica, coloproctologia, gastroenterologia, medicina intensiva, obstetrícia e ginecologia, oftalmologia, ortopedia e traumatologia, otorrinolaringologia, pneumologia, psiquiatria, radiologia e diagnóstico por imagem e urologia. Veja aqui o edital do concurso.

Inaugurado em março de 1972, com o objetivo de prestar assistência hospitalar aos integrantes e dependentes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, além de membros da Presidência da República, o HFA possui serviços e clínicas apontados como “ilhas de excelência” no sistema médico local. Um exemplo é o serviço de medicina hiperbárica, muito utilizado no tratamento dos acidentes de mergulho e auxiliar nas infecções refratárias aos tratamentos convencionais.


Inscrição

Para se inscrever, o candidato poderá buscar a central de atendimento ao candidato da Fundação Universa, localizada na Setor de Grandes Áreas Norte (SGAN) 609, Módulo A, Asa Norte – Brasília/DF, entre 10h e 17h, ou por meio da internet, no site da Universa, até as 20h do dia 13 de novembro (horário oficial de Brasília).

Outras informações poderão ser obtidas pelo telefone (61) 3307-7530. 


Fonte:
Ministério da Defesa

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital