Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 11 > Hospital no RJ será o primeiro de 11 a passar por diagnóstico da emergência

Saúde

Hospital no RJ será o primeiro de 11 a passar por diagnóstico da emergência

por Portal Brasil publicado: 22/11/2011 19h58 última modificação: 28/07/2014 12h49

Primeiro dos 11 hospitais brasileiros a receber o S.O.S Emergências, o Miguel Couto, no Rio de Janeiro, vai passar pelo diagnóstico do Ministério da Saúde a partir do dia 9 de novembro. Durante 30 dias, serão levantadas as principais dificuldades relacionadas à porta de entrada hospitalar e as medidas para redução o tempo de permanência dos pacientes na emergência.

O S.O.S Emergências é uma estratégia do Ministério da Saúde – executada em parceria com estados e municípios – que vai qualificar a gestão e o atendimento nas emergências de grandes hospitais que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No Rio de Janeiro, além do Miguel Couto, da rede municipal, o Hospital Estadual Albert Schweitzer também passará pela avaliação.

Referência em neurocirurgia, traumato-ortopedia e cirurgia vascular, o Miguel Couto foi selecionado para receber a ação por possuir pronto-socorro e por realizar grande número de internações — 11,21 mil de janeiro a outubro deste ano.

No S.OS. Emergência, um grupo de representantes do ministério, das secretarias estaduais e municipais de Saúde e do hospital também vai avaliar a regulação de leitos de retaguarda em unidades da região para atender à demanda do hospital. O núcleo avaliará, por exemplo, quantas equipes do Melhor em Casa poderão ser criadas.

O Ministério da Saúde vai liberar recursos de R$ 3 milhões para cada um dos hospitais para a realização de obras e aquisição de equipamentos – conforme for definido após as avaliações feitas pelos núcleos, em conjunto com a direção das unidades.


Rede

O S.O.S Emergências integra a Rede Saúde Toda Hora e, além do Miguel Couto e do Albert Schweitzer, será realizado em mais nove hospitais de grande porte, localizados em oito capitais: Recife (PE), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Brasília (DF), São Paulo (SP), Belo Horizonte (BH), Goiânia (GO) e Porto Alegre (RS).

Todos os hospitais selecionados são referências regionais, possuem pronto-socorro e realizam grande número de internações e atendimentos ambulatoriais. A meta é que até 2014 o S.O.S Emergências atinja os 40 maiores prontos-socorros brasileiros, em 26 estados e no Distrito Federal. 


Fonte:
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital