Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 11 > SOS Emergência é lançado no Hospital de Base

Saúde

SOS Emergência é lançado no Hospital de Base

por Portal Brasil publicado: 24/11/2011 10h35 última modificação: 28/07/2014 12h49

O Ministério da Saúde anunciou, nesta quarta-feira (23), durante o lançamento do SOS Emergência no Hospital de Base do Distrito Federal (HDBF), que o sistema de classificação de risco de pacientes da unidade vai passar por reformulação para que o tratamento seja mais rápido e melhor orientado. Além disso, será mapeado como os pacientes chegam até o hospital, que por ser referência no Distrito Federal (DF) e no Entorno do DF, acaba recebendo pacientes que poderiam buscar atendimento em outras unidades de saúde. 

“Grande parte dos pacientes que são atendidos no Hospital de Base do DF poderia ter sido atendido em outras unidades, mas procuram aqui por ser referência na região. Além disso, esta unidade recebe muitos pacientes de outros estados, Isso reforça a necessidade de articular com estes municípios uma melhor distribuição destes pacientes”, afirmou ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

O SOS Emergências tem o propósito de humanizar e qualificar o atendimento nas redes de urgência e emergências dos 11 maiores hospitais públicos do País. O Hospital de Base é a quinta unidade a contar com a ação, lançada no dia 8 de novembro pela presidenta Dilma Rousseff.

Durante a visita ao Hospital de Base, o ministro defendeu um acolhimento e uma orientação mais eficientes para a população que procura a emergência e a implantação de uma enfermaria de retaguarda em melhores condições também deve ser avaliada pelo Núcleo de Acesso e Qualidade Hospitalar (NAQH).

“Este núcleo composto por representantes do Ministério da Saúde, Secretaria de Saúde do DF e do Hospital de Base irá fazer um diagnóstico rápido do que precisa ser melhorado na unidade e como o atendimento e os processos internos de gestão da emergência e do hospital como um todo podem ser otimizados”, adiantou o ministro.

O hospital receberá R$ 3,6 milhões por ano do Ministério da Saúde para custear a ampliação e qualificação da assistência da emergência. Outros R$ 3 milhões também poderão ser repassados para a aquisição de equipamentos e realização de obras e reformas na área física do pronto-socorro, conforme aprovação de proposta encaminhada ao Ministério da Saúde.

Por ser especializado em casos de alta complexidade, o Hospital de Base é referência não apenas para os moradores do Distrito Federal, mas também para os de Goiás, Minas Gerais, Bahia, Pará, Tocantins, entre outras unidades da federação. Mensalmente passam cerca de 16 mil pessoas pela emergência do local.

O hospital é o quinto estabelecimento de saúde do País onde o SOS Emergências é instalado. Esta iniciativa já foi implementada na Santa Casa e o Hospital Santa Marcelina, em São Paulo, e nos hospitais Miguel Couto e Albert Schweitzer, no Rio de Janeiro.

A iniciativa integra a Rede Saúde Toda Hora e vai alcançar, até 2014, os 40 maiores prontos-socorros brasileiros, abrangendo todos os 26 estados e o DF. O governo federal – juntamente com estados, municípios e os gestores hospitalares – vai promover o enfrentamento das principais necessidades desses hospitais, qualificar a gestão, ampliar o acesso aos usuários em situações de urgência e garantir atendimento ágil, humanizado e com acolhimento.

 

Medidas

Além do Núcleo de Acesso e Qualidade Hospitalar, o Hospital de Base também contará com apoio do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, de São Paulo, considerado um dos centros de excelência do País na área de saúde. Também serão adotadas medidas como o acolhimento e classificação de risco dos pacientes. Além disso, será organizada a gestão de leitos, fluxo de internação e a implantação de protocolos clínico-assistenciais e administrativos. Serão tomadas, ainda, ações para proporcionar a adequação da estrutura e do ambiente hospitalar.

 

Fonte:
Ministério da Saúde 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes

Últimas imagens

Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Arquivo/Agência Brasil
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Arquivo/Ministério da Saúde

Governo digital