Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 12 > Brasil armazena cerca de 45 mil unidades de sangue de cordão umbilical, segundo Anvisa

Saúde

Brasil armazena cerca de 45 mil unidades de sangue de cordão umbilical, segundo Anvisa

por Portal Brasil publicado: 01/12/2011 19h54 última modificação: 28/07/2014 12h48

Das 45.661 unidades de sangue de cordão armazenadas em bancos privados, no período de 2003 a 2010, apenas oito foram utilizadas para transplante. O dado consta do 2° Relatório de Produção dos Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário para Uso Autólogo (Bscupa). O documento está disponível para consulta no Portal da Anvisa e apresenta dados de produção de 2010, além de atualização das informações referentes aos anos de 2003 a 2009. 
Bscupa são serviços privados que coletam, processam e armazenam sangue de cordão para uso terapêutico futuro. Os serviços oferecidos por estes bancos são destinados apenas ao tratamento da própria criança.
De acordo com o relatório, no ano de 2010, os bancos atingiram o quantitativo de 18 serviços instalados no País: dois na região Centro-Oeste, dois na região Sul, três na região Nordeste e onze na região Sudeste. A região Norte não possui bancos desta natureza.
Em relação ao uso terapêutico das unidades de sangue de cordão armazenadas, os dados apontam a utilização de duas unidades em 2010, ambas empregadas em protocolos de pesquisa clínica.  Os resultados dos usos terapêuticos e a situação clínica dos pacientes, após a infusão das células, não foram informados à Anvisa e serão divulgados segundo critérios estabelecidos pelos pesquisadores.
O relatório aponta, também, o descarte de 1.505 unidades, no período de 2003 a 2010. Entre os principais motivos de inutilização, destacam-se baixa celularidade, contaminação microbiológica e desistência.
O relatório pretende estimular ações de vigilância sanitária e contribuir para a melhoria da qualidade dos serviços e das células disponibilizadas à população.
Confira o relatório completo aqui.

Fonte:
Anvisa

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital