Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 12 > DF receberá R$ 46 milhões para combater o crack em 2012

Saúde

DF receberá R$ 46 milhões para combater o crack em 2012

por Portal Brasil publicado: 14/12/2011 12h14 última modificação: 28/07/2014 12h48

O Distrito Federal (DF) vai receber, em 2012, cerca de R$ 46 milhões para ações do Plano de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas. O dinheiro será investido na instalação de 12 centros de Atendimento Psicológico (CAPs), em programas educativos, aumento do número de leitos em comunidades terapêuticas e na capacitação de profissional. As informações foram dadas nesta quarta-feira (14), pelo o secretário adjunto de Justiça do Distrito Federal, Jefferson Ribeiro.

Em reunião no Palácio do Buriti, o comitê de combate ao crack apresentou o relatório das ações, depois de três meses do plano ter entrado em vigor. Este ano, seis centros de atendimento psicológico álcool e drogas funcionaram no atendimento aos dependentes químicos. No CAP da Rodoviária do Plano Piloto, foram atendidos 1.528 pessoas. No DF, existem mais de 2.000 usuários de crack. O Plano Piloto, em Brasília, e as cidades de Ceilândia e Taguatinga são as regiões mais críticas, segundo Ribeiro.

De acordo com ele, a Secretaria de Justiça pretende, no ano que vem, intensificar uma campanha educativa que prevê a distribuição de cartilhas para cerca de 100 mil jovens e seus pais, explicando os danos causados pelas drogas, principalmente o crack. “É preciso envolver a família no trabalho de conscientização do crack”, declarou. A mobilização para a campanha de enfrentamento será feita principalmente nas redes sociais, nas escolas e em locais da cidade frequentados pelos jovens.

Para o secretário adjunto de Governo, Gustavo Ponce de Leon, o combate às drogas requer uma percepção ampla sobre o problema e tem que envolver principalmente a sociedade. “O combate às drogas precisa ser entendido como problema social, educacional, de direitos humanos e cidadania, e o envolvimento da sociedade é fundamental”, disse.


Fonte:
Agência Brasil

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital