Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 12 > Diferenças regionais são vistas como maior desafio para a Copa na área da saúde

Saúde

Diferenças regionais são vistas como maior desafio para a Copa na área da saúde

por Portal Brasil publicado: 14/12/2011 14h34 última modificação: 28/07/2014 12h48

As diferenças regionais e a integração entre os diversos órgãos ligados à saúde foram apontados como os principais desafios da área na preparação para a Copa do Mundo da Fifa 2014 durante a quinta reunião da Câmara Temática de Saúde, realizada na segunda-feira (12), na sede da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), em Brasília.

"Temos um País de dimensão continental e com cidades-sede nas cinco regiões. São realidades diferentes e algumas cidades têm um conhecimento maior de grandes eventos e uma rede mais estruturada, outras precisam de mais investimentos", explica Adriano Massuda, diretor de Programas do Ministério da Saúde e coordenador geral da Câmara Temática de Saúde.

Segundo o diretor, o mundial será uma oportunidade para que o ministério antecipe investimentos na rede de atenção à saúde que já são necessários. "Estamos fazendo um estudo das necessidades de cada região e aliaremos isso às demandas da Copa. Nenhum investimento será feito exclusivamente para o evento, mas haverá atenção especial para os recursos que servirão aos dois propósitos", explicou.

Dentro do planejamento para a preparação da Copa do Mundo, os técnicos do ministério estão visitando as cidades-sede para mapear as situações e necessidades. Até o inicio de 2012, segundo Adriano Massuda, deve ser definida uma matriz de responsabilidade com o detalhamento das obrigações da União, estados e municípios. "O Sistema Único de Saúde já funciona de forma descentralizada, com os municípios responsáveis por executar as políticas, os estados pela regionalização e a União por financiar e definir as diretrizes" explica.

 

Fonte:
Ministério do Esporte

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Crianças dão um show de conhecimento sobre a luta contra o Aedes aegypti
Aedes aegypti é transmissor de doenças graves, como a dengue, a zika e a chikungunya
Hospital da Bahia oferece tratamento completo contra o câncer
Hospital das Obras da Irmã Dulce, em Salvador, implantou radioterapia
SUS oferece tratamento para parar de fumar
Parar de fumar é uma decisão fundamental para a saúde, mas abandonar a dependência pode ser bem difícil
Aedes aegypti é transmissor de doenças graves, como a dengue, a zika e a chikungunya
Crianças dão um show de conhecimento sobre a luta contra o Aedes aegypti
Hospital das Obras da Irmã Dulce, em Salvador, implantou radioterapia
Hospital da Bahia oferece tratamento completo contra o câncer
Parar de fumar é uma decisão fundamental para a saúde, mas abandonar a dependência pode ser bem difícil
SUS oferece tratamento para parar de fumar

Últimas imagens

Todos os dias, há 12 novas consultas de crianças e adolescentes com suspeita de doenças cardíacas no INC
Todos os dias, há 12 novas consultas de crianças e adolescentes com suspeita de doenças cardíacas no INC
Divulgação/INC
Em cada estado, foram selecionadas três maternidades para receber a estratégia neste primeiro momento
Em cada estado, foram selecionadas três maternidades para receber a estratégia neste primeiro momento
Divulgação/Governo de Goiás
Organização alertou ainda que o comércio ilegal de tabaco está agravando o tabagismo
Organização alertou ainda que o comércio ilegal de tabaco está agravando o tabagismo
Arquivo/USP Imagens
Os preservativos são distribuídas pelo SUS gratuitamente em todo o País
Os preservativos são distribuídas pelo SUS gratuitamente em todo o País
Divulgação/Ministério da Saúde
O Soliqua é indicado para o tratamento de diabetes mellitus tipo 2 para melhorar o controle glicêmico
O Soliqua é indicado para o tratamento de diabetes mellitus tipo 2 para melhorar o controle glicêmico
Antonio Cruz/Agência Brasil

Governo digital