Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 12 > Índios do Vale do Javari são submetidos a exames de hepatite

Saúde

Índios do Vale do Javari são submetidos a exames de hepatite

por Portal Brasil publicado: 14/12/2011 15h30 última modificação: 28/07/2014 12h48

Começou na segunda-feira (12) e segue até o próximo dia 20 a realização de exames clínicos para a avaliação de indígenas portadores de hepatites assistidos pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) Vale do Javari, no município de Atalaia do Norte (AM) – região de difícil acesso, próxima à fronteira com o Peru.

Esta é a terceira ação promovida este ano pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde, em parceria com o Instituto de Medicina Tropical do Amazonas, com o objetivo de identificar o estágio da doença e definir o tipo de tratamento específico para cada paciente.

Para a realização dos exames, aproximadamente 80 indígenas da etnia Kanamari estão sendo deslocados de suas aldeias, que ficam às margens do Rio Itaquaí, até a Casa de Apoio de Tabatinga.  Os  indígenas são submetidos a exames laboratoriais para a identificação de hepatites virais, além de teste rápido para HIV e sífilis, exames para a detecção de malária, testes clínicos de rotina e atualização do cartão de vacinação. A Casa de Apoio de Tabatinga é o local de acolhimento para o tratamento dos indígenas portadores de hepatites virais, que saem de suas aldeias para serem tratados e acompanhados por profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros e técnicos de patologia clínica. Dependendo de cada caso, o tempo de duração do tratamento pode chegar a um ano.

Este ano, o Dsei Vale do Javari promoveu outras duas ações para exames clínicos em indígenas da região, beneficiando 203 índios das etnias Matis, Mayoruna e Marubo. A primeira ação foi realizada em maio e atendeu a 98 índios. A segunda ocorreu em outubro e envolveu 105 indígenas.

Durante a realização dessa terceira etapa, os indígenas identificados como portadores de hepatites durante o primeiro e segundo manejo clínico serão reavaliados a fim de se verificar a evolução do tratamento e também identificar os indígenas aptos a receber alta e retornar as aldeias. Vale ressaltar que os indígenas que são submetidos aos exames na Casa de Tabatinga já participaram anteriormente de triagem sorológica nas aldeias e alguns foram identificados como suspeitos de serem portadores de hepatites B e D.

Com realização desse tipo de ação, o Ministério da Saúde espera reduzir a incidência de hepatites virais entre indígenas do Dsei Vale do Javari.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil

Últimas imagens

A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
Arquivo/Ministério da Saúde
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Cícero Oliveira/UFRN

Governo digital