Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 12 > Ministério da Saúde alerta sobre alimentação nas comemorações de fim de ano

Saúde

Ministério da Saúde alerta sobre alimentação nas comemorações de fim de ano

Prevenção

Cuidado deve ser mais rigoroso para quem possui restrições alimentares, como pessoas hipertensas e com problemas cardiovasculares
por Portal Brasil publicado: 27/12/2011 12h32 última modificação: 05/12/2014 15h36

O Ministério da Saúde alertou que é importante ficar atento aos excessos durante a época de festas. O cuidado deve ser mais rigoroso para quem possui restrições alimentares, como pessoas hipertensas e com problemas cardiovasculares. A redução do consumo de sódio no Brasil é uma das estratégias do governo federal para o enfrentamento às doenças crônicas.

"O bacalhau, por exemplo, é um prato habitual nas comemorações de final de ano. É importante dessalgá-lo para evitar uma retenção na pressão arterial. Outro aspecto importante são as bebidas alcoólicas. É importante lembrar que o excesso delas contribui para o aumento da pressão arterial também", observa o cardiologista do Instituto Nacional de Cardiologia (Inca), Marcelo Assad.

A hipertensão arterial atinge 23,3% da população adulta brasileira (maiores de 18 anos), de acordo com o estudo Vigilância de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel/2010). Já as doenças cardiovasculares foram responsáveis por 319 mil óbitos em todo o País, em 2009. 

Para evitar os abusos durante as festas, a coordenadora de alimentação e nutrição do Ministério da Saúde, Patrícia Jaime, dá dicas de como aproveitar as ceias em família sem precisar cometer excessos. “Comece sempre pelas saladas, pelas frutas, e depois faça a opção por carnes que sejam mais magras. Evite o consumo de massas com caldos muito gordurosos, à base de queijo e leite".

Patrícia Jaime também destacou a importância da hidratação para quem vai ingerir bebidas alcoólicas durante as festividades de dezembro. Segundo ela, beber água entre um copo de álcool e outro é fundamental para proteger o organismo e evitar consequências desagradáveis no dia seguinte, como enxaquecas, dores estomacais e diarréias. Assim como para a alimentação, o consumo de bebidas alcoólicas também deve ser visto com moderação.

A ingestão regular e excessiva de álcool é um importante problema de saúde pública e está associado a uma grande proporção de acidentes, violência e mortes, em casa e nas estradas. Mas se o excesso for inevitável, a hidratação à base de água e sucos de frutas ainda continua sendo a melhor opção de tratamento. Caso os sintomas não desapareçam, a pessoa deve procurar imediatamente por orientação médica.

Fonte:

Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Ministério da Saúde garante que não faltará vacina de febre amarela
A pasta atualizou os dados sobre os casos de febre amarela registrados no País e garantiu que não vai faltar vacina para imunização
Secretária fala sobre aborto e tratamento das mulheres nos hospitais públicos
Fátima Pelaes detalha ações do governo para o tratamento das mulheres em hospitais públicos e planejamento familiar
Entenda o que é a dose fracionada da vacina contra febre amarela
População de municípios de São Paulo, Rio e Bahia vai receber a dose fracionada da vacina, por decisão do Ministério da Saúde
A pasta atualizou os dados sobre os casos de febre amarela registrados no País e garantiu que não vai faltar vacina para imunização
Ministério da Saúde garante que não faltará vacina de febre amarela
Fátima Pelaes detalha ações do governo para o tratamento das mulheres em hospitais públicos e planejamento familiar
Secretária fala sobre aborto e tratamento das mulheres nos hospitais públicos
População de municípios de São Paulo, Rio e Bahia vai receber a dose fracionada da vacina, por decisão do Ministério da Saúde
Entenda o que é a dose fracionada da vacina contra febre amarela

Últimas imagens

Redução é acompanhada do aumento das inciativas do Ministério da Saúde para intensificar os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti
Redução é acompanhada do aumento das inciativas do Ministério da Saúde para intensificar os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Kits contêm 30 tipos de medicamentos e 18 tipos de insumos
Kits contêm 30 tipos de medicamentos e 18 tipos de insumos
Arquivo/EBC

Governo digital