Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2011 > 12 > Saúde vai investir R$ 500 milhões para o combate ao crack em São Paulo

Saúde

Saúde vai investir R$ 500 milhões para o combate ao crack em São Paulo

por Portal Brasil publicado: 14/12/2011 11h32 última modificação: 28/07/2014 12h48

O Ministério da Saúde vai liberar para o estado de São Paulo R$ 500 milhões, até 2014, a fim de combater o uso de crack. Os recursos virão dos R$ 4 bilhões destinados ao programa lançado pelo governo federal para diminuir o consumo da droga em todo o País. Segundo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, por causa da gravidade do problema em São Paulo, o estado é visto como “grande prioridade”.

O dinheiro será usado, de acordo com o ministro, principalmente na contratação de profissionais e para a construção de equipamentos de apoio aos dependentes químicos. Padilha disse ainda que os recursos também vão reforçar as ações que já são feitas pela prefeitura. “A capital [paulista] já colocou os seus agentes na rua, é nós vamos reforçar essa ação. O fundamental é termos agentes, profissionais de saúde, que façam a busca ativa na rua e que trabalhem, inclusive, em horários alternativos”, disse.

O ministro destacou ainda que já foram repassados para o município recursos para a instalação de dez unidades de acolhimento. “Vamos reforçar as enfermarias especializadas em álcool e drogas. Buscar qualificar o Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] a fim de que esteja preparado para o atendimento, em situação de urgência, de um dependente químico”.

Segundo Padilha, o atendimento é fundamental para garantir a eficácia do tratamento. “Oferecendo cuidado a esses pacientes. Podendo acompanhar o tratamento que eles fazem. Tratando de outros problemas que podem estar associados à dependência química, de estar morando na rua, sujeitos a problemas de saúde”.

O ministro explicou ainda que, a partir desse atendimento, pode-se optar pela internação involuntária dos usuários, “avaliando se essas pessoas têm risco de vida. Porque, quando tem risco de vida, tem de ficar internado até estabilizar a situação”. “O centro do nosso programa é a reconstrução dos projetos de vida das pessoas, isso só se faz mantendo os laços sociais e com as famílias”, completou.


Fonte:
Agência Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento

Últimas imagens

Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Foto: Rodrigo Nunes/MS
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Arquivo/Ministério da Saúde
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Olival Santos/Governo de Alagoas
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Divulgação/Prefeitura de Itanhaém (SP)

Governo digital