Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 01 > Estados prejudicados por enchentes recebem soro contra veneno de animas peçonhentos

Saúde

Estados prejudicados por enchentes recebem soro contra veneno de animas peçonhentos

por Portal Brasil publicado: 18/01/2012 18h55 última modificação: 29/07/2014 09h10

Para ajudar os municípios no atendimento a acidentes ocorridos com serpentes e aracnídeos, que saem de seus esconderijos por causas das enchentes, o Ministério da Saúde enviou para todos os estados antigos pelas chuvas ampolas de soro contra veneno de animais peçonhentos.

Com um reforço de mais de 1,17 mil ampolas, a pedido do governo estadual, Minas Gerais recebe um total de 8,19 mil ampolas que podem ser usadas em casos leves, moderados ou graves. Segundo o Ministério da Saúde, os municípios mineiros poderão assim manter seus estoques para atender a vítimas de picadas de vários tipos de serpentes, de aranhas e de escorpiões. Para o Espírito Santo foram destinadas 1,18 mil ampolas e o Rio de Janeiro receberá 320 ampolas.

Além do envio de soro contra veneno de animais, o ministério também enviou doses de vacinas contra tétano, difteria e raiva. “Estamos atentos para garantir bons níveis de estoques de soros e de vacinas contra doenças a que a população fica mais exposta por causa das enchentes”, aponta o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais tiveram prioridade no envio de vacinas e soros, que alcança todo o País. Para atender a solicitação de Minas Gerais, também foi enviada maior quantidade de vacinas contra tétano e difteria.


Reconstrução

O Ministério da Saúde informou que reconstruir unidades de saúde está entre as maiores prioridades da pasta, que está se articulando com governadores e prefeitos das regiões afetadas pelas enchentes para que os serviços sejam retomados e ampliados. Junto com os governos estaduais e as prefeituras, o ministério está identificando unidades de saúde que foram comprometidas e que podem ser reformadas ou equipadas. “Além disso, os especialistas da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (FNSUS) estão orientando os prefeitos na escolha de terrenos mais protegidos do perigo das enchentes”, acrescenta Alexandre Padilha.

Para acelerar a retomada e a ampliação dos serviços, o Ministério da Saúde adiantou repasses para a média e alta complexidade das cidades de Campos dos Goytacazes (R$ 7,8 milhões) e de Itaperuna (R$ 4,4 milhões), no estado do Rio de Janeiro. Os repasses permitirão a ampliação da assistência hospitalar e poderá ser utilizado para custear procedimentos como cirurgias e exames e aquisição de medicamentos e insumos. Esses recursos podem ser utilizados em obras para reconstruir unidades de saúde. Os recursos também estão disponíveis para financiar hospitais de pequeno porte e o Serviço Móvel de Urgência e Emergência (Samu 192), entre outros. A transferência do recurso foi feita por meio do Fundo Nacional de Saúde, em parcela única, diretamente para o Fundo Municipal de Saúde de cada cidade.

Além dos repasses adiantados, a FNSUS enviou 15 toneladas de medicamentos para socorrer vítimas das enchentes no Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, além de atuar junto com estados e municípios em ações de prevenção, vigilância e atenção à saúde. Para municípios com danos no abastecimento de água, a FNSUS dispõe de frascos de hipoclorito, que serve para purificar a água e torná-la própria para o consumo.

“A Força Nacional do SUS continuará atuando em regiões em que problemas foram agravados com a danificação da estrutura de saúde, além do atendimento das vítimas das chuvas e do risco de aumento de doenças, sobretudo as transmitidas por água, alimentos e animais”, assegura o ministro da Saúde.

Acesse a página do Ministério da Saúde sobre enchentes.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital