Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 01 > Governo federal libera R$ 6,4 mi para tratamento de usuários de crack em São Paulo

Saúde

Governo federal libera R$ 6,4 mi para tratamento de usuários de crack em São Paulo

por Portal Brasil publicado: 18/01/2012 20h26 última modificação: 29/07/2014 09h10

O Ministério da Saúde vai liberar recursos para a criação de 10 novas Unidades de Acolhimento Transitório para atendimento a usuários de crack e outras drogas na cidade de São Paulo. Os novos serviços somarão até 150 leitos para atendimento e internação em casos graves. A medida foi anunciada nesta quarta-feira (18) pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, em reunião com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

As unidades de acolhimento somam-se a outras ações do ministério já anunciadas em dezembro para a capital, como a implantação de 16 Consultórios na Rua, para busca ativa dos pacientes, e dois novos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) 24 horas. O município de São Paulo é prioritário no apoio do governo federal e receberá R$ 6,4 milhões até o final deste ano para ampliação das ações de ampliação da rede para atendimento aos usuários.

As ações fazem parte do plano “Crack, É Possível Vencer”, lançado dezembro do ano passado pela presidenta Dilma Rousseff. Metade desse valor, R$ 3,2 milhões, já foi empenhado pelo ministério em dezembro.

“O crack é um grave problema, não só na cidade de São Paulo, mas no estado de São Paulo, no País”, ressaltou o ministro, que também visitou o Caps Álcool e Drogas da Praça da Sé, no centro da cidade, e as obras da prefeitura no complexo da Rua Prates, no bairro Bom Retiro.

Em todo o País, o plano prevê investimentos de R$ 4 bilhões e a abertura de 13.614 novos leitos para usuários de crack e outras drogas, como o álcool, até 2014. Os leitos serão distribuídos da seguinte forma: 1,4 mil em Caps Álcool e Drogas, 3.604 em enfermarias especializadas e 8.610 em Unidades de Acolhimento Transitório.

“O importante é que a gente reforce as ações coordenadas. De um lado, prevenção, cuidado e repressão ao mercado da droga. E de outro, ações coordenadas entre as três esferas de governo: federal, estadual e municipal. Ninguém tem condições de resolver esse problema sozinho”, alertou o ministro.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil

Últimas imagens

A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
Arquivo/Ministério da Saúde
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Cícero Oliveira/UFRN

Governo digital