Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 01 > Hospital do Rio de Janeiro aplica novo modelo na gestão de leitos

Saúde

Hospital do Rio de Janeiro aplica novo modelo na gestão de leitos

por Portal Brasil publicado: 17/01/2012 15h49 última modificação: 29/07/2014 09h10

O Hospital Municipal Miguel Couto, localizado no Rio de Janeiro, implantou este mês uma nova forma de controle diário dos pacientes da emergência baseada no Kanban, modelo originário da metodologia Qualidade Total. A iniciativa tem como objetivo melhorar o fluxo dos leitos e, com isso, atingir uma das metas da ação S.O.S Emergências, implementada pelo Ministério da Saúde na unidade.

Placas fixadas nas camas vão indicar se a permanência do doente, considerando a complexidade do quadro, está dentro do tempo considerado ideal, no tempo aceitável ou acima do prazo. Com isso, espera-se evitar internações mais longas que o necessário, corrigindo falhas que prolongam a permanência e liberando leitos para outras pessoas.

A adaptação do método Kanban para a gestão dos leitos do Miguel Couto foi desenvolvida pelo Núcleo de Acesso e Qualidade Hospitalar (NAQH) da unidade. Instituído pelo S.O.S Emergências, o NAQH é formado por profissionais do próprio hospital e por apoiadores técnicos do Ministério da Saúde. Sua atribuição é diagnosticar os principais problemas da emergência e traçar medidas para solucioná-las, melhorando o atendimento à população. Ainda pelo S.O.S Emergências, o hospital receberá recursos de R$ 3 milhões para a compra de equipamentos e R$ 300 mil mensais de custeio.

Os primeiros leitos do Miguel Couto que passaram a ser controlados pelo Kanban foram os da sala amarela da emergência, destinada a pacientes graves. Nesta sala, o tempo ideal de permanência no leito, marcado nas placas pelo número um em romano (I), é de até 48 horas. Depois deste prazo, com o quadro estabilizado, o indicado é que o paciente seja transferido para uma enfermaria de retaguarda do próprio hospital ou para uma vaga regulada em outra unidade. Entre 48 e 72 horas (II), a permanência do doente na sala amarela é ainda considerada aceitável. A partir de 72 horas, a marcação III na placa indica que há problema no fluxo do leito a ser solucionado.  

 

S.O.S Emergências

O S.O.S Emergências integra a Rede Saúde Toda Hora e, além do Miguel Couto, foi implantado no Hospital Albert Schweitzer, também no Rio de Janeiro, e em mais nove unidades de grande porte localizados em oito capitais: São Paulo (SP), Brasília (DF), Salvador (BA), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Fortaleza (CE), Belo Horizonte (BH) e Goiânia (GO). Segundo o Ministério da Saúde, todos os hospitais selecionados são referências regionais, possuem pronto-socorro e realizam grande número de internações e atendimentos ambulatoriais. A meta é que até 2014 o S.O.S Emergências atinja os 40 maiores prontos-socorros brasileiros, em 26 estados e no Distrito Federal.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil

Últimas imagens

A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
Arquivo/Ministério da Saúde
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Cícero Oliveira/UFRN

Governo digital