Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 01 > Mais duas toneladas de medicamentos e insumos são enviadas a Minas Gerais

Saúde

Mais duas toneladas de medicamentos e insumos são enviadas a Minas Gerais

por Portal Brasil publicado: 10/01/2012 20h28 última modificação: 29/07/2014 09h10

Mais duas toneladas de medicamentos e insumos foram enviadas nesta terça-feira (10) a Belo Horizonte (MG), além das oito toneladas que já haviam sido enviadas na semana passada. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que acompanhou, também nesta terça-feira, o trabalho das equipes de saúde nas regiões atingidas por enchentes em Minas Gerais.

O ministro foi aos municípios de Além Paraíba, Guidoval e Ubá, onde visitou hospitais e unidades de saúde, observando se todos os pacientes de risco já haviam sido devidamente transferidos. Ele explicou que a Força Nacional do Sistema Único de Saúde (FNSUS) vem participando de ações de prevenção para evitar mortes em deslizamentos recentes, como nos municípios de Juiz de Fora e Contagem.

Para saber mais informações sobre outras ações, acesse a página Desastres Naturais, com informações do Ministério da Saúde sobre enchentes.

Outra preocupação é garantir que não haja interrupção no tratamento de pacientes com doenças crônicas. A FNSUS está identificando as pessoas mais vulneráveis e que vão precisar de assistência, como pacientes que fazem hemodiálise, pessoas em tratamento oncológico e mulheres no último trimestre de gestação.

Para o Ministério da Saúde, é fundamental que as pessoas fiquem atentas com relação a acidentes com animais peçonhentos, com o tétano, com o perigo de contrair leptospirose e doenças decorrentes da água de má qualidade. Por isso, o ministério está verificando os estoques de soros e vacinas e o envio de hipoclorito para as regiões onde faltará água própria para consumo humano.

Há 100 profissionais de saúde cadastrados na FNSUS a disposição de Minas Gerais para ajudar nos trabalhos de ajuda às vítimas. São médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e psicólogos, entre outras especialidades, que se prontificaram a trabalhar em situações de emergências. Os interessados ainda podem se cadastrar.

Regiões atingidas

Em Minas Gerais, as regiões mais afetadas são o oeste e o noroeste do estado, incluindo a Zona da Mata, Campo das Vertentes, BH Metalúrgica e o Alto São Francisco. Guidoval, Ubá, Astolfo Dutra, Ouro Preto, Betim e Governador Valadares estão entre os municípios mais atingidos.

Entre os 157 municípios atingidos, 105 encontram-se em situação de emergência, afetando a vida de mais de 2 milhões de pessoas, fazendo quase 12 mil pessoas ficarem desalojadas e deixando mais de 900 pessoas desabrigadas.

Até o momento, as enchentes e deslizamentos resultaram em 12 mortes, duas pessoas desaparecidas e 35 pessoas feridas. No estado, seis Unidades Básicas de Saúde foram atingidas pelas chuvas: três em Guidoval, uma em Ubá e duas em Governador Valadares.

Além de monitorar as redes de atenção básica, hospitalar, de urgência, tratamento fora do domicílio e serviços para gestantes, a Força Nacional do SUS orienta os municípios da região metropolitana de Belo Horizonte sobre a atenção prioritária aos desabrigados.

Mais medicamentos em estoque

A FNSUS está trabalhando de maneira integrada com outros ministérios, com o governo do estado e com as prefeituras, otimizando os esforços para prestar socorro imediato e responder às necessidades mais importantes das vítimas das enchentes.

Entre a quinta-feira passada (5) e esta terça-feira (10), o Ministério da Saúde já enviou quase 15 toneladas de medicamentos e insumos para os estados mais afetados pelas chuvas fortes – foram quatro toneladas para o Rio de Janeiro, 800 quilos para o Espírito Santo e dez toneladas para Minas Gerais. Distribuído a todos os municípios mineiros afetados por enchentes, o material pode atender 27,5 mil pessoas ao longo de três meses.

Os pacotes contêm antibióticos, antiinflamatórios, antiparasitários, analgésicos, antitérmicos, anti-hipertensivos, ataduras, esparadrapos, luvas, máscaras, cateteres e seringas, entre outros materiais para atender a população na fase mais crítica após a enchente.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital