Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 02 > Anvisa discute cooperação com agências reguladoras internacionais

Saúde

Anvisa discute cooperação com agências reguladoras internacionais

por Portal Brasil publicado: 01/02/2012 14h12 última modificação: 29/07/2014 09h08

O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Dirceu Barbano, participa nesta quarta (1º) e quinta-feira (2) de reunião de autoridades reguladoras de referência regional em Washington (EUA), com representantes da Argentina, Colômbia e Cuba.

A reunião ocorre na sede da Organização Pan-americana de Saúde (Opas) e tem como objetivo avaliar os resultados da Cooperação Técnica do Projeto de Medicamentos e Tecnologias Sanitárias e discutir as ações para o 2012 e 2013. Na quinta-feira, os participantes estarão em reunião com a diretora da Opas, Mirta Roses Periago, para discutir as estratégias de aquisição de insumos do Fundo Rotatório e a Plataforma Regional de Inovação e Acesso a Tecnologias de Saúde. O último compromisso do grupo é discutir a construção de um Plano de Cooperação para fortalecer as capacidades reguladoras nacionais para medicamentos e produtos biológicos.

Cuba e Haiti

Delegação do Brasil esteve em Cuba, na última terça-feira (31), onde assinou acordos bilaterais que envolvem 38 projetos na área de saúde, 12 deles prioritários. Esses projetos referem-se, principalmente, à terapia e ao diagnóstico de diferentes tipos de câncer, tratamento de diabetes e produção de vacinas preventivas e terapêuticas.

Os ministérios da Saúde do Brasil e de Cuba atuam em ações conjuntas na reconstrução do setor no Haiti, que recebe visita da presidenta Dilma Rousseff nesta quarta-feira (1º). Desde 2004, por mandato da Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil chefia a Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah). Além de manutenção da paz, exerce ajuda humanitária, ampliada depois do terremoto de janeiro de 2010.

Dos R$ 135 milhões garantidos em lei para repasse do governo brasileiro ao Haiti, R$ 69,9 milhões foram executados em 2011 em ações de saúde, agricultura e defesa. Entre as ações coordenadas pelo governo brasileiro estão a recuperação de dois laboratórios e a construção de quatro unidades de saúde; concessão de bolsas para capacitação de 2 mil agentes comunitários e 500 técnicos em saúde e aquisição de equipamentos e insumos de saúde, como a entrega de tratamentos para o cólera e de 30 ambulâncias em 2011.

 

Fonte:
Anvisa

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil

Últimas imagens

A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
Arquivo/Ministério da Saúde
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Cícero Oliveira/UFRN

Governo digital